Indulto a detentos aumenta onda de assaltos em Santarém

Funcionária de uma empresa foi assaltada quando saia do trabalho
Funcionária de uma empresa foi assaltada quando saia do trabalho

Depois da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (Susipe) liberar 111 detentos, do Centro de Recuperação Agrícola Silvio Hall de Moura (CRASHM), para passar o período natalino com seus familiares, diversos assaltos foram registrados em Santarém e região em menos de 48 horas.

O primeiro aconteceu no sábado, dia 21, em frente a uma empresa localizada na Avenida Presidente Vargas, no bairro do Caranazal, onde após sair do trabalho, uma funcionária foi vítima de duas pessoas que estavam em uma moto. Após abordar a funcionária, os assaltantes roubaram sua bolsa com todos os pertences dentro, além de dinheiro e os documentos pessoais, assim como a Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

RETORNO SÓ EM JANEIRO: A Susipe informou que o benefício de celebrar Natal e Ano Novo em casa foi concedido a cerca de 800 detentos no Pará, aproximadamente 600 deles na Região Metropolitana de Belém. O retorno desses detentos está marcado para o dia 2 de janeiro, segundo o juiz Cláudio Henrique Rendeiro, titular da 1ª Vara e interino da 2ª Vara de Execução Penal da RMB.

O índice dos que não retornam é, em média, 10% e a meta é reduzir esse percentual no ano que vem, a partir do monitoramento com tornozeleiras eletrônicas.

No início do ano passado, 145 detentos não retornaram da saída temporária, de acordo com a Susipe. Dos 812 presos liberados, 667 voltaram. “É natural que a população se alarme, mas os dados mostram que de cada 60 foragidos, uma média de sete se envolvem em novos delitos. A grande maioria abandona o crime”, argumenta o Juiz Cláudio Henrique.

A Lei de Execuções Penais (LEP) garante até 35 dias fora das cadeias e esta é a última saída do ano. O indulto é estabelecido anualmente por decreto presidencial, que define as condições para que o benefício seja aplicado.

Nas ruas, o benefício não é visto com bons olhos. “Não deveria haver esta alternativa para quem escolheu o crime em vez do convívio com os familiares. O controle dessas licenças deveria ser mais rígido, fornecida menos vezes ou concedida a um menor número de presos”, avalia o universitário Cássio Roberto, que se sente inseguro quando as saídas temporárias são anunciadas.

Residência invadida por assaltantes
Residência invadida por assaltantes

FAMÍLIA É FEITA REFÉM: Outro assalto ocorreu no quilômetro 19 da rodovia Santarém-Cuiabá (BR-163), na Comunidade de São José, no planalto santareno, onde na hora do almoço de Natal, na quarta-feira, 25, uma família foi feita refém de assaltantes. O assalto ocorreu por volta de 15h, onde segundo a Polícia, seis pessoas estavam na casa no momento do crime, entre elas três crianças. De acordo com o empresário Márcio Bonkoski, dono da residência, os bandidos chegaram em duas motocicletas e invadiram a casa no momento em que a família se reunia na varanda. “Eles chegaram, abordaram a gente com um revólver, aí deram a voz de assalto e nos prenderam no quarto. Minha sogra acabou desmaiando. Pediram dinheiro, e estavam sempre bastante agressivos. Depois que pegaram o que queriam, mais ou menos uns 5 mil reais, entre dinheiro e pertences da gente, nos trancaram no banheiro e se evadiram em duas motos”, conta.

Durante o assalto, os bandidos roubaram R$ 1 mil em espécie, um notebook, três celulares, um videogame, um tablet, duas câmeras digitais e uma cesta básica. Bonkoski relata que mora há três meses na casa e, que foi a segunda vez que a casa foi alvo de bandidos este ano. “O morador antigo foi assaltado, mas os três suspeitos do crime foram presos”, ressalta.

O Grupo Tático Operacional foi acionado e suspeita que os assaltantes possam ser detentos da Penitenciária Agrícola Silvio Hall de Moura que receberam o benefício de saída temporária para o Natal. “Toda vez que tem saída temporária, a coisa piora um pouco mais, mesmo que tenha combate. O Grupo Tático está nas ruas para tentar amenizar o problema”, disse um policial.

A Polícia fez o levantamento das primeiras informações com as vítimas e já iniciou as buscas pelos suspeitos.

HOMEM É ASSASSINADO COM TIRO DE ESPINGARDA: O agricultor Junior Freitas Nunes, 32 anos, conhecido como “Bem-Ti-Vi”, foi morto com um tiro de espingarda na madrugada de quarta-feira, 25, no ramal da comunidade Santo Antônio, município de Mojuí dos Campos.

Segundo o titulara da Unidade Integrada de Polícia de Mojuí dos Campos, Djalma Pereira, o crime ocorreu por volta de 3h e, que ainda não há informações sobre como o fato aconteceu, nem os motivos. Ele acredita que devido as marcas de tiro no corpo, Junior Nunes pode ter sido vitima de assassinato. O corpo foi encontrado por moradores da comunidade que registraram Boletim de Ocorrência na 16ª Seccional da Polícia Civil, em Santarém, na manhã de quarta-feira.

O suspeito fugiu do local e ainda não foi identificado, mas segundo o Delegado, os moradores indicaram um indivíduo da comunidade como autor do crime. As Polícias Civil e Militar já iniciaram as investigações. Peritos do Centro de Pericias Cientificas Renato Chaves (CPC) fizeram a remoção do corpo da vitima para Santarém, no final da tarde de quarta-feira, para a realização da necropsia.

Nessa época do ano o índice de crimes aumenta assustadoramente. Todos são unânimes em dizer que esse aumento é relacionado ao indulto dados aos detentos. Segundo especialistas, essas pessoas que estão cumprindo penas, quando saem com o indulto, não encontram serviço e a única maneira de arrumar dinheiro é roubando e, algumas vezes matando. O trabalho da Polícia é redobrado e, muitas das vezes não consegue dar conta do recado, pois as ocorrências são muitas e o material humano é pequeno para combater a criminalidade.

Delegado Nelson Silva alerta população para reforçar segurança de suas casas
Delegado Nelson Silva alerta população para reforçar segurança de suas casas

FINAL DE ANO: A Polícia alerta para o final de ano, onde muitas pessoas se deslocam para os balneários ou viajem para passar o réveillon em outras cidades e deixam suas casas desprotegidas. “Se você for viajar ou ir para algum balneário da cidade, passar o final de ano, não deixe sua residência desprotegida, contrate alguém para vigiar ou peça para algum vizinho ficar de olho. Mesmo com a Polícia trabalhando atentamente, os bandidos são muitos e estão atuando em vários pontos da cidade. Todo cuidado é pouco”, alerta o delegado Nelson Silva, diretor da Seccional de Polícia Civil de Santarém.

A Polícia prende, mas a Justiça solta. Aí, a situação se complica e quem acaba sofrendo é a população que fica a mercê da bandidagem.

Fonte: RG 15/O Impacto

Um comentário em “Indulto a detentos aumenta onda de assaltos em Santarém

  • 27 de dezembro de 2013 em 13:46
    Permalink

    Quem foi o idiota que fez essa porcaria de lei que dar Indulto a detentos???…Se eles decidiram roubar e matar melhor que fiquem presos ate cumprir a pena que foi dada…Os juizes ir politicos fazem isso porque nao e na casa deles que os bandidos vao e assim na casa de pessoas trabalhadoras…So Jesus mesmo por nos…quando esta melhorandop a situacao,,,a justica piora.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *