Zenaldo recebe verba de funcionários da Prefeitura de Belém

Prefeito Zenaldo Coutinho
Prefeito Zenaldo Coutinho

A denúncia é grave. Todos os 248 doadores da campanha à reeleição do atual prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho (PSDB), possuem ou já possuíram vínculo com a Prefeitura. Desses, 24 são servidores públicos municipais e fizeram doações de R$ 1 mil ou mais, conforme apuração feita pelo DIÁRIO, com base em dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), da última quinta-feira. O site da revista Veja também denunciou o fato, que o DIÁRIO apurou mais profundamente. O TSE elaborou o documento Transparência nas Eleições 2016, após a entrega da primeira parcial da prestação de contas dos candidatos. Para o TSE, esses dados ajudam a identificar possíveis relações de “lobby” via pessoas físicas, além da relação do uso da máquina pública com o financiamento de campanha. “Esses doadores, devido à sua capacidade financeira de doar altos valores, representam uma boa aproximação do grupo que pode influenciar os contornos da eleição e as próprias ações do futuro prefeito”, destaca o documento do TSE.

Até o momento, o total de receitas dos candidatos à Prefeitura de Belém é de pouco mais de R$ 1,1 milhão, sendo que quase metade (49,2%) desse total – R$ 552 mil – foram para os cofres da campanha de Zenaldo. Com isso, ele é o líder em arrecadação de verba para a campanha deste ano. É tanto dinheiro, que o prefeito de Belém, sozinho, recebeu quase a mesma verba que todos os outros candidatos somados (veja gráfico abaixo). Detalhe: mais de 42% das doações a Zenaldo foram feitos por pessoas físicas, todas com algum tipo de vínculo com a Prefeitura. O restante é repasse do Fundo Partidário.

Em termos de valores, 56% dos recursos provenientes dos chamados “top doadores” (aqueles que doam R$ 1 mil ou mais) foram para a campanha de Zenaldo. São quase R$ 200 mil que vieram de 24 “top doadores”, todos identificados como servidores municipais. No ranking da quantidade de top doadores, o candidato Lélio Costa ficou em segundo lugar, seguido de Edmilson Rodrigues, Regina Barata e Ursula Vidal. Maneschy e Éder Mauro empatados, com apenas 1.

RECORTE
Para a análise dos “top doadores”, o TSE avaliou todas as doações de pessoa física com valor igual ou superior a R$ 1 mil. “O recorte foi realizado para que fosse factível recuperar as ligações dos doadores com o serviço público municipal. Trata-se de dar destaque ao universo das maiores doações que podem indicar mais facilmente a questão do lobby”, diz o TSE.

Fonte: Luiza Mello\DOL

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *