Geração perdida – Aumenta o número de menores na criminalidade

wilares-sousa-o-popular-coruja
Wilares Sousa, o popular Coruja, faz o alerta

Não é de hoje que o envolvimento de menores em crimes tem preocupado os santarenos e também os órgãos de segurança. O Jornal O Impacto vêm publicando matérias alertando a sociedade e as autoridades municipais o quão frágil é esse segmento na Pérola do Tapajós.

Com pouca iniciativa por parte da classe política, em executar políticas públicas voltadas a retirar o jovem desse futuro nebuloso, prevalecem as ações particulares, tais como projetos sociais que trabalham a questão do esporte.

Sem atenção dos governantes, os menores acabam se esvaindo no submundo do crime. No mês de agosto, diversos homicídios tiveram como autores, menores de idade. A triste realidade dá um tapa na cara da sociedade, que peca em não dar prioridade a educação, esporte e cultura.

Na zona rural de Santarém, um jovem de 17 anos é acusado de matar o próprio pai com golpes de terçado. Ainda no mês de agosto, um menor que estava cumprindo medidas socioeducativas na Fasepa, foi assassinado por outros dois internos. No dia 13, o professor de Educação Física Elton Pereira foi morto com 40 golpes de faca, na sua residência, depois de ter se negado dar dinheiro para um menor, que acompanhado com mais quatro menores, tiraram a vida do educador.

Soma-se a esses crimes, o fato de diariamente na Seccional de Polícia Civil, menores são apreendidos por envolvimentos em furtos, roubos e tráfico de drogas.

Na Delegacia de Polícia é possível observar o desespero dos genitores dos jovens que são apreendidos. Muitos, sem mais saber o que fazer, solicitam que a Justiça determine a internação na Fasepa.

O aumento exponencial destes casos, também tem preocupado o experiente repórter policial, Wilares Sousa, o popular Coruja, que com 36 anos de experiência na cobertura das notícias policiais, tem percebido o caminho devastador que nossa juventude está tomando.

“A juventude está muito enveredada no mundo criminoso. A gente verifica que o furto, roubo, tráfico de substância entorpecente, a prostituição infantil, tem atingido fortemente os menores. O que mais verificamos no município de Santarém, são menores envolvidos no tráfico de drogas. Nós percebemos que é uma preocupação muito grande dos órgãos de segurança pública, o fato do aumento do envolvimento dos jovens no crime. Para mim, que acompanho há muito anos as notícias policiais, tudo é uma questão de família. Você pai, você mãe, vocês tem que monitorar muito mais o seu filho, para que ele não entre para o mundo tortuoso. Por quê? Porque se tiver o furto, é porque tem o comprador. Se tem o assaltante, é porque tem o receptador. Se tem o tráfico de drogas, é porque tem o traficante que disponibiliza a droga. Então, tudo isso é questão de família. Você tem que reunir e conversar mais com seus filhos”, afirma Coruja.

Wilares Sousa faz o alerta principalmente para os pais. “Os pais não podem deixar os filhos caírem no mundo das drogas, caso contrário, será o fim. Porque o traficante quer usar o seu filho para ser um escudo para ele. Depois que começa a consumir, ele também quer vender, em seguida, ele quer conseguir ser um alto traficante, e acaba morrendo”, orienta.

Para o comunicador, o crescimento de crimes praticados por menores tem como base dois aspectos. Primeiro, a falta de políticas públicas que deem possibilidade do jovem não se aproximar do crime. Segundo, a família, que tem que saber educar, orientar e dialogar.

O repórter policial é enfático ao dizer que o caso é muito sério, que precisa de uma solução imediata, caso contrário, teremos uma geração perdida para o mundo do crime.

“O menor de apenas 14, 15 anos de idade, enveredando-se no mundo criminoso. Muitos menores, envolvidos em tráfico de substância de entorpecente, menores envolvidos diretamente com o roubo em Santarém. Isso é resultado da falta de políticas públicas, é falta de mais apoio do governo estadual, para que melhore a segurança pública de nosso Município, e também o Judiciário da Infância e Juventude, o Conselho Tutelar que tem ser mais ágil nesta situação de nossa juventude estar se enveredando no mundo criminoso. É muito lamentável, é muito triste, vermos a maior parte de nossos jovens envolvidos em delitos aqui em Santarém”, afirma Coruja.

Por Edmundo Baía Júnior

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *