Fazer gestão, essa arte o Administrador domina!

gardenia-de-almeida-brum
Gardênia de Almeida Brum

Vivemos em um momento sócio econômico em nosso País, que ativou uma enorme insegurança e dúvidas quando o assunto é investir, planejar e gerir.

As incertezas são inúmeras, o que gera um descontentamento com o mercado e a realidade empresarial.

Percebe-se que a falta de conhecimento técnico quando o assunto é administrar e fazer gestão, desencadeia nos empresários e investidores inúmeras incertezas que de fato, estagnam sonhos e metas, outrora traçados.

Diante dessa problemática, o papel do Administrador se faz necessária, e por quê não dizer, fundamental?

O Administrador, antes de tudo tem o domínio da técnica e sabe muito bem como aplicá-la, gerando assim, mudanças satisfatórias e dinâmicas dentro das organizações.

Fazer gestão, vai muito além  de fazer planilhas de controle ou de delegar funções e tarefas.

Fazer gestão, é administrar de forma que todos os departamentos e setores da organização andem em perfeito sincronismo, favorecendo assim a realização das metas traçadas a longo, médio e curto prazo.

De fato, planejar, requer conhecimentos reais de métodos administrativos que estão diretamente relacionados aos três níveis de planejamento organizacional:

Planejamento estratégico, tático e operacional.

No planejamento estratégico estão definidas as metas a serem realizadas a longo prazo, sempre visando o futuro da organização.

O planejamento tático tem como principal objetivo criar condições favoráveis para que as metas e ações estabelecidas no planejamento estratégico sejam atingidas.

Por último, mas não menos importante, temos o planejamento operacional, o qual podemos chamá-lo de “forno”, pois é no planejamento operacional que serão concluídas e realizadas as metas e objetivos traçados pelos níveis estratégico e tático, finalizando desta maneira o ciclo de planejamento. Nos níveis estratégico e tático são acrescentados os “temperos organizacionais” ( metas) e “repassada a receita” de como fazer estipulando também o “tempo de forno”, (longo, médio e curto prazo).

Analisando tais teorias e fundamentos, pode-se  afirmar quão importante é aplicar as técnicas e remédios  administrativos , a fim de obter resultados satisfatórios, gerando sincronismo entres os diversos setores e departamentos da organização através do planejamento em seus três níveis, criando dentro da empresa um clima organizacional onde a missão e valores da mesma estarão sendo consolidados diariamente, fortificando sua imagem para seus colaboradores , clientes  e para o mercado de forma geral.

ADMINISTRAR É PARA ADMINISTRADOR

Por: Adm. Gardênia de Almeida Brum (CRA/PA 10936)

Fonte: RG 15/O Impacto

 

8 comentários em “Fazer gestão, essa arte o Administrador domina!

  • 12 de setembro de 2016 em 18:37
    Permalink

    Como moramos 13 anos em Santarém, acessamos OIMPACTO na internet para sabermos o que se passa em Santarém. Grande alegria em ver Gardênia desempenhando seu papel, lembramos com saudade do período em Santarém quando, através de Sandra, a tivemos participando conosco nas atividades da “Igrejinha na Prainha”, como esse ajuntamento era carinhosamente chamado. Hoje em São Bernardo do Campo, SP, e atuando numa instituição para idosos em São Caetano do Sul, SP,desejamo-lhe pleno êxito em suas atividades. Zezinho

    Resposta
  • 12 de setembro de 2016 em 17:42
    Permalink

    Visão ampla e limpa, exatamente como deve ser um bom administrador. Excelente artigo.

    Resposta
  • 12 de setembro de 2016 em 17:09
    Permalink

    muito bom os esclarecimentos.Procedimento que os empresários deveriam seguir.

    Resposta
  • 12 de setembro de 2016 em 11:27
    Permalink

    A autora possui uma visão empresarial apurada. Muito bom artigo

    Resposta
  • 12 de setembro de 2016 em 10:43
    Permalink

    Hoje com a crise que nosso país enfrenta nada melhor que um gestor preparado para administrar, pois as habilidades técnicas do administrador faz toda a diferença nos resultados. Parabéns Gardênia! Excelente artigo.

    Resposta
  • 12 de setembro de 2016 em 09:50
    Permalink

    CORRIGINDO O COMENTÁRIO:

    Artigo extremamente necessário. Infelizmente no Brasil o administrador ainda é visto como profissional secundário, porém se esquece que é na própria casa que começa a administração.
    Nos Estados Unidos os administradores são escolhidos para dirigir as instituições, no Brasil são os políticos, e assim, vemos resultados cada vez mais catastróficos e a falência das instituições.

    Resposta
  • 12 de setembro de 2016 em 09:48
    Permalink

    Artigo extremamente necessário. Infelizmente no Brasil o administrador ainda é visto como profissional secundário, porém se esquece que é na própria casa que começa a administração.
    Nos Estados Unidos os administradores são escolhidos para dirigir as instituições, no Brasil são os políticos, e assim, resultados vemos esultados cada vez mais catastróficos e a falência das instituições.

    Resposta
  • 12 de setembro de 2016 em 09:17
    Permalink

    Excelente abordagem! O momento de crise deve ser encarado com estratégias administrativas, para que as empresas possam usufruir de uma vantagem competitiva sobre as demais. Não é simples, por isso o administrador não é gasto e sim investimento. Portanto, é necessário agir e buscar novas estratégias para as empresas, e assim desenvolver as vantagens competitivas para alcançar uma posição de destaque no mercado.

    Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.