Zeca pagodinho é inocentado em acusação por fraudes em shows

zeca-pagodinho-no-ano-passado-ao-lancar-seu-primeiro-album-de-ineditas-em-5-anos
Zeca Pagodinho no ano passado ao lançar seu primeiro álbum de inéditas em 5 anos

O cantor Zeca Pagodinho foi absolvido, na quinta-feira, pela 1ª Turma Criminal do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, das acusações de fraude na contratação de shows pela extinta Empresa Brasiliense de Turismo (Brasiliatur), em 2008. A decisão foi por unanimidade. Em entrevista ao GLOBO, o cantor fez duras críticas à condenação da 5ª Vara Criminal feita no ano passado. A pena foi de três anos de detenção em regime aberto, sendo convertida em prestação de serviços à comunidade e ao pagamento de valor a ser definido pela Justiça.

— Confio na Justiça. Continuo sendo o mesmo que sou. Meu pai, se estivesse vivo, ficaria muito chateado. Minha mãe passou mal na época. Quem me conhece, sabe bem. Mas isso é Brasil. Se fosse um país mais sério, isso não aconteceria — criticou.

Além do artista, também foram condenadas outras quatro pessoas das empresas responsáveis pela produção e pela contratação de dois shows. O primeiro foi a Expoagro, realizada em 18 de abril de 2008, e o segundo foi o aniversário de Brasília, comemorado no dia 21 de abril do mesmo ano. De acordo com o Ministério Público (MP), todos deixaram de cumprir “formalidades pertinentes à inexigibilidade de licitação” em shows de dois eventos.

Os dois shows foram contratados pela Brasiliatur sem realizar licitação. Para o MP, além de não conseguir comprovar o orçamento detalhado com todos os custos, os acusados também superfaturaram os dois eventos. Só no primeiro show, o órgão diz que Zeca Pagodinho recebeu R$ 170 mil de cachê, enquanto outras comemorações realizadas em Brasília no mesmo período custavam em média R$ 200 mil para o pagamento de artistas e montagem da estrutura dos eventos. Pela mesma situação, o MP também tinha pedido a condenação do artista por peculato – quando alguém age junto a um funcionário público para desviar bens do governo.

‘A gente que é sambista sofre muita perseguição’

– Zeca PagodinhoCantor

Zeca Pagodinho não soube dizer de onde partiram as acusações, mas disse que os sambistas sofrem perseguição.

— A gente que é sambista sofre muita perseguição. Não sei de onde tiraram isso. Sou transparente e sério do jeito que meu pai me ensinou. E não pretendo mudar — completou o cantor, que se apresenta no Citibank Hall nesta sexta-feira e neste sábado.

Fonte: O Globo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *