Informe RC

DIÁLOGO DE ENFORCADOS

Quando de sua viagem a Suécia e Finlândia, com objetivo de fazer negócios, a companheira Dilma, numa reunião com empresários dos dois países, disse que o Brasil tem uma economia estável e que seu governo trabalha para resolver problemas fiscais e reduzir a inflação. Mentira. Ao contrário, economicamente, passa o pior período de sua história. A presidente, questionada quanto à situação do presidente da Câmara dos Deputados, dep. Eduardo Cunha (PMDB-RJ), apontado como dono de contas secretas abertas na Suíça, com dinheiro roubado da Petrobrás, respondeu: “lamento que tenha sido um cidadão brasileiro”. Do Brasil, o deputado ironizou: “não sabia que a Petrobrás não era do governo” e do governo ter o maior escândalo de corrupção do mundo. O que foi prontamente rebatido: “o meu governo não está envolvido em corrupção na Petrobrás”. Mentiu pela segunda vez. O que a Operação Lava Jato está fazendo? Apurando o roubo na petroleira. Esse diálogo de enforcados a mais de 10 mil km de distância, na época em que a comunicação é instantânea, envergonha o Brasil.

ÁGUA! FOGO!

Órgãos de segurança nos estados continuam debitando a mãos criminosas parte dos incêndios, queimadas, destruição de ônibus e paralisações de trens e metrôs, que ocorrem quase que semanalmente em vários pontos do território nacional            , onde governos investem milhões de reais para debelar fogo e colocar máquinas nos trilhos, para evitar depredações. Vamos às duas maiores que ocorreram e, uma, ainda está acontecendo no país. No Rio de Janeiro, pela segunda vez, um incêndio de origem criminosa destruiu parcialmente uma estação do BRT (Transporte Rápido por Ônibus), ocasionando dezenas de vagões de trem a pararem e saírem dos trilhos. No Maranhão, há quase 60 dias, um incêndio já consumiu, reduzindo a cinzas, 45% da reserva indígena Arariboia (415 mil ha), atingindo 143 aldeias, com perto de 8 mil índios, onde próximo a 300 pessoas, fora centenas de índios, trabalham com ajuda do Corpo de Bombeiros, Ibama, helicópteros e aviões despejando água, ainda não conseguiram debelar o fogo. O cacique de uma das tribos imputa a madeireiros a autoria do incêndio criminoso.

ACABARAM COM O BRASIL

Para telespectadores politizados, despidos de paixão por partido, que acompanham diariamente noticiários dos canais de TV, as opiniões de economistas que ocuparam cargo de relevo no Governo Federal em administrações anteriores e de ocupantes do atual nos ministérios da Fazenda e do Planejamento, inclusive Joaquim Levy, acerca da situação difícil que passa o país com a inflação alta, desemprego acelerado, quebra de vendas no comércio em geral e a desaceleração das indústrias, diminuindo a produção, casas comerciais fechando as portas, chegam à conclusão que os governos do PT, Lula e Dilma, com a oficialização da gatunagem, acabaram com o Brasil e quebraram a Petrobrás, e da situação angustiante que passa o povo brasileiro, não tem previsão de acabar tão cedo. Os mais otimistas listam o ano de 2017 para começar a melhorar. Assim mesmo, se forem aprovados ainda este ano pelo Congresso os reajustes fiscais, propostos pelo Ministro da Fazenda, que encontra forte oposição dos cardeais do PT. Toda a demora pode ser fatal. Navio grande ou pequeno entrando água afunda.

CORTES NOS GANHOS

Justo do prefeito Alexandre Von buscar uma saída para contrabalançar as perdas do município nos repasses constitucionais da União, em função da queda na arrecadação federal, que atinge estados e municípios, maioria sem condições de pagar o 13º salário mês que vem. Mas mexer nos ganhos de quem produz, como compensação, não é o melhor caminho, já que é candidato à reeleição nas municipais de 2016 e disputa como vencedor devido a pobreza eleitoral de votos de seus prováveis concorrentes. A imprensa e vereadores de situação divulgam que servidores municipais vão ter salários e gratificações cortados, principalmente os da secretaria de Saúde, atingindo o Hospital Regional, aberto 24h, gerando descontentamento, o que pode prejudicar o atendimento à população, quando o hospital é motivo de constantes reclamações em programas de rádio de grande audiência, maioria injusta. O prefeito devia rever a situação dos serventuários da Saúde e dispensar ou cortar em 70% os ganhos de assessores, os famosos “aspones”, que não assessoram porra nenhum e nem prestam serviços à Prefeitura. Mexer nos bolsos de quem produz é desumano.

ESTELIONATO ELEITORAL

O ex-presidente Lula culpou (28/10) sua sucessora da operação da Polícia Federal, ordenada pela Justiça, que cumpriu mandato de busca e apreensão nas rendosas empresas (três) de “marketing esportivo”, com o mesmo endereço, de seu filho caçula que, em pouco tempo, recebeu quase 10 milhões de reais em “serviços de lobby e consultoria” a uma empresa envolvida em complicação de bilhões desviados da Receita Federal. O menino do ex deve ter sido aluno do Zé Dirceu, preso pela mesma prestação de serviços feitos a empresas envolvidas no assalto a Petrobras. Na quinta (29/10), na reunião do Diretório Nacional do PT, em Brasília, em discurso, voltou a criticar a sua criação, textuais: “a crise política, no país, se intensificou pela mudança no discurso da companheira Dilma, que está fazendo, no governo, o que afirmou que não faria enquanto tentava mais um mandato. Nós fizemos muita coisa errada, isso é um problema sério porque ganhamos as eleições com um discurso e, depois das eleições, nós tivemos que mudar o discurso, fato conhecido da população e da nossa amiga presidente”. Sendo assim, como reconhece o ex, Lula da Silva, a oposição ao PT tem razão quando afirma ter sido vítima, em 2014, de um estelionato eleitoral.

SE QUEIXAR A QUEM?

O polêmico padre Edilberto Sena tem razão quando afirma da construção (1999) do terminal de grãos da americana Cargill na área urbana da cidade, em terras antes pertencentes à Companhia Docas do Pará, vizinha ao porto da CDP, sua movimentação causa impactos ambientais. Esse descaso do poder público municipal, permitindo a edificação da Cargill em local errado, tirou dos moradores ao redor um espaço de lazer, a praia da Vera Paz e seu campo de futebol, que vão dar lugar à construção de silos para armazenamento de grãos vindos de Mato Grosso. O padre Edilberto, eficiente fiscalizador de crimes contra a natureza em Santarém, devia fazer uma visita ao bairro do Uruará e ver os estragos que a multinacional causou a centenas de famílias ali residentes. Construiu um porto de embarque e desembarque, por onde entram e saem centenas de containers, com aproximadamente 600 m² concretados, do início da antiga Avenida Antônio Simões (bisavô do médico Erik), que destruiu, fechando toda a extensão da praia, entrando no Rio Tapajós, impedindo o direito de ir e vir de transeuntes, assegurado pela Constituição. Isso não só depreda o meio ambiente, como é crime. Se queixar a quem? Ao bispo? Não! Ao Secretário Podalyro? Também não! Ao padre Edilberto, que põe a boca no trombone.

BADERNA

Na última semana de outubro (27/10), pessoas desocupadas que vivem a custa do dinheiro do governo federal, pertencentes à FETAGRI (agricultura familiar), acampados há mais de mês em frente ao Palácio Buriti, sede do governo do Distrito Federal em Brasília (1500 famílias), vindos de vários pontos do país, teleguiados por integrantes do falso movimento social dos Sem Terra, cerca de 300 companheiros militantes pau mandados, invadiram o prédio do Incra, arrombando portas, quebrando vidraças, impedindo entrada de funcionários e exigindo a presença do ministro do Planejamento e da presidente nacional do Incra. O que queriam? Pedir a Reforma Agrária no país e a produção de alimentos limpos, sem agrotóxicos, e cobrar da companheira Dilma que disponibilize recursos de imediato para assentamentos de 120 mil famílias em todo o Brasil, que prometeu, em sua campanha de reeleição em 2014. Como pedem destruindo, sem pagarem prejuízos, não são responsabilizados e nem levados ao Distrito Policial para serem advertidos, esse tipo de palhaçada virou banalidade.

DEMORADA

Quatro anos em construção é muito tempo. Iniciada em 2011, quando prefeita, a ex, Maria do Carmo, deve haver uma motivação para não ter sido dada como concluída e entregue aos futuros moradores as 3.001 unidades residenciais na rodovia Fernando Guilhon, financiadas pela Caixa Econômica Federal do Programa Minha Casa Minha Vida, destinadas a famílias de baixa renda. Pessoas versadas em engenharia comentam que, por parte da empresa responsável pela obra, não houve um estudo de preparação do terreno antes do início da construção, e breve, ou mesmo neste inverno, com chuvas de janeiro a junho, vão causar problemas e dar dor de cabeça para a Caixa e mutuários, por não terem, até o momento, concluído os serviços de drenagem para dar vazão às águas. Como não tem nada a oferecer aos moradores e fica distante de tudo, o medo é que, no futuro, o conjunto vire favela.

PODE CHEGAR A SEU FINAL

A cidade de Alenquer sempre foi conhecida, pelos ximangos, como terra dos contrastes. Exemplo entre dezenas: Marechal era tocador de trombone; Gerente, carregador de água; e o Hércules, atrofiado; e vereadores, quando eleitos, negociavam com os prefeitos apoio no Legislativo para aprovarem matérias de interesse da administração a troco de dinheiro ou de empregos de assessores a familiares, sem executarem atividade alguma. Assim vinha sendo feito há mais de 60 anos, até chegar no atual, bicassado pelo TRE, Flávio Marrero, visto, pela população, como o mais corrupto e pior de sua história desde a fundação da cidade. A fama ruim dos legisladores mirins pode chegar ao seu final. De uma Câmara Municipal, composta por 15 vereadores, 11 resolveram dar o Grito da Independência em favor de Alenquer, e a palavra que deram, empenhada publicamente, não seja sinônimo de cachorrada, caso alguns voltem atrás. Em outubro, os 11 aprovaram emenda à Lei Orgânica do município e, no dia 6, os mesmos 11 vão protocolar, no setor jurídico da Câmara, o pedido de afastamento de Marrero por 120 dias para formar uma CPI e apurar atos de improbidade administrativa existentes em todos os setores da quase finada administração.

TUDO LEGAL

O enrolado presidente da Câmara Federal, dep. Eduardo Cunha (PMDB/RJ), onde conta com mais de uma centena de adeptos, distribuídos pelas Comissões Internas da casa, nas quais tem ampla maioria, a começar da Mesa Diretora, está sendo acusado por colegas, que não rezam na sua cartilha, de estar atrasando o andamento dos processos contra ele no Conselho de Ética e na Corregedoria, que deve ficar para o ano que vem. Mas declarou que o pedido de impeachment contra a presidente Dilma, protocolado em outubro, elaborado pelos juristas Hélio Bicudo (ex-fundador do PT) e Miguel Reale Jr., foram cumpridas todas as exigências para estar legal, como cópia dos decretos que embasam a tese das pedaladas praticadas ainda este ano, vai decidir, no início desse mês, se aceita ou não de acordo com o Regimento, para dar andamento no processo. Embora esse remédio jurídico seja legal, próprio de países democráticos, como declarou o presidente do Supremo, seus efeitos são dolorosos.

VIDA DEDICADA AO CRIME

Com 50 anos de idade, 30 vivendo no mundo do crime, desviando da Polícia e da Justiça para não ser presa, especialista em golpes com cheque, cartões de bancos, empréstimos falsos e a venda de carteiras de motorista, era considerada hábil estelionatária. Dona de uma ficha criminal com mais de 50m de comprimento, 17 mandatos de prisão por estelionato e falsificação e quase 200 processos que podem lhe render mais de 100 anos de prisão. Era a golpista ou estelionatária mais procurada do Brasil, e há mais de 10, pela polícia paulista. Tropeçou onde menos esperava, no crime que mais praticou, foi presa no segundo semestre de outubro no interior de Santa Catarina por ter praticado uma infração no trânsito e identificada ao receber uma multa como foragida e procurada pela Polícia.

ATOS E FATOS

CORRETOS – Do presidente do Supremo, Ricardo Lewandowisk: “O Judiciário, no Brasil, é hoje um pilar da democracia do estado democrático. O que está ocorrendo aqui e agora é resultado da independência de nossos juízes”. – CRISE – Em menos de ano, 550 mil brasileiros desistiram de planos de saúde por não terem dinheiro para pagar. – DESCENDO A LADEIRA – Do conceituado jornalista Ricardo Noblat: “enquanto Dilma Rousseff e Eduardo Cunha lutam por seus mandatos, o país desce a ladeira”. – PSICOPATA – Opinião do dep. federal Jarbas Vasconcelos (PMDB), analisando o seu colega de partido, presidente da Câmara: “ele é um psicopata. Não se confia numa pessoa sem caráter como ele”. – NÃO ACREDITA – Do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ): “não acredito na aprovação da CPMF, mesmo que o governo tenha a base mais azeitada possível. Dilma saiu de bicicleta e virou uma motocicleta”. Do ex- presidente Lula, ironizando a presidente por não cumprir ordens: “se a Dilma quer ficar com Joaquim Levy, ela fica; se quiser tirar, ela tira. Eu vou continuar apoiando para o governo dar certo”. Tá! – AVISO – Do procurador geral da República: “não adianta esconder bens fora do Brasil que a gente descobre”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *