Distrito de Moraes Almeida foi abandonado pelo poder público

Vereador Peninha faz a denúncia
Vereador Peninha faz a denúncia

Depois de receber várias denúncias do descaso do poder público com o distrito de Moraes Almeida, no município de Itaituba, o vereador Peninha esteve durante três dias visitando aquele Distrito. Segundo relato do edil ao JORNAL IMPACTO, a população clama por melhorias e Peninha lembrou que 2016 é ano de eleições e pedir voto aos eleitores de Moraes Almeida não será tão fácil.

Com uma população de mais de 8 mil habitantes, Moraes Almeida vem sendo soerguida pelo comércio, composto por mais de  100 estabelecimentos comerciais, como supermercados, boutiques, postos de combustível, lojas de material de construção, de peças de automotores e de equipamentos para garimpos e agropecuária, material eletrônicos, revendedoras de motocicletas e bicicletas, além de oficinas mecânicas.

“Enquanto grandes investimentos chegam à região, o poder público a cada dia que passa fica mais ausente”, destacou Peninha

Assim como o serviço do banco postal do Banco do Brasil já está fechado, agora a agência dos Correios, que funciona precariamente, está ameaçando também fechar suas portas. A agência só realiza serviço de entrega de correspondências e de pedidos postais, não despacha uma encomenda. O horário de funcionamento da agência foi restrito das 9 às 12 horas, por conta de apenas um funcionário atendera população.

“A segurança daquela população está sob a responsabilidade de apenas 5 policiais militares que “se viram nos trinta” para manter a paz e fazer as rondas em apenas um veículo”, frisou o vereador. É desumano para estes policiais trabalharem dia, noite e madrugada.

Esta segurança enfraquecida está facilitando a ação de assaltantes em Moraes Almeida, que fica localizada nas margens da BR-163, Cuiabá-Santarém, a 100 quilômetros de Novo Progresso, localização que é favorável à ação de criminosos, sendo que em apenas uma madrugada os bandidos agiram roubando três casas comerciais. Os comerciantes estão apavorados e já pensam em montar segurança própria.

“O distrito de Moraes Almeida é rota da passagem de drogas, criminosos, trafico de armas e carros roubados. Isso posso afirmar, pois em todas as blitz que a Polícia realiza, são apreendidos carros roubados e criminosos presos. Recentemente, a Polícia prendeu um homem que praticou um crime bárbaro em Sinop, no Mato Grosso e que estava empenhando fuga passando por Moraes Almeida. O assassino estava, inclusive, conduzindo o carro da vítima. Porém, sem uma quantidade de policiais suficiente para realizar o trabalho fica difícil combater a ação criminosa na região. Precisa de mais policiais e viaturas”, destacou Peninha. “O local onde funciona o destacamento da Polícia Militar é uma vergonha, um terreno foi doado ao Estado e até hoje o Governo Estadual não construiu”, denuncia.

“Aquele Distrito também está localizado no inicio da Rodovia Estadual Transgarimpeira, estrada que dá acesso aos garimpos e mineração da região e, portanto, o trânsito de pessoas diariamente é intenso. O Poder Público não pode e não deve cruzar os braços, não adianta apenas o ICMBIO ou IBAMA ir àquela região coibir a extração de madeira ou destruir equipamentos de quem está trabalhando ilegalmente dentro de reservas. Este trabalho tem que ser permanente, mas não apenas para reprimir”, declarou o Vereador.

“Precisamos que os governos Federal, Estadual e Municipal marquem presença atendendo a população naquilo que cabe a cada poder. A saúde, por exemplo, é de responsabilidade do Município, mas está precária. A unidade de Saúde está sendo reformada e ampliada há quase quatro anos e nunca foram concluídas suas obras, e com isso o posto de saúde vem funcionando em lugar inadequado. As ruas da vila são outra vergonha: Buraco, lama e poeira! E a população reclama por pagar altos impostos e não ver o retorno destes em seu benefício. A água consumida pelos moradores provém de poço, seja Amazonas ou artesiano. A coleta de lixo é outra situação precária, pois é feita esporadicamente e por um veículo inadequado”, denuncia Peninha.

Recentemente a região Moraes Almeida foi beneficiada por um grande projeto florestal. Foi dada pelo Governo Federal a concessão para explorar madeira dentro da Flona Jamaxim. “Isto vai gerar muitos empregos e atrair gente de vários lugares do País e com isto vai aumentar a violência e a população. Os problemas vão aumentar. O Poder Público vai acompanhar esta evolução?”, questionou Peninha.

“Quanto à educação, o Ensino Médio implantado pelo Estado fechou. Mais de 50 alunos já se transferiram para estudar em Itaituba. Tudo por causa da falta de professores”, criticou o vereador. O Estado não contrata professores e por isso o curso fechou prejudicando centenas de alunos, principalmente aqueles que não tem condições de estudar em outras cidades.

A iluminação publica, que é responsabilidade do Município, apesar de cobradas as taxas, não há o fornecimento, pois grande parte da Vila está às escuras, o que facilita a ação de bandidos, com assaltos e estupro.

“Moraes Almeida não pode ser tratada pelo poder publico, pelas autoridades como uma comunidade qualquer, ou uma “currutela”. Já tem todo o aspecto de uma cidade”, afirmou o vereador Peninha. “No próximo ano será instalado em Moraes Almeida o Cartório do Registro Civil, o Sistema de Celular da Claro, entre outros investimentos de grande importância. Se é grande o fluxo de implantação e bom funcionamento de empresas privadas no local, é injustificado o descaso empregado pelo Poder Público naquela região”, destaca o Vereador, que também pede que seja dada maior atenção, e o devido valor à Moraes Almeida.

Peninha encerrou sua entrevista a este Jornal, dizendo: “Minha parte estou fazendo como Vereador. Em 1990 trabalhei para emancipar aquela região, tendo como nome o município do Crepori, mas não foi possível criarmos. Nem por isso abandonei aquela região. Continuamos trabalhando defendendo os garimpeiros, a saúde, a educação, as estradas. Como recente trabalho, conseguimos junto ao Tribunal de Justiça do Estado incluir a criação do Cartório do Registro Civil no concurso que está sendo realizado e no próximo ano será nomeado o titular do Cartório. A construção da estrada Transtocantins, que vem atender os garimpos do Mamoal e Tocantizinho. Todas às vezes que somos procurados por moradores sobre qualquer problema naquele Distrito ou naquela região, temos nos envolvido, mesmo não sendo Vereador representante de Moraes Almeida”, concluiu Peninha.

Fonte: RG 15/O Impacto

 

Um comentário em “Distrito de Moraes Almeida foi abandonado pelo poder público

  • 2 de março de 2020 em 15:29
    Permalink

    Na minha opinião não. A não ser em últimos casos, mesmo assim somente transitoriamente, pois eleito é somente prefeito e vereadores, juiz, são concursados. Competência eles tem porém não representam a população pelo fato de não ter sido eleito para tal.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *