Veterinário: “Cachorro é mais leal do que alguns políticos”

medico-veterinario-ednaldo-freitas
Médico veterinário Ednaldo Freitas

“Em minha opinião, certos políticos, não todos, mostram várias faces. Ao contrário do cão, que só tem uma tendência, que é defesa de seu território, o local onde ele vive com seus donos e reage a ataques”. No caso contrário, pairam ares bem diferentes. “O homem sempre se resguarda, principalmente alguns políticos que só atacam em época de campanha”. A afirmação é do médico veterinário Ednaldo Freitas, popularmente conhecido como Fernandinho, que também é líder comunitário.

“O animal, por se tratar de um ser irracional, torna-se mais parceiro do que o homem”, explica o veterinário e adestrador. No caso do ser humano, acontece de maneira diferente. “Ele torna-se incompreensível em algumas ocasiões”, cita o veterinário.

POLÊMICA SOBRE OS CÃES PIT BULL: Infelizmente em Santarém e região, estão sendo registrados casos de ataques de cães da raça Pit Bull tendo como vítimas principalmente crianças. Casos que expõem este tipo de cães como intratáveis no meio doméstico. Sobre esse assunto, o médico veterinário e adestrador diz que; “a tendência do animal e a genética fazem com que ele tenha um comportamento agressivo, por ter sido criado em laboratório. As pessoas que criam cães Pit Bull ou de outras raças tidas como agressivas, tem que estar municiadas do guia e da focinheira em locais públicos, como o 12° Passeio de Cães”.

Como é realizado há 12 anos, mais uma vez acontece no dia 1 de outubro o Passeio de Cães, que tem como local de concentração a Praça São Sebastião, em Santarém. As inscrições para o evento são um quilo de alimento não perecível. “Basta levar seu animal, não importa o tamanho ou raça”, cita o veterinário e adestrador de cães. No caso dos Pit Bull, ou raças como Rotweiller ou outras de tendências agressivas, é obrigatório levar Guia e Focinheira.

ORIGEM AMERICANA: Pit bull, ou Pitbull, é uma abreviação de American pit bull terrier, uma raça canina de origem norte-americana. Originalmente criado para o combate, o Pit Bull destaca-se atualmente como um cão atleta e cão de caça. O Pit Bull descende do Bull-and-Terrier, cães que eram fruto do cruzamento direto entre o antigo Bulldog e antigos Terriers ingleses. Nos séculos XIX e XX, os Bull-and-terrier constituíram pelo menos quatro raças: o Staffordshire Bull Terrier e o Bull terrier inglês na Inglaterra; o Irish Staffordshire bull terrier na Irlanda; e o American pit bull terrier nos Estados Unidos. Os primeiros cães a chegarem ao Brasil entre o final dos anos 1970, no Rio Grande do Sul, e início dos anos 1980 no Rio de Janeiro. Em São Paulo, só em 1986 é que foi importado o primeiro cão, era um macho chamado Playboy. Porém, a grande popularidade da raça só veio a acontecer no final dos anos 1990.

CACHORRO PIT BULL MATA CRIANÇA EM SANTARÉM: Um junho deste ano, no dia que parte da população de Santarém comemorava a passagem da Tocha Olímpica, símbolo maior das Olimpíadas, uma grande tragédia atingiu e chocou a comunidade santarena. O caso aconteceu na tarde do dia 16 de junho, por volta de 18h, na Rua Maravilha, bairro da Floresta. Alan Abreu Silva, pai da menina de apenas oito meses de vida, vítima do ataque, disse que o cachorro Pit Bull era de sua família.

Segundo informações repassadas pela mãe da criança, a menina estava brincando em um triciclo no quintal de sua residência. Quando a mãe a viu levantar do brinquedo, ela foi em direção ao bebê com o intuito de evitar a queda, simultaneamente o cachorro Pit Bull partiu para cima da criança, abocanhando a região do pescoço e do crânio. A mãe contou que precisou meter a mão e segurar a mandíbula do cachorro para poder tirar a cabeça da criança da boca do animal.

De acordo com o enfermeiro Josiel Colares, a criança deu entrada no Pronto Socorro Municipal, por volta de 18h30. “Quando ela deu entrada, nós a colocamos na reanimação juntamente com a equipe de pediatria. Os médicos de plantão e a equipe de enfermagem se mobilizaram para fazer o melhor possível, com o objetivo de salvar a vida da criança. Nossa equipe médica fez a entubação, organizou todo o fluxo de tomografia. Na sequência o neuro avaliou e a encaminhou para o centro cirúrgico, mas infelizmente, devido ao trauma ter sido muito grande no coro cabeludo da criança, ela evoluiu a óbito durante a cirurgia”, informou.

O profissional de saúde acostumado a enfrentar todo tipo de situação envolvendo a luta pela vida humana, Josiel Colares fez um apelo à população. “Foi uma situação muito difícil para nós que temos filhos, ver uma criança numa situação dessas. A população tem que ficar atenta para que uma tragédia como essa, não volte a se repetir. Peço que a população tome cuidados necessários com animal, se tratando de cachorro próximo as crianças, até porque o cachorro, por ele ser um animal irracional, a qualquer momento pode estranhar alguma situação”, alertou enfermeiro Josiel Colares.

O pai da vítima do ataque feroz entregou o cachorro Pit Bull ao Centro de Controle Zoonoses (CCZ).

Por: Carlos Cruz

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *