Informe RC

SÉRGIO MORO QUE SE CUIDE- I

Comentário do cineasta, escritor e jornalista, Arnaldo Jabor, acerca da situação que atravessa o país.

Amigos ouvintes, eu acho que o José Sarney, assim como o Maluf, é imortal. Isso. Ele sempre aparece na hora de renovar o atraso político do país, já que ele não tem mais nada para fazer prejudicando o Maranhão. Ele já disse aos inimigos da verdade o seguinte: “o Sérgio Moro sequestrou a Constituição e o país, por isso o Supremo Tribunal Federal não pode se apequenar”. Claro que ele não pensa um segundo nessa afirmação sobre o país que ele ajudou a apequenar, ele pensa é claro em sua filha e seu filho, envolvidos em investigações da Justiça. Ele e outros soldados da marcha ré do Brasil estão querendo anular a Operação Lava Jato com pretexto que já funcionou em operações menos famosas da Polícia Federal, como a Operação Castelo de Areia, que tinha prendido executivos da Camargo Correa, e a Operação Boi Barrica, que foi encerrada, onde estavam investigando o seu filho Fernando Sarney.

SÉRGIO MORO QUE SE CUIDE- II

Os advogados e uma manada de políticos unidos pelo medo   estão tentando que os tribunais superiores cancelem a Lava Jato, garimpando pequenos detalhes da investigação que possam encerrar o processo mais importante da história do Brasil. Já estão formando tropas para isso e estão em contato com os ministros, como o Levandovisk, que mostraram solidariedade  aos réus do Mensalão. O Sérgio Moro que se cuide, pessoalmente, bem protegido, porque essa gente não perdoa. Agora, se esses sujeitos conseguirem um crime adicional de interromper a Lava Jato, as marchas que vêm aí, como a do dia 16 de agosto, vão virar multidões na Praça dos Três Poderes.

VAI VETAR

A presidente Dilma Rousseff, pela 1ª vez, reconhece precisar de ajuda para continuar no poder e esbravejar, não largar de jeito nenhum, diante de uma baixa aprovação (9%) de seu governo por parte da população. A pior, entre colegas da América Latina. O do Haiti está em situação melhor, assim como o ditador da Venezuela, seu apadrinhado, Nicolau Maduro. A excelência anunciou que vai vetar o reajuste aprovado pelo Congresso Nacional no Projeto de Lei que concede, aos servidores do Judiciário, variando de 53 a 78,56%, de acordo com a função exercida, que seriam pagos de maneira escalonada em seis vezes, de 6 em 6 meses, de julho de 2015 a dezembro de 2017, com um custo de 25 bilhões de reais, como paga ao reajuste que não tiveram de 2009 a 2012. O presidente, do Supremo Tribunal Federal, e os ministros, defendiam a aprovação do pagamento. A presidente alega, para o veto, do momento ser insustentável diante da situação econômica que passa o país. Os brasileiros estão dando sua participação para tirar o Brasil do fundo do poço, colocado pelos governos do PT, vindo do ex Lula, mas o governo não faz a sua, num momento em que emite sinais de socorro, que seria reduzir o número de ministérios de 39 pra 20 e abrir mão de parte dos mais de 100 mil cargos dados a companheiros, declarado pelo senador Renan Calheiros. Como continua gastando mais do que arrecada, o barco vai afundar. Não têm ajustes fiscais e nem Joaquim Levy que dê jeito.

OS BANDIDOS REINAM

Pela sua posição geográfica, com o município oferecendo muitas entradas e saídas, Santarém, há muito tempo, é considerada, por traficantes de drogas e “empresários” do ramo de veículos roubados (carros e motos), ou financiados a laranjas nos estados vizinhos, como um Paraíso, e local seguro para exercerem suas atividades comerciais criminosas, abrangendo todos os municípios do Oeste paraense. Na 1ª semana do mês, a Polícia Civil, em parceria com colegas do Amazonas, desbaratou uma quadrilha interestadual que operava com carros de luxo roubados, onde apreenderam 6, e a suspeita é que mais de 20 tenham sido desovados. Agora, a bandidagem ampliou seu raio de ação, voltou a invadir residências, a exemplo do ocorrido com a do médico Erik Jennings, cobrindo os rostos com lençóis, fazendo familiares reféns, com armas nas cabeças, ou trancados numa das dependências do imóvel, roubando o que encontram de valor, fugindo no veículo das vítimas. Outros, durante o dia e madrugadas, invadem escritórios, residências, transeuntes (bolsa, dinheiro e celular) e comércios, onde sentem que não serão surpreendidos. Nas periferias, a partir das 20h, onde reina a escuridão, e ausência da Polícia é total, a situação é pior. Deve ser ruim não ter a quem reclamar. Qualquer esperança da prisão dos ladrões é perdida, já que a Polícia pouco soluciona as ocorrências.

LULA SAIU DA TOCA

O ex-presidente Lula, apesar de citado dezenas de vezes por delatores da Operação Lava Jato como envolvido no assalto aos cofres da Petrobrás, iniciado no seu primeiro mandato (2003-2006), assim como o do Mensalão, em 2013, continua passando distante das acusações, sem ser incomodado por promotores da Justiça Federal e pelo juiz federal Sérgio Moro, no que não se conforma maioria das pessoas esclarecidas que falam, abertamente, ainda estar faltando um para ser investigado, que seria o companheiro Lula da Silva. Semana passada, o ex-presidente protocolou queixa-crime no Supremo Tribunal Federal contra o senador Ronaldo Caiado (DEM/GO) por ter postado, em seu Facebook, que sua turma de companheiros, aos quais chamou de bandidos, foi pega roubando a Petrobrás e usar o falso Movimento dos Sem Terras, sem identidade jurídica, para promover badernas. O exposto pelo senador goiano, reiterado depois da reação do “atingido”, é o mesmo feito por milhares de nacionais que usam redes sociais para afirmar do Lula ser inocente em sentido contrário, acostumado a não ouvir e nem ver nada.

CONGRESSO NACIONAL BICHADO

Pesquisa encomendada pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) ao Instituto Datafolha mostra que a população não acredita na maioria das instituições. Os três 1ºs lugares são ocupados pelo Congresso Nacional, Presidência da República, ministérios, com a exceção do da Fazenda, ocupado por Joaquim Levy. Nada a estranhar, já que a presidente detém 9% de aprovação popular               e das emendas parlamentares liberadas, divulgadas publicamente, se tornam objeto de trocas em transações condenadas pela Justiça. Início de julho, a Justiça Federal, em Brasília, atendendo solicitação do Ministério Público Federal, decidiu tornar o presidente do Senado Federal, Renan Calheiros, réu em processo de improbidade no qual é acusado de receber propina da construtora Mendes Junior, por apresentar emendas que beneficiavam a construtora e outras práticas desonestas inseridas no Código Penal, o que torna impraticável sua permanência para presidir a instituição, a qual renunciou em 2007 para não ter o mandato cassado.

APOSENTADO SOFRE

Numa sessão tumultuada, o plenário do Senado Federal aprovou, à emenda incluída na Câmara Federal, a Medida Provisória que prorroga até 2019 o atual modelo de reajuste do salário mínimo, estendendo a regra às aposentadorias acima de 1 mínimo, devendo ser vetado pela presidente que já anunciou o seu propósito para salvar a Previdência Social da quebradeira futura, anunciada pelo atual ministro da pasta. A matéria deve retornar ao Senado para nova apreciação, onde senadores chapa branca, que não dispõem de familiares percebendo proventos, para assegurarem as sinecuras, tentarão aprovar a Medida Provisória, assim como foi enviada pela companheira Dilma, sem as emendas inseridas, o que prejudica dez milhões de famílias recebendo acima de 1 mínimo, que nos governos petistas, de 2003 a 2015, vêm sendo garfadas, recebendo menos de 60% dos reajustes dados ao mínimo como ganhos reais, mas não são. A esperança é da emenda ser mantida. Aumento igual para todos. Caso a maldição governista se materialize, a culpa é do governo federal que deixou a Previdência a Deus dará, fazendo pagamentos inconstitucionais, alheios a sua finalidade, sem condições de segurar 9 bilhões anuais, enquanto várias vezes que isso é desviado mensalmente dos órgãos do governo, a exemplo do acontecido com a Petrobrás.

CONTINUAM ABANDONADOS

Assim como as eleições municipais de 2016 se aproximam, o dia mundial destinado aos vivos para reverenciar e lembrar seus mortos está mais perto. O prefeito Alexandre Von (PSDB), candidato à reeleição, que não deve ter a quem visitar nos cemitérios dos Mártires e São João Batista, na área central da cidade, relegados ao abandono, embora o gerenciamento dos mesmos façam parte do organograma de sua administração, devia fazer uma visita ao local, principalmente no dos Mártires, e ver a sujeira e o matagal tomando conta dos chamados campos santos, quase virando florestas, e das antigas passagens, maioria delas ocupada por novas sepulturas, feitas na base do jeitinho, “ordem de cima”, burlando a proibição da Justiça, impedindo a passagem da parentada e amigos em dias festivos, e ver o que pode ser feito pela Seminfra para que, às vésperas do dia 2 de novembro (Finados), estejam limpos e os visitantes possam localizar onde os entes queridos foram sepultados.

VIDA CARA

Para o IBGE, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), com dados colhidos mediante pesquisa na maioria das capitais brasileiras (18), mostrou da inflação de junho, divulgada pelo Departamento Intersindical de Estatística e de Estudos Socioeconômicos (DIEESE), ter sido a maior do país desde 1996 e de em Belém e região Metropolitana a cesta básica (alimentos para uma família de baixa renda com 4 pessoas) ser a mais cara, comprometendo quase metade do salário mínimo de R$788,00, perfazendo um aumento de 6,17% nos 6 primeiros meses do ano, podendo ficar acima de 12%, até final de dezembro, o dobro da previsão prevista pelo Governo, o que mostra das famílias brasileiras (maioria da população), viverem na corda bamba, sem condições de driblarem a inflação. Segundo cálculos mais otimistas, quem mais sofre e vai continuar sofrendo, até fins de 2016, são os que vivem de salário mensal, se não estiverem desempregados, já que os economistas do governo não sinalizam luz no fim do túnel e da companheira Dilma continuar a gastar acima do que arrecada. Se em Belém, em junho, teve o mais alto custo de vida do país, calcule a situação em Santarém e nas cidades do Oeste paraense. Mas a companheira Dilma continua afirmando ter, junto com o ex Lula, tirado 40 milhões de famílias da linha da pobreza, hoje pertencentes à classe média. Quem acredita?

CRIAÇÃO DE MUNICÍPIOS

Está na pauta do Senado Federal, para ser apreciado até o final desta semana, quando encerra suas atividades, entrando em recesso para reiniciar início de agosto, a votação do projeto, apadrinhado pelo eficiente senador Flecha Ribeiro (PSDB), que regulamenta procedimentos para fusão, incorporação e desmembramentos para a criação de novos municípios, mediante Estudos de Viabilidade Municipal para garantir que a área a ser desmembrada, arrecade recursos necessários para se manter e não ser mais um para servir de cabide de empregos e viver às custas dos repasses constitucionais do Estado e da União, como ocorre com a maioria dos quase 6 mil municípios brasileiros. A companheira Dilma, por duas vezes, vetou essa pretensão, alegando da medida poder causar desequilíbrios aos recursos estaduais. Caso venha a ser aprovado, mais uma vez deve ser vetado. Deviam aumentar o número de estados, 27 é pouco para, numa área de 8.500.000 km². Por essa imensidão é que o Brasil se torna casa da mãe Joana para o tráfico de armas e drogas, e eliminar municípios deficitários que vivem à custa da União.

ATOS E FATOS

MÁ GESTÃO – Para o ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, que participou de um encontro em Belém, a convite do Tribunal de Contas do Estado, a má gestão é uma das causas da corrupção que campeia no país. – ADVERTÊNCIA – o ex-ministro aposentado do Supremo, Joaquim Barbosa, advertiu a presidente Dilma, quanto à sua declaração de não respeitar delator: atentar contra o bom funcionamento do Poder Judiciário é crime de responsabilidade. – FALTA EDUCAÇÃO – Do arcebispo Dom Orani Tempesta, logo após ser assaltado e roubado pela 2ª vez: são efeitos de um país que precisa tratar bem de suas crianças, da Educação. E olhem que o slogan do governo é Pátria Educadora, imagine se não fosse. – BOM ADVOGADO – Do ministro Augusto Nardes, presidente do Tribunal de Contas da União, relator das contas de 2014 do governo Dilma, onde encontrou 13 pedaladas: o governo não precisa de um debate político, mas sim de um bom advogado. – VOLUME MORTO – Da companheira Dilma, respondendo às críticas de seu criador, ex-presidente Lula, maior culpado da situação que atravessa o Brasil: ele tem todo o direito de dizer onde está e eu, onde estou. Mas não me sinto no volume morto, não. – EM BAIXA – Da presidente Dilma ao saber de sua baixa aceitação junto à população, divulgado por instituto de pesquisa: a popularidade é minha e faço com ela o que quiser._ APOSTA _ Tem gente apostando qual das duas obras vai acabar 1º: a ampliação da estação de cargas e passageiros do aeroporto Wilson Fonseca ou a revitalização da Praça Tiradentes?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *