Perigo – Árvores centenárias da Praça da Matriz ameaçam desabar

Árvore centenária ameaça desabar
Por falta de cuidado, árvore ameaça desabar

Preocupadas com o risco ocasionado por várias árvores centenária na Praça Monsenhor José Gregório (Praça da Matriz), comerciantes e moradores das proximidades cobram soluções por parte da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma). Diariamente, centenas de pessoas transitam no local, o que para os comerciantes, devido as árvore estarem apodrecidas, os riscos de acidentes se tornam grandes.
Em dezembro de 2014, durante um forte temporal um benjaminzeiro, localizado na Praça da Matriz, em frente à Igreja, com mais de 100 anos, não resistiu e foi abaixo.
Segundo trabalhadores e freqüentadores da Praça da Matriz, as árvores centenárias que existem no local estão depreciadas pelo tempo, por falta de um cuidado melhor pelo poder público. “Esse foi só aviso. Com esse vento forte que desabou já derrubou uma árvore. Imagine quando o inverno estiver a todo vapor. O perigo será maior”, disse, na época, o empresário Hebert Farias (Cacheado), proprietário da Garapeira Ypiranga.
Por pura sorte a árvore caiu na madrugada, pois o local é passagem de muitas pessoas, bem como trabalhadores (marreteiros e taxistas) fazem da Praça seu local diário de trabalho.
Uma das árvore, que ficava próximo à Catedral de Nossa Senhora da Conceição e à Receita Federal caiu no meio da rua e, para não atrapalhar o trânsito, o Corpo de Bombeiros teve que serrar para retirá-la do local. Segundo o Corpo de Bombeiros, ninguém ficou ferido.
Em 2013, duas arvores foram retiradas porque estavam tomadas por ervas de passarinho, uma praga que afeta vegetais e se alimenta dos nutrientes, podendo matá-las. As árvores são históricas e abrigam pássaros e proporcionam sombra e clima agradável naquela área da cidade.
Após a queda da arvore, a Secretaria Municipal de Agricultura e Incentivo a Produção Familiar (Semap) garantiu que iria realizar um estudo para identificar quais árvores precisariam de reparos ou substituição em vários locais públicos de Santarém.
“Já temos um projeto junto com o Instituto de Desenvolvimento Florestal (Ideflor), Ufopa e Secretaria de Meio Ambiente para realizar uma arborização nova no município. Estamos em fase de elaboração do projeto verificando as espécies que vão ser cultivadas. Em breve, vamos estar iniciando esse projeto, mas sempre acompanhando também a questão dessas árvores mais antigas”, explicou, em dezembro de 2014, o titular da Semap, Rosivaldo Colares.
Segundo o Secretário, seria difícil de identificar se uma árvore, independentemente da idade, já estivesse prestes a cair. “Como não cavamos para ver, muitas vezes, o tombamento delas acontece em virtude do problema na raiz e esse que é o mais difícil. Às vezes, a árvore está boa ainda na parte de cima”, completou Colares.
Essas árvores foram plantadas no século XX como forma de melhorar o paisagismo do lugar. No local, há várias outras árvores centenárias de grande porte, estando a maioria com a raiz tomada por cupins.
Pelo visto, até a presente data a promessa feita pelo secretário Rosivaldo Colares não foi cumprida, pois as árvores centenárias continuam sofrendo as intempéries do tempo, sem qualquer cuidado por parte da Secretaria Municipal de Agricultura e Incentivo à Produção e estão ameaçadas de cair, podendo atingir veículos e pessoas que circulam pelo logradouro público.
Por: Manoel Cardoso
Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *