João Santana e Mônica Moura são soltos em Curitiba

o juiz Sérgio Moro considerou que a prisão não era mais “absolutamente necessária”
Juiz Sérgio Moro considerou que a prisão não era mais “absolutamente necessária”

O marqueteiro petista João Santana e a mulher dele, Mônica Moura, foram soltos nesta segunda-feira. Eles estavam presos há cinco meses na superintendência da Polícia Federal, em Curitiba. O casal pagou uma fiança de mais de R$ 30 milhões, valores já bloqueados pela Justiça durante o processo na Lava-Jato, e não poderão trabalhar em qualquer campanha eleitoral. Mônica teve que pagar o maior valor, 28 milhões, o mesmo do prêmio do concurso da Mega-Sena acumulado realizado

Em despacho que liberou os dois, o juiz Sérgio Moro considerou que a prisão não era mais “absolutamente necessária” já que a fase de instrução dos processos contra o casal está no fim e eles se mostraram dispostos a “esclarecer os fatos”. Em depoimento à Justiça no último dia 22 de julho, o casal admitiu que parte da campanha da presidente afastada Dilma Rousseff (PT) à Presidência em 2010 foi paga no exterior.

Mônica Moura saiu sorrindo, mas não quis falar com a imprensa. Já João Santana estava com a cara fechada e permaneceu com a cabeça abaixa boa parte do trajeto da porta da PF até o carro. Para o juiz, o casal não apresentou características tradicionais de operadores do esquema.

“Nessa avaliação, tenho também presente que a situação de ambos difere, em parte, da de outras pessoas envolvidas no esquema criminoso da Petrobras. Afinal, não são agentes públicos ou políticos beneficiários dos pagamentos de propina, nem são dirigentes das empreiteiras que pagaram propina ou lavadores profissionais de dinheiro”, escreveu Moro.

O casal poderá ficar tanto em São Paulo ou em Salvador onde possuem residência declarada à Justiça. Eles não ficarão com tornozeleira eletrônica, mas estão proibidos de sair do país.

Fonte: O Globo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.