Ronaldo Campos

PLANOS DO GOVERNO MORREM NAS ESTRADAS
Comentário do cineasta, escritor, jornalista e comentarista da Rede Globo, Arnaldo Jabor, acerca do plano de desenvolvimento do governo. Leia abaixo:
Este plano de desenvolvimento do governo Dilma está cheio de boas intenções. O desejo é real, pois não há outra saída. Tiveram de adotar parâmetros liberais com Joaquim Levy, que o PT chama de Judas e o Temmer de Cristo. Aliás, este plano de um governo marxista-leninista-lulista me lembra muito o NEP, o plano da nova política econômica da União Soviética, quando Lenin adotou medidas liberais para salvar um socialismo desastrado. Melhorou a economia sim, mas logo que funcionou deram um pé no bumbum do NEP e vieram os planos quinquenais do Stalin, com mortos aos milhões. Aqui há o risco de que, ajustadas as finanças, Levy leve um cartão vermelho para voltar o delírio comunista do ex-partido da moralidade. Outro grande perigo é a velha mania socialista de grandes projetos do Estado que englobem tudo, planos gigantescos para impressionar o povão, planos que morrem na praia ou nas estradas esburacadas. A coroa do plano é a ferrovia Bioceânica, que liga o Brasil ao Pacífico e que tem pinta de ser outra Transamazônica ou um trem-bala na floresta com ponto final no Peru. Melhor seria cuidar de coisas possíveis, como terminar a ferrovia Norte-Sul, parada e roubada há 30 anos. E o pior ainda é a lentidão burocrática. Só falam assim: “Adotaremos medidas que após estudos serão iniciadas talvez em 2016”. Este é o maior problema: o papel. No Brasil, o papel é feito papel de mosca. Cai ali, nada desgruda.
VISÃO RETORCIDA- I
O ex-presidente Lula da Silva sempre se auto elogiou dos avanços de seu governo (8 anos) nos setores da Saúde e Educação e dos brasileiros nada terem a reclamar, ambos eram coisas de país de 1º mundo. Mas a visão míope do ex-presidente, que “não sabia” da existência do Mensalão, nunca bateu com a realidade. A Educação, à época, já era vista por institutos especialistas no ramo, como das piores do mundo, e continua sendo. O Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego), criado em 2011 pela atual presidente para expandir a oferta de cursos de educação profissional e tecnológica do país, uma das joias da coroa de sua questionada reeleição em 2014 (ano eleitoral), ofereceu mais de 2,5 milhões de vagas, baixou, em 2015, para 1 milhão, corte de 60% por falta de recursos, deixando milhões de pessoas sem horizonte, assim como dezenas de universidades estão paralisadas por salários baixos e não terem dinheiro para pagar serviços terceirizados. Na Saúde, onde escândalos campearam, como o dos Vampiros (transfusões de sangue) com mortes em Hospitais de Pernambuco, e a dos Sanguessugas (compra de ambulância) através de emendas parlamentares, dirigidas ao Ministério da Saúde, levando deputados federais a renunciarem mandatos, e prefeitos, a serem condenados pela Justiça Federal, a coisa está pior, como um doente em estado terminal numa UTI de hospital.
VISÃO RETORCIDA- II
Vamos a poucos exemplos: No Rio de Janeiro, um hospital estadual, referência em traumatologia no estado, tem 14 mil operações para serem realizadas daqui a 10 anos com datas marcadas. Neste mês, no programa da Rede Globo “Bom Dia Rio”, mostrou num hospital, também referência em cardiologia, pacientes cardíacos internos passando pano de chão com água quente e detergente no piso e nos banheiros. No maior hospital da Rede Municipal de João Pessoa (Paraíba), que atende doentes do estado inteiro, tem um vazamento de esgoto dentro do Centro Cirúrgico. Início do mês, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal confirmou de hospitais da rede pública estarem com problema sério: a existência de bactérias resistentes a diversos tipos de antibióticos e que 4 pessoas morreram com as chamadas “superbactérias” e haver 28 contaminados, com o governo admitindo a existência de epidemia. Final: levantamento feito por uma organização não governamental, com dados colhidos do Governo Federal, mostra que as obras do PAC, da Saúde, relativas ao ano de 2014, 76% ainda não foram concluídas. Assim deve estar pelo Brasil. Quem deve estar gostando dessa bagunça, que mexe com vidas, são os médicos cubanos, que ganham 10 mil, levam 3 e dão 7 para manter a ditadura dos irmãos Castro, já que não reclamam.
O TEMPO É O SENHOR DA RAZÃO
Os mestres das redes públicas de ensino têm todos os direitos de usar e abusar da Constituição quando declaram greve, reivindicando o refrão de sempre: “melhores condições de trabalho, das escolas e reajuste de salários”, com aval de seu sindicato, que muitas vezes envereda pela política, distorcendo o movimento, nem sempre justo. Abandonam as salas de aula para andarem a pé pelas ruas, impedindo o trânsito de veículos e transeuntes, deixando milhares de alunos sem estudar, para o Brasil continuar sendo apontado, por institutos de pesquisas, como um dos países de pior ensino do planeta. Ruim quando a Justiça declara do movimento grevista (72 dias) ser ilegal, não acatam a decisão, desrespeitam serventuário do Judiciário, cumpridor de um mandato judicial, rasgando e ateando fogo no documento, querendo vencer na marra, sem olhar consequências, como aconteceu em Belém, o que é feio e impopular, assim como ganhar sem trabalhar. Uma greve de professores deve ser vista como coisa séria, não pode ser transformada em banalidade, embora a maioria da opinião pública reconheça serem mal remunerados. Quando a greve é justa e ganha a perlenga no Judiciário, a população aplaude, quando não, recebe a condenação dos pais dos alunos que veem os filhos estudarem (reposição de aulas) no período de férias. As ofensas à honra, impensadas, dirigidas por alguns professores ao competente Secretário de Educação, Helenilson Pontes, simplesmente mostram que o santareno, de origem nordestina, tem razão: não pode consertar em 5 meses o que vem sendo conduzido erradamente por muitos governos. O tempo, diz o povo, é o senhor da razão.
ESQUECERAM A BR-163
O Pará continua encontrando dificuldades do Governo Federal reconhecer a necessidade da conclusão da Santarém-Cuiabá (BR-163), a mais antiga em construção “acima de 50 anos”, nos trechos do Pará. Os de Mato Grosso, há muito tempo terminaram. Aberta no Regime Militar para escoamento de grãos do Oeste brasileiro, pelo porto de Santarém, para o comércio exterior, a cada dia fica mais distante da realidade, pelo descaso da União, por ser o mais importante do país e mais próximo do mercado consumidor, o que implicaria no barateamento do frete e o esvaziamento de vários portos, a começar do de Paranaguá, no Paraná. No último plano logístico do governo, no total de quase 200 bilhões de reais, maior parte recursos da iniciativa privada, a serem investidos em 4 anos, dos 21, destinados ao Pará, a BR-163 (parte localizada no estado) não foi incluída. Enquanto isso, os mato-grossenses ganharam próximo de 400 km de áreas a serem duplicadas, se estendendo até ao porto de Miritituba, em Itaituba. Depois do chute, vem o consolo do Ministério de Planejamento, do trecho paraense, no futuro, vir a ser contemplado. Essa música é antiga, da época da dupla Jararaca e Ratinho.
AVANÇO NÃO ESCLARECIDO
Se tornou banalidade, nas PMs dos estados, oficiais da ativa e reserva, que exercem funções de comando na unidade militar, serem ouvidos, pela Justiça Militar, em processos, acusados pelo Ministério Público Militar, da prática de peculato. No Pará, têm muitos militares de alta patente enrolados com a Justiça Militar, mas os superiores, como bons colegas, deixam o tempo passar para o caso cair no esquecimento, para serem absolvidos, ou a ação arquivada, o que não acontece com cabos e soldados. Bom, né? Em Santarém, no início dos anos 2000, de conhecimento público, ocorreu um dos casos mais cabeludos envolvendo o ex-comandante geral, à época, e um tenente-coronel, (Luiz Fernando) que presidia o Centro Social Interno da PM, mantido por contribuições de 1 a 2% dos soldos dos policiais militares e bombeiros, e os desvios batem acima de 7 milhões de reais (sem correção), compraram um terreno adquirido da desconhecida Ana Claudia Pinto por 170 mil e, 3 dias depois, vendeu à PM, por 850 mil, lucrando 500%, só que até hoje ainda não descobriram onde mora a empresária de sucesso, onde fica o terreno e nem o processo foi julgado. A única certeza é do dinheiro estar escondido. Resta saber onde.
DESAFIOS
Sem contar com recursos do Governo Federal, prefeitos de grandes, médias e pequenas cidades, quase todas do país, estão enfrentando dois grandes desafios, sem contar com a falta de saneamento básico: a construção de cemitérios e um local afastado da área urbana para abrigar o lixo produzido pela população. As prefeituras não têm condições financeiras para construir e aparelhar o aterro sanitário reclamado pelo Governo Federal, o que deve ser a mesma de outros municípios. Santarém enfrenta essa situação: os cemitérios da cidade estão lotados, inclusive 2 situados em áreas periféricas, onde o recurso encontrado tem sido levar os corpos para comunidades de colônias e ribeirinhas. Os de famílias pobres são os mais sacrificados, alguns ficam fazendo coletas para transportar seus mortos. Até quando? O lixão, situado na Colônia Perema, as famílias já correram ao Ministério Público pedindo o fechamento. Os moradores e as escolas ao redor cansaram de conviver com o mal cheiro, que causa incômodo a crianças e pessoas doentes. Culpar quem, por essa situação que ainda vai piorar: o prefeito, o governador? Não! A culpa cabe ao Governo Federal que aplica mal o dinheiro dos impostos pagos pelo povo, preferindo emprestar dezenas de bilhões do BNDES, a juros quase zero, por dezenas de anos, com cláusulas secretas, a países companheiros, com alto risco de calote, do que melhorar a vida dos brasileiros.
COMEÇARAM AS PUNIÇÕES
Em maio (26), o ex-diretor da Área Internacional da Petrobrás, Nestor Cerveró, preso desde janeiro na carceragem da Polícia Federal em Curitiba, foi condenado a 5 anos de prisão em regime fechado pelo crime de lavagem de dinheiro, pelo juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato em 1ª instância, assim, como na sentença, o magistrado confiscou um imóvel no bairro de Ipanema, no Rio de Janeiro, avaliado em 7,5 milhões de reais, que deve ser vendido e o dinheiro devolvido aos cofres da Petrobrás, por ter sido adquirido com dinheiro roubado da petroleira. Como Cerveró ainda é réu noutra ação, por crime de corrupção, suspeito de ter recebido propina de 40 milhões de dólares nos anos de 2006 e 2007 pela contratação de navios sonda, neste, deve pegar uma pena mais alta. Nada a nada, os assaltantes do dinheiro do povo começam a ser punidos. A grande curiosidade de quem acompanha essa novela é saber a quantos anos vai ser condenado o Renato Duque, ex-diretor de Serviços Gerais por 13 anos, que cobrava comissão de 3% nos contratos das empreiteiras com a estatal e repassava ao PT, segundo os delatores da Lava Jato. Vamos aguardar pra ver.
CPI DA BOLA NO PARÁ
O jovem e atuante deputado Thiago Araújo (PPS), filho de um conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM), solicitou à direção da Assembleia Legislativa o resultado de uma CPI, aberta em 2013 com a finalidade de apurar denúncias de irregularidades que vinham ocorrendo na Federação Paraense de Futebol (FPF), presidida, há quase duas décadas, por um coronel PM da reserva, Antônio Nunes que, à época, foi alvo de pesadas acusações de desonestidade pelo ex-senador Mário Couto (PSDB) que, parada, não deve ter chegado a lugar algum, devido a brigas paroquiais entre bancadas. O deputado quer que seja reaberta, presidir e fazer um trabalho com isenção, já que a entidade recebe dinheiro público do Governo do Estado, como patrocínio do Campeonato Paraense. Caso o Thiago materialize sua intenção e a CPI ressuscite, os deputados vão ver o tamanho da mina administrada pelo coronel, quase dono da federação.
ATOS E FATOS
EMPREGO – De janeiro a fins de abril, o Brasil perdeu mais de 130 mil postos de trabalho com carteira assinada, principalmente na construção civil, indústria e comércio. Até final do ano, a previsão é de 1 milhão de desempregados. – INFLAÇÃO – No embate contra a inflação, quem mais sofre é quem ganha menos. O brasileiro trabalha, em média, 96 horas por mês para comprar a cesta básica, produtos como arroz, feijão, carne e óleo, são 12 dias no mês para uma jornada de 8h/dia. A situação tende a piorar. Se não virar faquir, vai morrer como herói. De fome – HOMEM DE “MUITA SORTE” – O companheiro, ex-presidente Lula, maior responsável pela situação que passa o Brasil, tem sido um homem de muita sorte. Várias construtoras envolvidas na gatunagem aos cofres da Petrobrás, investigadas pela Operação Lava Jato, pingam, de quando em vez, ao Instituto Lula, a título de contribuição e doações, milhões de reais, principalmente a construtora Queiroz Galvão. Lula justifica ser fruto de conferências que faz no exterior. Tá! – TOP MODEL – A companheira Dilma quer ficar com corpo de modelo. Para ganhar silhueta e cintura, passou a se exercitar pedalando por 2 horas uma bicicleta, perdeu 15 kg. Mas os fabricantes do brinquedo da presidente se queixam que, em maio, as vendas caíram 9%. Será verdade?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *