Mototaxistas participam de reunião na prefeitura de Santarém

motoat
Grupo de mototaxistas credenciados em frente ao prédio da Prefeitura de Santarém.

Na manhã desta sexta-feira (4) representantes do Sindicato dos Condutores Autônomos de Mototaxistas do Município de Santarém (Sicams) estiveram reunidos com autoridades locais para discutir alternativas para o combate ao serviço clandestino do transporte de passageiros por motocicletas em Santarém. A ocasião contou com a presença da Policia Militar, Polícia Rodoviária Federal, o chefe de gabinete da prefeitura, Jaci Barros, o Procurador jurídico da Secretaria Municipal de Transito (SMT), André Lisboa, e a Presidente do Conselho Municipal de Trânsito, Marta Zoraivia.

Durante o andamento da reunião, dezenas de permissionários estiveram presentes na frente do Palácio Jarbas Passarinho, sede do governo municipal e local do evento, para dar apoio as reivindicações da classe. Após o termino das negociações, ficou acertado que o grupo de trabalho composto por representantes do Sicams e demais autoridades presentes , passa a ter um cronograma definido de trabalho e de ações que visem o aprimoramento do serviço de mototaxi autorizado nas ruas da cidade, além de um combate mais efetivo para aqueles que operam de maneira clandestina, buscando alternativas, de acordo com o que determina a legislação que regulamenta o serviço. “A reunião foi produtiva e já define um cronograma para o grupo de trabalho. Apesar de tantas reuniões que já fizemos para debater o assunto, esta foi a mais produtiva. Já estamos montando estratégias para o combate ao serviço clandestino e logo botaremos algumas delas em prática de imediato”, declara José Raimundo da Silva, presidente do Sicams.

Para a representante do Conselho Municipal de Transporte, há um consenso de todos que o serviço clandestino das motos deve ser melhor fiscalizado e combatido, pois o prejuízo causado por ele é grande em todos os sentidos, seja ele pela deslealdade aos que atuam de maneira legalizada, ou pela questão de saúde pública, uma vez que o aumento do número de motos conduzidas por pessoas não autorizadas pode contribuir para o aumento de acidentes. Para atingir este anseio, o grupo de trabalho montado quer efetivar ações o mais rápido possível. “Ficou definido que haverá um combate ao transporte clandestino de passageiros. A equipe de trabalho que deve viabilizar isto e está se organizando para combater este problema e tentarmos diminuir os problemas relacionados à clandestinidade.” Uma nova reunião deve acontecer na quarta-feira (9), pela manhã, ainda sem local definido, para dar continuidade aos trabalho do grupo.

AMA Tapajós: A Associação de Mototaxistas Autônomos do Tapajós, entidade que reúne condutores que não são permissionários do serviço também estiveram no local. Assim como o Sicams, eles também fizeram reivindicações quanto ao serviço. Para o presidente da AMA, Raimundo Nonato, o principal pedido é que a Prefeitura aumente o número de permissionários atendendo melhor a crescente demanda da população que precisa do transporte e o anseio dos condutores que querem atuar de maneira legal. “Pedimos a prefeitura que possa estudar a possibilidade da abertura de mais vagas para preencher o quadro de mototaxistas da cidade. Foram prometidas mais 500 novas vagas e até o momento não tivemos esta reivindicação atendida. Queremos também um recadastramento de quem oferta o serviço, diminuindo o números de auxiliares e aumentando o número de novos condutores, que podem atuar de maneira legal”, disse Raimundo.

RG 15 / O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *