Moradores da Calha Norte consomem a pior energia do Pará

Usina hidrelétrica de Tucuruí
Usina hidrelétrica de Tucuruí

A usina hidrelétrica de Tucuruí, localizada na região Sudeste do estado do Pará, é uma das maiores geradoras de energia da Amazônia e do Brasil. Dentro dessa imensurável potencialidade energética, propicia a diversos estados da Federação: Progresso, custo baixo de boa qualidade de energia.

Detalhe, o linhão de Tucuruí está passando na cozinha de várias cidades da Calha Norte. O destino do referido linhão, tem o objetivo de servir moradores e empresas de vários estados da região Norte. Enquanto isso, os consumidores da margem esquerda do rio Amazonas continuam consumindo energia de péssima qualidade. Sem contar, evidentemente, com o custo exorbitante de impostos e taxas embutidos nos talões de luz. Isto porque, decorrência das máquinas (grupo geradores) estarem sucateados e obsoletos, o funcionamento ainda é através de óleo disel.

Este verdadeiro absurdo, há anos vem acontecendo, graças ao desprezo do governador Simão Jatene para com o consumidor de energia de nossa região. É oportuno salientar que, esse contra senso, tem a contribuição da subserviência (boizinho de presépio) dos deputados estaduais da Calha Norte que são da base de sustentação. Com isso, os consumidores continuam sofrendo grandes prejuízos com eletrodomésticos ocasionados por apagão e freqüentes oscilações.

Para se ter dimensão dessa incompetência, quem visita as periferias das cidades vizinhas de forma visível constata o sucateamento da Celpa. Isto é, furto de energia é generalizado nos quatros cantos das cidades, com os famigerados gatos e emaranhados de fios. Dada a caótica situação, quem paga pelo descaso da falta de investimento do gestor estadual e dos deputados que só querem o nosso voto, é o consumidor que de maneira lícita paga seus respectivos talões.

FUTRIMANGANDO – Existe um velho adágio. “Vice é cemitério de político”. O vice-prefeito é um sucessor imediato do Prefeito em casos de vacância, licença ou impedimento de qualquer natureza. Porém, o vice pode exercer funções relevantes na administração municipal, sem incompatibilidade. Fazendo jus à remuneração salarial, devendo optar por um deles. A Constituição Federal tipifica que quando convidado pelo Prefeito, pode auxiliá-lo em missões especiais. No mais, vice não possui absolutamente nenhuma ingerência sobre o gestor municipal. É lamentável, que em salvas exceções, tem vice que no afã de mandar, não cai a ficha que não manda nada. E quando se arvora em sobrepor as decisões do Prefeito, geralmente é aviltado, constrangido, decepcionado e muitas vezes humilhado. Trocando em miúdo. Na sua pluralidade, Vice não tem função específica, apenas opinião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *