Padre Sidney: “Igreja Matriz serviu como cemitério da cidade”

Revelação foi fgeita pelo padre Sidney Canto
Revelação foi feita pelo padre Sidney Canto

O livro que o padre Sidney Canto, um de nossos historiadores mais destacados, estará lançando em breve na Feira do Livro, fala sobre a Catedral de Nossa Senhora da Conceição, suas curiosidades; entre algumas, “que é o prédio mais antigo da cidade de Santarém”. Mas o padre historiador não fala apenas das coisas boas da história tapajônica, ele também faz críticas a quem destrói patrimônio público. Em sua opinião, “quem derruba prédios históricos, ajuda a sepultar a história”. Confira a entrevista:

Jornal O Impacto: O senhor confirma que a Catedral de Nossa Senhora da Conceição antes servia como cemitério?

Padre Sidney Canto: A Catedral de Nossa Senhora da Conceição foi mandada construir há muito tempo, na época do governador Francisco Xavier de Mendonça Furtado. Pelo diário dele, seria no ano de 1754. Outras curiosidades, é que por ser um prédio público, construído pelo governo, durante vários anos a Catedral serviu de cemitério público, onde foram sepultadas diversas pessoas da cidade, inclusive algumas personalidades, como alguns dos párocos da cidade, além de juízes da Comarca.

Jornal O Impacto: De que maneira esses ossos foram descobertos, depois de tantos anos sepultados?

Padre Sidney Canto: Isso aconteceu na época de Frei Vianey, que mandou retirar o piso de ladrilho da Catedral, na reforma que ele ordenou, feita entre os anos de 1965 a 1968, quando foram encontradas diversas ossadas, principalmente ossos de fêmur humanos. Na época, pensaram tratar-se de um cemitério dos índios Tapajós e não se levou em consideração o detalhe, de que a Catedral era usada como cemitério público. E assim foi até idos de 1840. Muitos desses ossos eram dos padres, dos juízes e das pessoas que moravam na então Vila. Não existia cemitério, as pessoas eram enterradas mesmo dentro da Igreja.

Jornal O Impacto: A Catedral, então, tinha uso variado, tanto também como cemitério?

Padre Sidney Canto: Por ser um prédio público, servia para rezar missa e também como cemitério.

Jornal O Impacto: Qual a sua análise sobre prédios históricos serem demolidos, em seu lugar serem construídos grandes e modernos edifícios?

Padre Sidney Canto: Eu acredito que; ‘pior do que transformar prédio histórico em hotel é demolir uma parte da memória, da história’. Um prédio tem muitas informações também, não apenas históricas como arquitetônicas. O modelo como prédio foi construído, o material usado, se foi construído com material de primeira qualidade ou não, se era residência de alguém importante ou não; muitas coisas podem ser ditas por um prédio que ainda está de pé. Destruir isso é destruir parte da memória; da cultura e história local.

LIVRO: O livro de Padre Sidney Canto intitulado “A catedral” será lançado no dia 09 de setembro, sexta-feira, no IX Salão do Livro, no Espaço Pérola. Ler o livro é poder descobrir novas curiosidades sobre a Catedral de Nossa Senhora da Conceição, em Santarém. “Muita coisa ainda deve ser escrita sobre a Catedral e história de Santarém, mas este é um ponto inicial para pesquisas mais profundas”, recomendou o sacerdote escritor.

Por: Carlos Cruz

Fonte: RG 15/O Impacto

Um comentário em “Padre Sidney: “Igreja Matriz serviu como cemitério da cidade”

  • 24 de outubro de 2020 em 19:17
    Permalink

    É muito triste ver Santarém Rica em Cultura e o Povo nao Preservar a sua Historia!!as Autoridades deveriam Proibir demiliçao de Predios e casas Historicas!!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *