Câmara convoca diretor do NGO para esclarecer sobre obras

Emir Aguiar convocou Geraldo Bitar
Emir Aguiar convocou Geraldo Bitar

Além do vereador Emir Aguiar, que foi autor do requerimento, participaram da reunião os vereadores Erasmo Maia (DEM) e Ronan Liberal Júnior (PMDB). De acordo com Aguiar, o encontro serviu para que o diretor do NGO informasse ao Poder Legislativo o teor do convênio que tem como agentes participantes: Ministério das Cidades; Caixa Econômica Federal e prefeitura municipal de Santarém, tendo como objeto, obras de pavimentação e drenagem de vias urbanas.
O diretor geral do Núcleo de Gerenciamento de Obras (NGO), Geraldo Bitar esclareceu aos vereadores presentes à reunião, que as obras de pavimentação e drenagem de vias urbanas, é um investimento no valor estimado em 22 milhões de reais. Segundo ele são obras consideradas importantes para a melhoria da infra-estrutura do município.
Bitar disse que a Casa de Leis tinha uma série de dúvidas com relação ao valor dos contratos, seleção das vias como se dá e quais as que vão receber drenagem. “E o cronograma de execução que nós vamos apresentar com mais detalhes atendendo ao encaminhamento feito ao vereador Emir Aguiar”, confirma Bitar.
Com relação à conclusão de algumas obras o diretor geral do NGO, disse que estão previstas conclusão de obras de esgoto do PAC 1, que deverá se dar entre o final de novembro e inicio de dezembro.
Com relação ao Hospital Materno Infantil, obra que está em andamento e que como admite o diretor geral do NGO, está lenta por falta de repasse de recurso financeiro do governo federal. Ressalta que a contrapartida por parte do município nunca faltou, não só para o Hospital Materno Infantil, como para outras obras.
“Não é por falta da contrapartida do município que algumas obras não são concluídas dentro do prazo, elas sempre são atrasadas, por conta da falta de transferência de recurso do governo federal”, sustenta Bitar.
Com relação a Avenida Anysio Chaves, Bitar entende que não deverá haver interrupção devido não ser financiada com recurso da união. “É um financiamento feito direto ao município”, esclarece.
Fonte: RG 15/O Impacto e CMS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *