“Corrupção no Ibama é apenas a ponta do iceberg”, diz denunciante

Denunciante, que não quis se identificar porque tem medo de sofrer represálias, afirma que “tramas” no Ibama de Santarém foram orquestradas em Brasília
Denunciante, que não quis se identificar porque tem medo de sofrer represálias, afirma que “tramas” no Ibama de Santarém foram orquestradas em Brasília

Após a Polícia Federal desencadear a chamada ‘Operação Lupa II’ que investiga possíveis crimes de corrupção de servidores do Ibama/Santarém, e do Ministério Público Federal ter denunciado três servidores à Justiça Federal na semana passada. A reportagem do Jornal O Impacto, por meio da TV Impacto, gravou entrevista com denunciante, que fez sérias acusações em relação aos últimos acontecimentos, que colocam em xeque postura e encaminhamentos feitos pelos gestores do Instituto, inclusive a nível nacional.

“A corrupção está infiltrada no Ibama/Santarém. Desde o Ibama/Brasília, na sua Coordenação Geral de Fiscalização, onde temos informações que o desmatamento no município de Novo Progresso, na região de Castelo dos Sonhos, que até hoje só cresceu, com mais de 10 anos de atuação do Ibama naquela região, gastando fortunas com diárias e deslocamento de servidores, e mesmo assim, o quadro de desmatamento não se reverte. Isso só seria possível se houvesse uma ajuda direta de funcionários do Ibama/Santarém para que os crimes cometidos, inclusive em uma operação de destaque nacional, ‘Operação Castanheira’ pudessem ser cometidos. Para tirar o foco destes crimes, a gerência de Santarém seria a responsável por atuar naquela região, mas é deixada de lado, e atua diretamente o Ibama/Brasília, para assim tirar o foco das verdadeiras falcatruas que acontecem naquela região. Outra denúncia, é que o Ibama usa do expediente em fazer com que a máquina pública, seja Ministério Público Federal ou Polícia Federal, sejam abarrotados de denúncias, muitas das vezes apócrifas, para buscar incriminar outros servidores do Ibama/Santarém, tirando desta forma o foco verdadeiro das irregularidades gigantescas, com lucros milionários, na região de Novo Progresso. Estou aqui, não para pedir que o MPF e a Polícia Federal passe a mão na cabeça de ninguém, o que queremos é que façam uma investigação séria, verdadeira e imparcial, dando oportunidade para os dois lados colocarem seus posicionamentos. Porém, o Ibama não utiliza deste expediente”, diz o denunciante, que com medo de sofrer represálias, não quis se identificar.

Ele acredita que existe uma guerra de dois grupos dentro do órgão, porém, um destes grupos possui aval de gestores do alto escalão, para perseguir os demais. “A Operação Lupa I foi desencadeada no Ibama/Santarém, juntamente com uma intervenção feita pela corregedoria do Ibama/Brasília, onde detinha de prazos para iniciar e terminar, e apresentar relatórios conclusivos, com o resultado das investigações das supostas irregularidades, inclusive, de que o servidor Sérgio Suzuki apresentou relatório à Polícia Federal informando que em Santarém existia um grande conluio para que processos administrativos que seriam lavrados em nomes de laranjas, em Novo Progresso, estavam sumindo, que eles tinham sido roubados do Ibama/Santarém. Fato que, logo no início da operação, foi desmascarado, pois foram encontrados na sua maioria todos os processos que o próprio Ibama, através de Sérgio Suzuki, disse que tinham sumido. Tudo isso acontecia com o aval do senhor diretor geral de fiscalização, hoje vice-presidente do Ibama, Luciano Meneses, para que sem mais nem menos, usando do expediente de Sérgio Suzuki na sua nota técnica, colocasse nomes de servidores do Ibama/Santarém, sem os mesmos terem participado das referidas operações em Novo Progresso, e ao menos, terem, no mínimo, participado de qualquer trâmite processual. Portanto, a Operação Lupa I está fadada ao insucesso, pois começou com mentiras, enganando inclusive um Juiz e um Delegado Federal, a cometer erros, autorizando procedimentos de busca e apreensão na casa de alguns servidores de Santarém, onde não foi encontrado o que o juiz de direito havia solicitado, que seriam os processos sumidos, segundo Sérgio Suzuki e Ibama. O que acontece é que não se apura os fatos de forma correta, através de PAD, os possíveis delitos ou infrações ocorridas dentro do Ibama/Santarém, e assim, abarrotando as esferas judiciais e as esferas de investigações. A vinda da atual gerente não é a toa. Como pode você ter um cargo hierarquicamente superior, de alto escalão dentro do Ibama/Santarém nacional, inclusive com várias vantagens pecuniárias, um DAS muito maior, enfim, todo um status, para vir para Santarém, uma Gerência dita como problemática, corrupta, você sair da sua zona de conforto, para vir para Santarém, tomar providências quanto a possíveis atos de corrupção? É muito estranho, porém, os servidores de Santarém desde o início de sua chegada (Gerente Maria Luíza), no começo do ano de 2015, já sabiam que vinha a mando de Luciano Evaristo, para tentar finalizar o que não se conseguiu nas operações anteriores já citadas, e de forma administrativa, tentar incriminar de uma vez por todas os servidores de Santarém. O seu plano era municiar o Ministério Público com várias denúncias, inclusive, todas no âmbito administrativo, dento de processos administrativos do Ibama para que se mostrassem uma situação de envolvimento de vários servidores, como se fossem uma organização criminosa”, expôs o denunciante.

Para ele, tal situação tem como objetivo tirar o foco de alguns procedimentos, tais como, a atuação de laranja feita pelo servidor Sérgio Suzuki, que segundo ele, mesmo tendo conhecimento que a área pertencia a Luiz Lozano, preso na ‘Operação Castanheira’, lavrou o auto de infração em nome de Diego Malheiros, laranja de Luiz Lozano. Um fato que chama atenção, é que Suzuki até o momento não recebeu qualquer punição, pelo contrário, recebeu promoção, e hoje é assessor especial do gabinete da Gerência de Santarém. Acompanhe a entrevista completa, inclusive com outras denúncias, acessando www.oimpacto.com.br/tv-impacto.

VEREADOR PEDE QUE MPF E MINISTRO APUREM DENÚNCIA CONTRA IBAMA: As recentes denúncias envolvendo a gerência do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) em Santarém, bem como o processo de indiciamento – pela Polícia Federal -, do vice-presidente do órgão, Luciano de Meneses Evaristo, fez com que o vereador santareno Valdir Matias Júnior, juntamente com o presidente estadual do Partido Verde (PV), José Carlos Lima da Costa, tomassem a iniciativa de acompanhar os encaminhamentos sobre o caso, no âmbito do Ministério do Meio Ambiente.

Para o Vereador, são denúncias muito sérias, que colocam questionamentos quanto à efetiva atuação do Instituto na defesa do meio ambiente e recursos naturais do maior patrimônio brasileiro, a Amazônia.

“O Ibama é ligado ao Partido Verde (PV), o atual ministro é do PV, Sarney Filho, nós inclusive estamos acompanhando junto com o nosso presidente estadual, Zé Carlos Lima, essas denúncias em relação ao Instituto aqui em nossa região. Ficamos muito surpresos com aquela utilização da estrutura do Ibama, uma estrutura cara, helicóptero para fazer voos rasantes, para querer aparecer usando recurso público, uma estrutura que deveria estar trabalhando para preservar, conservar o nosso meio ambiente, para proteger nossas florestas, e se utilizando do helicóptero daquela forma. Inclusive apresentamos à Câmara de Vereadores de Santarém um pedido de informações ao Ibama, para que ele possa esclarecer essa situação para os vereadores. Estamos atentos e acompanhando toda essa divulgação de problemas ligados inclusive em nível nacional, de pessoas que ocupam cargos importantes na presidência do Ibama, para que possamos esclarecer à população e assim possamos ter um órgão coerente, que utiliza de forma eficiente o recurso público e que de fato cumpra o seu papel, no coração da Amazônia, em Santarém, que tem que ter um órgão ambiental fiscalizador que cumpra efetivamente seu objetivo”, informou Valdir Matias Júnior à nossa equipe de reportagem.

Segundo o Vereador, o caso também deve ser acompanhado pelo Ministério Público Federal (MPF), responsável pela apuração das denúncias envolvendo a atuação dos servidores públicos do órgão, sejam quais forem os cargos ocupados. Valdir Matias afirmou que o Ministro do Meio Ambiente já recebeu as informações pertinentes ao caso.

“Na semana passada, essas informações chegaram até o Ministro Sarney Filho. Nós estamos acompanhando o desdobramento dessas situações. Já há um inquérito na Polícia Federal, instaurado a pedido do Ministério Público Federal de Brasília. Então, nós estamos acompanhando os encaminhamentos sobre todas essas questões, para que de fato possamos limpar o Ibama dessas pessoas, nomeando servidores sérios e comprometidos, que façam do Instituto um órgão eficiente, independente e que possa cumprir seu papel na Amazônia e no Brasil”, expôs Valdir Matias Júnior.

Conforme matéria publicada nas páginas do Jornal O Impacto, Luciano de Meneses Evaristo, atual vice-presidente do Ibama – estranhamento, há pelo menos 10 anos mantém-se também no cargo de Diretor de Proteção Ambiental -, foi indiciado pela PF, acusado de crime de corrupção passiva, por suspeita de cobrar propina de produtores rurais.

PORTOS EM SANTARÉM: Outro tema abordado por Valdir Matias junto à nossa reportagem, foi em relação à implantação de portos em Santarém. Para o Vereador, – que no atual governo exerceu o cargo de Secretário Municipal de Planejamento -, é imprescindível que agenda ambiental trabalhe de forma adequada com a agenda do desenvolvimento, e assim, a população possa ter a oportunidade de um crescimento econômico sustentável.

“É uma situação que a gente precisa discutir com o novo governo. Principalmente esta questão do desenvolvimento portuário de Santarém. Existe a necessidade de compatibilizar isso com o desenvolvimento turístico da cidade. Uma parte da cidade, especificamente das nossas praias, deve ser utilizada para o turismo, e a outra parte ser utilizada, principalmente aqui no calado (relacionado com a profundidade do rio) do Rio Amazonas, tem um bom calado o ano todo, para o desenvolvimento portuário da nossa cidade. Já existe a Cargill em Santarém, parece que algumas forças não querem que outras instalações aconteçam na cidade, como uma forma de manter o monopólio. Então, é preciso que a gente estude bem essa questão, e assim avalie, para que possamos gerar emprego e renda, novas oportunidades, respeitando a legislação ambiental, respeitando o nosso meio ambiente, e assim Santarém cresça, se desenvolva e prospere”, disse Valdir Matias Júnior.

Por: Edmundo Baía Júnior

33 comentários em ““Corrupção no Ibama é apenas a ponta do iceberg”, diz denunciante

  • 6 de novembro de 2016 em 10:53
    Permalink

    A casa caiu. Agora passo a entender a postura de muitos dos servidores do LADRÃO LUCIANO EVARISO, coagindo e ameaçando os AAF’s que são obrigados a cumprirem na íntegra as determinações absurdas da MALANDRA LUIZA. Os AAF’s em determindas bases operativas são proibidos de fiscalizar transporte e armazenamento de produtos florestais, são induzidos a fiscalizar polígonos selecionados pelo chefe da quadrilha o RATÃO EVARISTO. Ou seja, utilizando a administração pública em proveito dos GUARDIÕES DA PROPINA. É triste mais é a grande verdade a DIPRO é uma farsa. Temos que mudar a cara do IBAMA. Assim, está aberta a campanha FORA BANDO DE LADRÃO.

    Resposta
  • 4 de novembro de 2016 em 22:02
    Permalink

    MPF denuncia pela segunda vez madeireiro preso na operação Castanheira

    Solto por habeas corpus do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, Luiz Lozano foi flagrado desmatando ilegalmente em área embargada pelo Ibama.

    03/12/2015 às 14h27
    O Ministério Público Federal iniciou nova ação penal contra Luiz Lozano Gomes da Silva, madeireiro preso durante a Operação Castanheira, em agosto de 2014. Ele já é réu em um processo por participação na quadrilha desbaratada na Operação. Foi solto através de um habeas corpus concedido pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região e, já em 2015, foi autuado por fiscais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) novamente por desmatamento ilegal.

    Os fiscais, sobrevoando uma área embargada no entorno da Floresta Nacional do Jamanxim, em Novo Progresso (PA), notaram a perda de cobertura vegetal e focos de incêndio. Ao checar o local, verificaram se tratar de área de propriedade de Lozano, já anteriormente embargada. Além de Lozano, foi denunciado à Justiça Federal em Itaituba Diego Malheiros, apresentado como o novo proprietário da área, mas acusado pelo MPF e pelo Ibama de ser laranja do madeireiro.

    Os dois são acusados de três crimes ambientais (causar dano direto ou indireto à unidade de conservação, impedir a regeneração natural de florestas e dificultar a fiscalização do poder público em questões ambientais) e de fraude em documento público. Depois da fiscalização, Lozano tentou burlar os fiscais do Ibama prestando informações falsas que atribuíam a propriedade a Malheiros.

    Durante a Operação Castanheira, que desmontou uma das maiores quadrilhas de desmatadores já conhecidas pelo poder público na Amazônia, Lozano foi preso e depois denunciado por crimes ambientais. Beneficiado com um habeas corpus, obteve liberdade provisória e continuou desmatando ilegalmente. Para o MPF, ele deve ser preso novamente, porque “resta provado que se continuar solto, continuará na reiteração de crimes pelos quais foi e está sendo novamente denunciado”.

    Dalla Riva – O MPF pediu, em outro processo, que seja novamente preso Edivaldo Dalla Riva, também réu da Operação Castanheira, já condenado a pagar R$ 2,6 milhões por danos ambientais. Ele está solto, da mesma forma que Luiz Lozano, beneficiado por um habeas corpus do TRF1. No caso de Dalla Riva, o MPF vê irregularidades na liberdade provisória, já que ele pediu à Justiça Federal de Itaituba que recebesse o benefício por extensão de uma liberação que não foi incialmente concedida a ele, mas sim a outros réus do caso.

    Para o MPF, a defesa de Dalla Riva lançou mão de “expediente processual equivocado, na medida em que não cabe ao juízo de primeiro grau dar efeito extensivo à decisão proferida por órgão funcionalmente superior”. Dalla Riva, chamado de Paraguaio, é considerado um colaborador de especial destaque dos esquemas criminosos descobertos pela Operação Castanheira. Era ele quem georreferenciava as áreas que a quadrilha pretendia grilar, contratava os trabalhadores braçais para desmatar tudo e ainda era responsável por vender a madeira retirada ilegalmente.

    “É necessário relembrar que o requerente empreendeu fuga no instante em que seria cumprido o mandado de prisão expedido, permanecendo foragido até 20/02/2015, de modo a pôr em risco a ordem pública, a aplicação da lei penal e a instrução criminal”, reforça o MPF no pedido para que o Paraguaio seja preso novamente.

    Edivaldo Dalla Riva: Processo nº 2028-61.2015.4.01.3908

    Luiz Lozano: Processo ainda sem numeração

    Ministério Público Federal no Pará
    Assessoria de Comunicação
    (91) 3299-0148 / 8402-2708 / 8403-9943
    prpa-ascom@mpf.mp.br
    http://www.prpa.mpf.mp.br/
    http://twitter.com/MPF_PA

    Conteúdo relacionado
    News Item Ezequiel Castanha volta a ser denunciado pelo MPF
    News Item Operação Castanheira combate grilagem de terras e crimes ambientais no Pará

    Resposta
    • 4 de novembro de 2016 em 22:28
      Permalink

      PESSOAL VEJAM COMO O CASO É MUITO SÉRIO ESTA MATERIA É DA PAGINA DO MPF. VEJA NA MATERIA QUE LUIS LOUSANO FOI PRESO POR AÇAO DO IBAMA QUE DESCOBRIU QUE HAVIAM MULTADO UM LARANJA NO LUGAR DE LOUSANO NO CASO DIEGO MALHEIROS. VC DIZ E AI O QUE DE HA DE ANORMAL. VOU LHES DIZER. QUEM LAVROU O AUTO DE INFRAÇÃO NO LARANJA ? FOI SERGIO SUZUKI, MESMO DEPOIS DE VARIOS SOBREVOOS E COMPROVAÇOES DE QUE A AREA ERA DE LUIS LOUSANO. QUEM LAVROU O NOVO AUTO QUE O LEVOU PRA CADEIA? FOI RUBIA CONCEIÇAO ARANHA DE SANTAREM. QUEM DENUNCIOU SUZUKI DE FORMA FORÇADA POIS TINHA VAZADO PARA SANTAREM A QUESTAO DO DIEGO MALHEIROS E QUE LUCIANO EVARISTO RECEBIA MILHOES DE LOUSANO E CASTANHA DANDO A ORDEM PARA SUZUKI SEGURAR DE QUALQUER MANEIRA PARA LOUSANO NÃO SER PRESO, ADNINHA? A GERENTE ATUAL DO IBAMA MARIA LUISA E SEU ATUAL COMPARSA ANDRÉ GUSTAVO. MINHA GENTE TODA ESSA OPERAÇÃO COMANDADA PELO MPF FOI FEITA A PARTIR DE SANTAREM. MARIA LUISA SO FEZ POR QUE SE NÃO FIZESSE O DELA IA PARA RETA. AGORA VAMOS PENSAR SO UM POUQUINHO. POR QUE SERGIO SUSUKI NÃO FOI PRESO JUNTO COM LOUSANO VISTO QUE POR CAUSA DELE LOUSANO TAVA SOLTO? POR QUE O MPF QUE TEVE ACESSO A TODA DOCUMENTAÇAO DO CASO E PEDIU A PRISÃO DE LOUSANO NÃO PEDIU A PRISÃO DE SUZUKI? POR QUE ANDRE GUSTAVO NÃO PASSOU O CASO PARA A POLICIA FEDERAL COMO SUGERIU MARIA LUISA? POR QUE A CORREGEDORIA DO IBAMA NÃO FOI ACIONADA PARA PUNIR SUZUKI? POR QUE SUZUKI FOI PROMOVIDO PELA GERENTE DO IBAMA EM SANTAREM A ACESSOR ESPECIAL DE SEU GABINETE SABENDO QUE O MESMO É CORRUPTO? E POR QUE TODO MUNDO SEGUROU A ONDA DO SUZUKI? ESSE CASO É MUITO SÉRIO E MOSTRA BEM CLARO COMO VEM SENDO UTILIZADO A PARCERIA MPF IBAMA. SEMPRE DOIS PESOS DUAS MEDIDAS.

      Resposta
  • 4 de novembro de 2016 em 21:32
    Permalink

    MINHA GENTE DO IBAMA SANTARÉM VEJAM COMO SÃO AS COISAS E NÃO DÁ PRA NEGAR POR QUE É TUDO DOCUMENTADO. A DONA MALU COATORA CORRUPTA DENUNCIOU O PILANTRA SAFADO SÉRGIO SUZUKI POR LAVRAR AUTO DE INFRAÇÃO EM NOME DE LARANJA DIOGO NOGUEIRA, PRA SALVAR A PELE DE LUIS LOUSANO GRANDE DESMATADOR ILEGAL EM NOVO PROGRESSO. DERTERMINANDO QUE ANDRÉ CABEÇUDO CRIA FILHO DOS OUTROS, EVIASSE AO MP E PF A PUTARIA DO JAPONÊS MANDADO POR LUCIANO INDICIADO POR CORRUPÇÃO EVARISTO. MESMO COM ESSE CRIME DESCABIDO E CLARO ATÉ HOJE NAO VIMOS NEM UMA PUNIÇÃO E MERECIA CADEIA, PRO JAPA NOTA INFORMATIVA ENCOMENDADA. AGORA COM MUITA CALMA E ME CORRIJAM IBAMA SANTARÉM SE TIVER ERRADO ESSE JAPONÊS CORRUPTO NÃO É O MESMO QUE TÁ ANALISANDO PROCESSOS. FAZENDO NOVAS NOTAS INFORMATIVAS ENCOMENDADAS POR LUCIANO E MALU. COMO PODE UMA SAFADA BANDIDA DENUNCIAR UM CORRUPTO POR LAVRAR AUTO EM NOME DE LARANJA E DEPOIS ATRAVÉS DE ORDEM DE SERVIÇO NOMEA-LO ASSESSOR DE GABINETE DELA. PELA AMOR DE DEUS ALGUMA AUTORIDADE TEM QUE ANALISAR ISSO.

    Resposta
    • 5 de novembro de 2016 em 07:48
      Permalink

      deixa eu entender a história. onde anda o andré, voltou pra roraima ou rondônia?
      A gerente de santarém pode nomear o suzuki, isso só poderia ser feito por belém ou brasília? O que o thiago faz no ibama de santarém? é o chefe da fiscalização?

      Resposta
      • 5 de novembro de 2016 em 19:58
        Permalink

        Se você não tivesse afastado por corrupção saberia!! Lixo!!

        Resposta
  • 4 de novembro de 2016 em 21:29
    Permalink

    bocao-05IBAMA NA PRESSÃO

    Em seu desabafo fantasioso, o vice-presidente do IBAMA alega que o jornal O Impacto pegou dinheiro para publicar a matéria contra ele e que o jornal é de madeireiro. O Impacto ingressou na Justiça com ação de indenização contra Evaristo, para ele provar o que alega. O Impacto possui vida própria, se você faz esse tipo de procedimento de troca, O Impacto não faz, pois não precisa. Será que devido à acusação de envolvimento em propina ele pensa que todas as pessoas são iguais a ele? Te manca, mano!

    IBAMA NA PRESSÃO 2

    Os defensores do vice-presidente do IBAMA dizem que não é verdade que seu ídolo responde na Polícia Federal uma representação para apurar a ocultação e evolução patrimonial dele e de sua família, que na representação existem 2 mansões em 2 condomínios de alto padrão na cidade de Goiânia. Na representação afirma que é totalmente incoerente e incompatível com a renda auferida. Os que defendem esse procedimento devem ser corruptos. Na Polícia Federal existe IPL sob nº 0275/2014-4, com registros no 3º Ofício de Combate à Corrupção do MPF. No Relatório, consta que Evaristo encontra-se INDICIADO. Se vocês corruptos não acreditam, me processem, não fiquem falando besteira, somente assim, vou saber quem são vocês e investigar seus possíveis envolvimentos. Vou ficar esperando.

    bocao-08IBAMA NA PRESSÃO 3

    O nome do delegado que solicitou do cartório do 1º Ofício de Registro de Imóveis do Distrito Federal no dia 13 de agosto de 2015 a relação dos bens de Evaristo e de sua família, é Marcos Ronki, matrícula nº 17.217. E em 11 de agosto de 2015, o mesmo delegado solicitou da CGU que verificasse a compatibilidade do patrimônio de Luciano Evaristo.

    IBAMA NA PRESSÃO 4

    O cartório de 1º Ofício respondeu e mandou uma relação de fazer inveja dos bens de Luciano Evaristo que agora está sendo fiscalizado e provavelmente poderá cair na fiscalização da Receita Federal, já que esse tipo de procedimento tem que passar pela Receita Federal. Portanto, Luciano Evaristo está sob procedimento do Ministério Público Federal e Polícia Federal. Quem não quer aceitar são os corruptos com medo de uma delação premiada.

    IBAMA NA PRESSÃO 5

    Nossos paparazzi estão levantando questões de espancamento, de coação, de armação de procedimento e indução a erro. Muitas coisas estão surgindo e pode surpreender a direção do IBAMA. A guerra de poder leva à traição e à derrubada entre os servidores, como o cerco está apertando, os poderosos estão jogando um para o outro as responsabilidades. Vai pegar! Na próxima semana vamos publicar uma matéria que vai sacudir o IBAMA, com identificação de nomes que vai causar pânico entre os servidores.

    Resposta
  • 4 de novembro de 2016 em 21:25
    Permalink

    O referido IPL 0275/14, traz o depoimento do ex- Secretário de Meio Ambiente do Município de Correntina/BA, onde ele informa ao Delegado da Polícia Federal, Marcos, que o Servidor do IBAMA acusado, cobrava o valor de R$ 300.0000,00, para rasgar qualquer Auto de Infração.
    O bandido e mais conhecido como “VIÚVA NEGRA”, usa as pessoas em seguida elimina, um verdadeiro Ratão. Chefe de Quadrilha, padrinho de Ramiro Juliano e Paulo Bernardino, bandidos que comandaram por muitos anos a Gerência do IBAMA em Juína/MT, presos pela PF, ambos afilhados do ladrão EVARISTO, Que até hoje comanda uma quadrilha Mensalão da madeira nos Estados de Mato Grosso e Pará. A Casa caiu.

    Resposta
  • 4 de novembro de 2016 em 21:21
    Permalink

    NINGUÉM ME PEGA. Lavro mesmo Auto em LARANJA. Vem. To aqui na gerência do Ibama santarem. Já fiz as pazes com a Malú, mesmo essa danada ter me denunciado pro MP. O papai Luciano deu um puxão de orelha nela. Porra o LOUSANO SEMPRE AJUDOU. Se o MAUES NÃO TIVESSE VISTO O AUTO TINHA DADO CERTO. O chefe mandou eu Autuar o laranja pra não prenderem o LUIS. MAUES vazou pra Santarém. Lembro do Alex superintendente indo a Santarém pra tentar segurar a onda mas já era a malú tinha que me entregar. Mas ela disse que não ia dá em nada pois o Gustavo podestá já tinha ligado pra amiga pra segurar. Que vou fazer agora o Luciano tá pra ser preso. A Malu tá ferrada. Vou me entregar é o jeito. Porra fui falar pro Tiago que me arrependi de ter feito a nota técnica que o Luciano e Anette me mandaram. Porra tudo vaza vou embora pro Japão. ou pra cadeia.

    Resposta
  • 4 de novembro de 2016 em 21:18
    Permalink

    ABUSO DE AUTORIDADE, COAÇÃO E PECULATO: Os mandos e desmandos do órgão ambiental federal na região oeste do Pará são cheios de capítulos desprezíveis, inclusive com matérias publicadas pelo Jornal O Impacto.

    Novas denúncias foram realizadas, e colocam novamente em xeque o trabalho desenvolvido pelo Instituto.

    Segundo o denunciante, no dia 03 de agosto, a empresa Melo & Martins, CNPJ 07.653.335/0001-58 foi bloqueada no Sistema DOF. O Gerente Substituto André Gustavo da Silva cancelou a decisão interlocutória da gestão anterior com a justificativa de que a competência de julgamento, dado o valor da sanção seria do Núcleo Técnico de Instrução Processual (NUIP/Brasília) e decidiu pelo restabelecimento do bloqueio no Documento de Origem Florestal (DOF). Sendo que, segundo o denunciante, em nenhum momento foi analisado pela Gerência que independente de competência, o desbloqueio foi feito dentro da legalidade, pois a empresa apresentou toda a documentação exigida pela legislação.

    “A partir deste momento começou o calvário da empresa, pois existe a clara tentativa de transformar uma inobservância administrativa em motivos para denegrir servidores. Vejamos os fatos: O processo 02018.002353/2015-75 só foi encaminhado ao NUIP/Sede em 24/08/2016 depois que os proprietários foram obrigados pela Gerente Executiva do Ibama em Santarém, Maria Luiza Gonçalves de Souza, a depor no Ministério Público Federal(MPF) em 18/08/2016. Essa seria a única prerrogativa para o simples encaminhamento de um processo ao destino competente. Caso irrefutável de abuso de autoridade, coação e peculato e isto está registrado nas oitivas do MPF. O comportamento da Gerente sempre se pautou de forma estranha e velada. Apesar de haver na Gerência de Santarém uma sala de atendimento com câmera e gravação de áudio para atendimento dos usuários por todos os servidores, isso não se aplica à gerente Maria Luiza. Sempre que os empresários chegavam ao órgão eram imediatamente encaminhados pela recepção, que recebia ordens do andar superior, para seguir ao Gabinete e onde sofriam abusos e foram coagidos a denunciar fatos inexistentes a respeito de servidores. Pergunta-se: por que a nobre gerente não quis a conversa filmada e gravada? Em quantas oportunidades os empresários foram obrigados a se dirigir ao IBAMA? Ressaltamos que tudo está gravado pelos sistemas de câmeras da entrada do prédio. Revela-se, ainda o péssimo atendimento praticado pela servidora Dayna, com o apoio total dos gerentes Maria Luiza (Malu) e André, uma prática que hoje é a regra na gerência de Santarém como em nenhum outro lugar do Brasil, que ao que parece rasgou há muito tempo o estatuto da OAB”, denuncia.

    “Afirmou, ainda, em reunião no gabinete que veio do Paraná junto com uma tal de Ana para limpar a gerência de Santarém. Gerência corrupta, segundo Maria Luiza, com servidores corruptos e que se os empresários as ajudassem a denunciar, ela, Maria Luiza, os ajudaria rapidamente com o desbloqueio da empresa em Brasília, pois ela diz ter todos os poderes para tal (em quanto tempo a empresa foi desbloqueada depois que os empresários fizeram o que a gerente queria?). Que certa advogada já havia denunciado situações e que precisaria de fatos novos para dar corpo à denúncia que da primeira vez não apresentou fundamentos, sem, porém, parecer que há a Gerência por traz de tudo, para não parecer perseguição. Esta advogada não representa e nunca representou os empresários, a empresa, em nenhum ato do processo. Não bastasse o constrangimento do vexame do depoimento como se os empresários fossem bandidos, ainda sofreram o assédio do Coordenador do NUIP/Santarém, Roberto Vergílio Seidel, que ficou protelando o envio do processo à Brasília. Justificou que os Avisos de Recebimento – AR encaminhados à sede da empresa e ao endereço residencial da proprietária não tinham sido devolvidos pelos Correios mesmo depois da apresentação física da proprietária dando ciência da notificação de bloqueio, afirmando que era necessária a presença dos empresários para falar diretamente com a gerente”, disse o denunciante.

    Que abuso!!!! Um AR valer mais do que a assinatura da proprietária em pessoa. Não satisfeito, enviou o processo ao Gabinete de Santarém, isso mesmo, ao Gabinete e não ao NUIP/Sede como seria o correto, questionando se poderia enviar o processo sem o retorno do AR, mas com a ciência da proprietária (DESPACHO 02048.001324/2016-10 NUIP SANTARÉM/PA de18/08/2016). ESCALABRO TOTAL, conluio!

    Prova de que esse circo todo do comportamento de caráter duvidoso da Gerente que está implantando um clima de terror, ignorando a legislação e prerrogativas de advogados, verdadeira caça às bruxas e mal atendimento aos usuários, que tem suas atividades suspensas por questões de ego, foi o desbloqueio em tempo recorde, mas no fundo justo, feito pelo NUIP/Sede que recebeu o processo em 30/08/2016 e decidiu pelo desbloqueio no DOF em 31/08/2016, pois a empresa, como dito anteriormente, estava pautada na legalidade e já havia apresentado toda a documentação pertinente à gerente anterior.

    “Na realidade nos parece que a prática não é uma ação isolada, pois segundo informações existem várias empresas bloqueadas que nem pareceres técnicos foram elaborados ainda, que estão aguardando as orientações da Gerente para processo de desbloqueio e estão todos nas mãos do mesmo servidor, Tiago Jara, que por acaso é esposo da gerente Maria Luiza. Sabemos que existe uma denúncia junto a OAB/STM de que o servidor do IBAMA Tiago Jara junto com a Sema municipal de Santarém teriam servido de jagunços para retirada de comunitários das terras de um rico fazendeiro e onde ameaçaram com armas em punho pessoas simples, pais de família, destruíram plantações de mandioca, banana e pimenta, derrubaram casas, tudo sem ordem judicial e utilizaram inclusive o helicóptero do IBAMA para isso e o nome de outras instituições. Quem pagou as despesas disso tudo? Houve pagamento de algo? O que há por traz dessas ações?”, declarou o denunciante.

    “Essas denúncias sérias estamos investigando e em breve daremos novos fatos. Os órgãos competentes devem apurar as circunstâncias dos fatos ligadas ao processo 02018.002353/2015-75, onde há fortes indícios de coação, peculato, abuso de autoridade e conluio de três servidores (André, Maria Luiza e Roberto), observando o tempo que o processo ficou nas mãos de cada um deles e por quais motivos, pois se a Gerência é corrupta como a própria direção afirma que apure de forma justa e não ameaçando terceiros de boa-fé, forçando-os a denunciar fatos inexistentes. Que apure as circunstâncias da ação do servidor Tiago Jara, custos, autos lavrados, utilização de helicóptero, e principalmente as ameaças que segundo informações foram feitas também dentro do IBAMA na frente das câmeras da sala de audiência. Essa denúncia já foi protocolada no Linha Verde, o canal de denúncias do Ibama”, conclui o denunciante.

    Resposta
  • 4 de novembro de 2016 em 18:23
    Permalink

    A palavra institucional tem valor inestimável, agora quando a instituição está entregue nas mãos de pessoas que podem utilizá-la para outros fins, então tudo parece perdido, e realmente demora para que outras instituições percebam que há algo de errado e acabam sendo usadas. Se realmente o mandatário do IBAMA é indiciado por corrupção, então nada está em seu lugar e tudo se pode esperar.

    Resposta
  • 4 de novembro de 2016 em 17:25
    Permalink

    BELÉM UMA CORREÇÃO A VOCÊ, POIS O COMPORTAMENTO SUSPEITO DA PROMOTORA DO MPF QUE DEFENDEU EVARISTO E O USO IRREGULAR DO HELICÓPTERO ESTÁ NA EDIÇÃO 1113 DO BOCÃO.
    SEGUNDO MAS LÍNGUAS ESSA PROCURADORA ESTÁ PROTEGIDA PELO SR. RODRIGO JANOT E APROVEITA-SE DISSO PARA COMETER ATOS IN LÚCIDOS COMO ESTES.

    ESTA É A REPOTAGEM:

    https://www.oimpacto.com.br/bocao-ed-1113/

    Resposta
    • 4 de novembro de 2016 em 18:06
      Permalink

      Bater em morto e em caçador é fácil. O ibama já foi no Arapiuns? Ah! não pode é projeto de deputado.

      Resposta
  • 4 de novembro de 2016 em 15:15
    Permalink

    QUANDO BOCÃO NA EDIÇÃO Nº 113 RETRATOU O COMPORTAMENTO ESTÉRIL E ESTRANHO DA PROCURADORA DO MPF TENTANDO DEFENDER UMA PARTE POR ELA POSSIVELMENTE PROTEGIDA DO IBAMA, QUE USAVA O HELICÓPTERO DO IBAMA PARA FAZER FESTAS AÉREAS EM NOVO PROGRESSO, PARECE JUSTIFICAR O PERSONAGEM DO SR EVARISTO NA TRAMA QUE VEM SENDO DESENTERRADA NESTE ENREDO MACABRO.

    Resposta
  • 4 de novembro de 2016 em 15:13
    Permalink

    ILAÇÕES NÃO VÃO INTIMIDAR AÇÕES POSITIVAS DA JUSTIÇA. A TEORIA DA CONSPIRAÇÃO PASSA, E FICAM OS PROCESSOS E PROVAS.

    Resposta
    • 4 de novembro de 2016 em 18:15
      Permalink

      Realmente os processos ficam e tem um final e as provas ilegais serão destruídas na justiça. Realmente a palavra Ilação é a única a ser utilizada para os defensores do guru. para os que estão com suas transferencias prontas como parte do prêmio, digo que a justiça tem braços longos e alcançara a todos em qualquer lugar do mundo.

      Resposta
  • 4 de novembro de 2016 em 13:28
    Permalink

    ESSA CHEFE DO IBAMA RECEBE GRANA EM SUA CASA PARA FAZER OPERAÇÕES.

    Resposta
  • 4 de novembro de 2016 em 13:23
    Permalink

    Quando Luciano Evaristo pagou Sergio Suzuki com dinheiro sujo e cargo de superintendente em Belém pelas serviços prestados a Castanha, lousano e outros, todo mundo aqui sabia. Hoje se fizessem uma auditoria nos atos de Suzuki Em belem iam encontrar o mundo de sujeira que ele deixou aqui, além do imenso apoio que deu para a quadrilha de Novo Progresso. Ele vai rodando por onde o Luciano manda sempre cometendo todo tipo de crime. Esse cara é perigoso e protegido, por isso não foi preso com lousano, se ele cair Luciano Evaristo ta ferrado.

    Resposta
  • 4 de novembro de 2016 em 13:00
    Permalink

    A TEORIA DA CONSPIRAÇÃO DA ELENICE É UM CONTRA CENSO QUE DESAPARECE FRENTE AO OBJETIVO DO MP E JUSTIÇA. AMBOS TRABALHAM DENTRO DE UM CONJUNTO PROBATÓRIO E COM REGRAS OBJETIVAS DENTRO DA LEI PENAL.

    Resposta
    • 4 de novembro de 2016 em 18:03
      Permalink

      A justiça e o MPF trabalham com provas que lhes apresentam. Prova forjada não prospera na justiça, no devido processo legal. Denunciação caluniosa é crime.E não vai calar.

      Resposta
  • 4 de novembro de 2016 em 12:55
    Permalink

    EDUARDO LUÍS BOZZOLAN AFONSO. PILANTRA TU PENSA QUE TU TÁ FORA DA PUTARIA QUE VCS VINHAM FAZENDO NO IBAMA SANTARÉM. TU DEVIA TER PENSADO ANTES DE VIM AQ ELABORAR NOTAS TÉCNICAS ENCOMENDAS PELA MALU PARA INCRIMINAR SERVIDORES. TU FAZ PARTE DA QUADRILHA E VAI PAGAR JUNTO COM ELES BANDIDO. NÃO ADIANTA POR QUE NO ADMINISTRATIVO TEM COMO SE DEFENDER DAS MENTIRAS QUE TU ESCREVESSE PILANTRA. TUA CHEFE JÁ TE DISSE QUE A CASA CAIU. QUE O PLANO DE PRENDRE TODO MUNDO EM FEVEREIRO DO ANO QUE VEM DEU ERRADO. TE PREPARA VIADO, FRESCO, QUE TU TAMBÉM VAI RESPONDER NA JUSTIÇA PELA ASSOCIAÇÃO A QUADRILHA DO INDICIADO POR CORRUPÇÃO LUCIANO EVARISTO.

    Resposta
  • 4 de novembro de 2016 em 12:22
    Permalink

    VOCÊS LEMBRAM QUE POSTEI ESTE COMENTARIO NA ULTIMA MATERIA DO LUCIANO EVARISTO.

    NOTÍCIA QUENTINHA DE BRASÍLIA. O MINISTRO DO MEIO AMBIENTE, COM PEDIDO DA PRESIDENTE DO IBAMA. VAI MANTER NOS CARGOS DE DIRETOR GERAL DE FISCALIZAÇÃO AMBIENTAL DO IBAMA E VICE-PRESIDENTE DO IBAMA O ENTÃO INDICIADO POR CORRUPÇÃO POR RECEBER PROPINA LUCIANO EVARISTO. APÓS REUNIÃO E ALGUMAS AMEÇAS DE LUCIANO EM RELAÇÃO A DELAÇÃO PREMIADA OS DIRIGENTES DO ÓRGÃO FICARAM DE MÃOS ATADAS.
    ONDE ESSE PAÍS VAI PARAR!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    TUDO ISSO ACONTECEU COMO FALEI. ELES TIRARAM ELE DE FOCO E SEGURARAM TUDO.
    AGORA TA MAIS DIFICIL O PARTIDO DENUNCIOU TUDO PARA O MINISTRO SARNEY. A FOTO DO MINISTRO TA NA MATERIA DAQUELE JORNAL FOLHA DE PROGRSSO E O BICHO TA PEGANDO. AQUI LUCIANO EVARISTO TA IGUAL O CUNHA DIZENDO QUE SE CAIR LEVAR MEIO MUNDO.
    ESSE JORNAL DE SANTAREM PROTOCOLOU AS DENUNCIAS NO LINHA VERDE, NA CORREGEDORIA, NA PRESIDENCIA DO IBAMA, NO MINISTERIO DO MEIO AMBIENTE.
    O CLIMA TA TENSO MAS AGENTE ACHA QUE DESSA VEZ TA MAIS DIFICIL SEGURAR POIS TEM PROVAS ELE TA INDICIADO POR CORRUPÇÃO, VAMOS ESPERAR E VER SE O RATO VAI CONTINUAR DEBAIXO DA PEDRA!

    Resposta
  • 4 de novembro de 2016 em 12:03
    Permalink

    Os resultados da operação mostram-se catastróficos e sem efetividade, pois nada do que foi delatado pelo IBAMA/BRASÍLIA, mostrou-se verdadeiro, assim o que foi informado pela Divisão de Proteção Ambiental – DIPRO/IBAMA/DF, sob o comando do senhor Luciano Evaristo, à Polícia Federal e ao Juiz Federal da Subseção de Santarém, como atos ilícitos praticados por servidores da Gerência de Santarém, foi constatado como inverossímil após o cumprimento dos mandados judiciais.

    Na época, favorecimento a empresas madeireiras, fraudes, corrupção e desaparecimento de processos foram investigados pela Polícia Federal.

    Nossa reportagem revelou, ainda, que o IBAMA/BRASÍLIA criou o factóide em tela (ocorrências de autuação de laranjas e ainda retardamento de apuração em processos administrativos ambientais, praticados por servidores de Santarém), sendo que no decorrer das investigações tais suposições demonstraram-se meras ilações, apenas com fito de macular a imagem da gerência local e assim justificar o seu fechamento, pena que para isso usaram duas instituições sérias: a Polícia Federal e o Juízo da 2ª Vara Federal de Santarém, para concretizar seu infame plano.

    Segundo uma fonte, as investigações mostraram que as alegações de ocorrências de ilícitos na Gerência de Santarém, acima mencionados, mostraram-se ilações e factóides (falsos fatos). As investigações revelaram, ainda, que a motivação era macular a imagem da gerência local, para fechá-la, sendo que após a intervenção e sem atendimento ao público por 60 dias, a Presidência do IBAMA fechou a Unidade Gestora da Gerência Executiva de Santarém-Pa.

    Hoje, a Gerência de Santarém não gere mais recursos de qualquer natureza. Por exemplo, para comprar água, copos descartáveis, papel higiênico e tudo mais depende da Superintendência de Belém.

    Resposta
  • 4 de novembro de 2016 em 11:40
    Permalink

    BONITO. AGORA VAMOS VER O QUE ESSA GERENTE DO IBAMA VAI FALAR. DENUNCIOU O TAL DE SUZUKI COMO BANDIDO QUE ESCONDE BANDIDO LAVRANDO AUTO DE INFRAÇÃO EM NOME DE LARANJA E AGORA O NOMEIA COMO ACESSOR ESPECIAL DE GABINETE. ACHO QUE NÃO TINHA COMO RECRUTAR MAIS NINGUEM PARA COMETER OS CRIMES EM SANTAREM E ELA TEVE QUE SE ARRISCAR TRAZENDO O BANDIDÃO. BORA VER OS RESULTADOS QUE ELE TA TRAMANDO LA DENTRO. SO QUE AGORA TUDO É SUSPEITO. VAMOS VER ATE AONDE VAI A CARA DE PAU.

    Resposta
  • 4 de novembro de 2016 em 10:59
    Permalink

    O denunciante parece ter medo de afirmar que o conluio revelado também está ligado ao MPF e demais membros do judiciário, que estariam escolhendo alvos a punir com suposições sem observância legal para que verdadeiros ladrões públicos sejam escondidos atrás da cortina de fumaça de supostos inocentes.
    Sim, é preciso que o MPF também seja investigado, e que o IBAMA de Santarém, seja melhor investigado e punido, e que a justiça cumpra seu papel de imparcialidade na apuração dos fatos sem conchavos parciais.

    Resposta
    • 4 de novembro de 2016 em 11:57
      Permalink

      Ei. Se o MPF comete errors é porque alguem ta enganando ele, no caso o Ibama. Tu não viu que eles enganaram um delegado e um juiz federal. Não acredito que o MPF esteja vendido, so precisa abrir os olhos e fazer seu papel corretamente. por exemplo, não podia divulgar os dados do processo na sua pagina na Internet sendo que o mesmo estava sob sigilio de Justiça. e se essas pessoas forem inocentes? na verdade so de ter divulgado ja se considera crime.

      Resposta
  • 4 de novembro de 2016 em 08:36
    Permalink

    O MPF também tem o deve institucional de conversar com os servidores, quebrando esse gelo, abrindo o dialogo que com certeza vai contribuir para a boa investigação, colocando o pingo no I!

    Resposta
  • 4 de novembro de 2016 em 08:12
    Permalink

    Muito feio a situação do IBAMA

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *