Filho do governador de São Paulo morre em acidente de helicóptero

 Thomaz AlckminEstá sendo velado no hospital israelita Albert Einstein, no Morumbi, o corpo de Thomaz Rodrigues Alckmin, de 31 anos, filho do governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB). O corpo chegou por volta das 3h e, às 4h30m, começou o velório, restrito a parentes e amigos da família. A cerimônia está prevista para terminar às 14h, quando o corpo será levado para Pindamonhangaba, cidade-natal de Thomaz, e enterrado no cemitério municipal, segundo nota divulgada pelo governo do estado.
O governador Geraldo Alckmin velou o corpo por toda a madrugada. Por volta das 7h, dom Odilo Scherer, arcebispo de São Paulo, fez uma prece, acompanhada por cerca de 40 pessoas, entre elas o dono do helicópetro acidentado, José Seripieri Júnior. A família Alckmin ainda aguarda a chegada da filha mais velha de Thomaz, Isabela, que mora com a mãe e o padrasto na Noruega.
Presidente nacional do PSDB, o senador Aécio Neves deverá chegar a São Paulo por volta das 12h, de acordo com sua assessoria de imprensa. Na manhã desta sexta-feira, o presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, José Roberto Nalini, o vice-governador Márcio França, parlamentares e secretários de estado participaram do velório.
Thomaz morreu no fim da tarde desta quinta-feira em decorrência da queda do helicóptero onde estava, em Barueri, na Região Metropolitana de São Paulo. Na aeronave também estavam o piloto Carlos Haroldo Isquerdo Gonçalves, de 53 anos, e os mecânicos Paulo Henrique Moraes, de 42, Erick Martinho, de 36, e Leandro Souza, de 34. Todos morreram.
Às 23h15m da quinta-feira, o Palácio dos Bandeirantes divulgou uma nota com a confirmação da morte do filho caçula do governador: “O governo de São Paulo informa com imenso pesar que Thomaz Rodrigues Alckmin, o caçula dos três filhos do governador Geraldo Alckmin e de dona Lu Alckmin, é uma das cinco vítimas da queda do helicóptero EC 155 ocorrida na Grande São Paulo na tarde desta quinta-feira. Thomaz tinha 31 anos e era piloto profissional de aeronave. Ele deixa esposa, Taís, duas filhas, Isabela e Júlia, e os irmãos Sophia e Geraldo Alckmin Neto. Sob o impacto dessa tragédia, a família Alckmin, inconsolável, agradece as manifestações de pesar e carinho e busca conforto na fé que sempre a alimentou. Seus pensamentos e preces se estendem às famílias das outras vítimas”, informou o texto.
O helicóptero em que ele estava decolou para um voo de teste às 17h02m do hangar da empresa Helipark, especializada em manutenção aeronáutica, e caiu por volta de 17h20m sobre o telhado de uma casa em construção, localizada a cerca de 10 quilômetros do ponto de decolagem. Thomaz era piloto profissional, mas ainda não se sabe se era ele quem estava no comando da aeronave. O acidente ocorreu em uma área residencial na região central de Barueri, próximo à Rodovia Castello Branco.

Helicóptero caiu em cima de uma residência, em São Paulo
Helicóptero caiu em cima de uma residência, em São Paulo

O governador recebeu a notícia sobre a morte do filho quando cumpria agenda oficial de governo na região de Catanduva, a aproximadamente 400 quilômetros da capital paulista. Durante a manhã, Lu Alckmin havia participado de visita a uma turma de qualificação profissional do Fundo Social de Solidariedade do Estado. À tarde, ela viajou a Campos do Jordão para passar o feriado de Páscoa, mas retornou a São Paulo.
A nota divulgada nesta quinta-feira, a Seripatri informou que um piloto da empresa, com “mais de 30 anos de experiência”, também estava na aeronave e morreu. Segundo a nota, foram vítimas, ainda, um mecânico da Seripatri e outros dois mecânicos do hangar Helipark. Os nomes dos outros mortos não tinham sido divulgados até 22h de quinta-feira. Os corpos foram levados para o Instituto Médico Legal (IML), na Zona Oeste de São Paulo, para posterior liberação para o funeral. O governador já esteve no local onde os corpos estão sendo reconhecidos. Ali encontrou-se com o senador José Serra (PSDB).
De acordo com a empresa Seripatri Participações, o helicóptero tinha quatro anos de uso e aproximadamente 600 horas de voo. A aeronave teria passado por manutenção preventiva horas antes do acidente, de acordo com nota oficial da empresa proprietária. Viaturas do Corpo de Bombeiros passariam a noite isolando o local do acidente, para preservar as investigações sobre o ocorrido.
“Neste momento de luto e enorme tristeza para todos, a Seripatri está prestando toda a assistência necessária aos familiares das vítimas, bem como já destacou profissionais para acompanhar junto às autoridades as investigações das causas do acidente”, informou a Seripatri, na nota.
Pelo menos oito carros de Bombeiros e Polícia Militar foram deslocadas para o local do acidente, bem como uma equipe do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), responsável pela apuração das causas do ocorrido.

Fonte: O Globo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *