UFOPA esclarece sobre Índice Geral de Curso (IGC)

Campus Amazônia da Ufopa
Campus Amazônia da Ufopa

Após a divulgação, por meio do DOU dos resultados obtidos pelas IES brasileiras no que diz respeito ao ENADE 2013, ao Conceito Preliminar de Curso (CPC) e, consequentemente do IGC 2014, a UFOPA vem esclarecer os seguintes pontos:

1)      O IGC 2014 é uma média ponderada dos conceitos dos cursos de graduação e pós-graduação da Instituição que foram avaliados nos anos de 2011, 2012 e 2013, cujo resultado é utilizado, entre outros elementos e instrumentos, como referencial orientador das comissões de avaliação institucional;

2)      O conceito de graduação é calculado com base nos Conceitos Preliminares de Cursos (CPC) e de pós-graduação é calculado na conversão de conceitos fixados pela CAPES;

3)      O CPC é calculado para cada curso dentro de uma área contempladas na avaliação anual do ENADE;

4)      O conceito ENADE é calculado para cada curso que é definido por uma IES, por um município, por uma área de avaliação; desde 2008 o conceito ENADE somente considera em seu cálculo o desempenho dos alunos concluintes;

5)       O CPC combina diversas medidas relativas à qualidade do curso: as informações de infraestrutura, recursos didático-pedagógicos e corpo docente oferecidas por um curso; o desempenho obtido pelos estudantes concluintes no ENADE; e os resultados do Indicador da Diferença entre os Desempenhos Esperado e Observado (IDD). Ao todo são oito componentes, oito medidas de qualidade do curso;

6)      Dentre todas as medidas que avaliam a qualidade do curso, o item infraestrutura tem sido o que mais impacta negativamente nas avaliações de credenciamento dos cursos da UFOPA (CPC) e, provavelmente, na avaliação dos concluintes no ENADE. A avaliação da Infraestrutura de um curso corresponde à proporção de alunos do curso que avaliaram positivamente um aspecto da infraestrutura do curso no questionário do ENADE;

7)      É importante frisar que o IGC é resultado de processos acadêmicos e administrativos trianuais, no caso específico refere-se aos anos de 2011, 2012 e 2013, que influenciam o CPC e a nota ENADE, como consequência; Deve-se aqui ressaltar que no ano 2013, a UFOPA não teve nenhum curso realizando o ENADE, pois não havia cursos em conclusão, logo já era esperado que o IGC de 2014 fosse sofrer uma retração;

8)      A Administração Superior da UFOPA, obviamente não está satisfeita com o IGC obtido nem com a CPC, mas está ciente e comprometida firmemente na resolução das deficiências de infraestrutura que impactam negativamente nos processos de credenciamento e avaliação de cursos desta IES e, certamente contribui enormemente para o IGC obtido. Salienta-se, entretanto, que neste último ano avançou-se significativamente na ampliação e consolidação do quadro de servidores (técnicos administrativos e docentes) e na melhoria da infraestrutura, no que concerne, gabinetes para professores, salas individuais para Coordenações de curso, entregas de laboratórios equipados, assim como, houveram licitações que num período de 02 anos a infraestrutura da UFOPA dará um grande salto de qualidade. Temos plena convicção que num curto espaço de tempo a UFOPA será um centro de excelência na formação de profissionais da região Oeste do Para.

Fonte: RG 15/O Impacto e Ascom/Ufopa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *