SERÁ QUE PRECISARIA DA PEC 241?

Aprovada na quarta-feira (09) na comissão especial vai para o Senado para a votação em dois turnos, espera o governo estar aprovada até na primeira quinzena de dezembro/2016.

É a PEC (Proposta de emenda à Constituição) do corte das despesas, ou da redução dos gastos por 20 anos. A Proposta de Emenda à Constituição 241/2016 foi apresentada em junho pelo governo Michel Temer, antes mesmo da consolidação do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. O projeto estabelece um teto para as despesas federais primárias. Isto é, para todos os gastos do governo, exceto o que é pago de juros e amortização das dívidas interna e externa.

A idéia é desvincular as despesas públicas do desempenho da economia (variação do PIB), como ocorre hoje. Ao invés disso, os gastos só poderão aumentar no limite da inflação do ano anterior. Dessa forma, o crescimento real seria igual a zero.

Disse, quarta-feira (09), o nosso Presidente – legítimo (pois sua eleição foi vinculada com a da ex-presidente. A última eleição que se votava para presidente e vice separados foi a de Jânio Quadros que era de um partido a UDN e João Goulart- que era do PTB. Após a reabertura política do Brasil, ficou vinculado, quem vota no Presidente, vota no vice, para Governador, vota no vice e para Prefeito vota no vice. Então, por que acham que não é legítimo?). Disse o Presidente que era uma atitude que deveria se “cortar na própria carne”. Mas deixou de incluir a carne dos poderes. Só na carne do povão!.

Que tal se nos três poderes se pudesse cortar: a gasolina, os carros de luxo, os motoristas, os seguranças, as polícias legislativas, serviços gerais, domésticas, caseiros, jardineiros, as passagens aéreas, os cartões corporativos, as ajudas de custos, os imóveis funcionais,(e ainda alguns recebem auxilio moradia), a verba do paletó e do toga, os gigantescos salários, além de diversas vantagens que aumentam até dez vezes mais, os planos de saúde, estes não vão para o SUS, vão para o Sírio Libanês, (ou outros mais sofisticados) com direito a jatinho da FAB para conduzi-los? O direito ao supermercado (não compram um palito de fósforo), cafezinho e água mineral, durante o expediente e em seus gabinetes com direito a garçons para servi-los. Os milhões gastos em papel para CPIs que não chegam a nada. Verba de gabinete e as dezenas de assessores. As verbas doadas para UNE, MST, FBES, e para os artistas de teatro, cantores e outros produtores, (daí por que não gostaram da mexida no Ministério da Cultura).

Retirariam e fariam devolver os seguros defeso, por exemplo, em Brasília que só tem o Lago Paranoá, tem quinze mil pescadores, com direito a seguro defeso. Aqui em Santarém tem um pessoal que fica escamando peixe, na feira do peixe, na buchada e no Porto dos Milagres, cobram para isso e são inscritos como pescadores na Z-20 para receberem o seguro desemprego, na época do defeso. Que tal?

Retiraria algumas bolsas ilegais, como família, bolsa verde, luz de graça, gás. (somente para aqueles comprovadamente carentes, e não os apadrinhados dos políticos que estão no poder), além de muitos outros gastos supérfluos que não dá para relacionar agora.

Ainda entendo que se deveria pegar os bens desses infratores, comprovados, que devolvessem os valores roubados da Previdência Social, por exemplo, pois assim não ficaria com déficit ameaçando não pagar o aposentados. Mas não! É preferível aumentar a despesa, sustentando esse pessoal na cadeia, quando presos forem!

Pois é até aí, e até agora, não se falou em cortes na carne dos homens de Brasília. O governador Pezão, no Rio de Janeiro, (grande prejudicado pelas perdas dos royalties da Petrobrás e das obras paralisadas naquele Estado pela roubalheira em série da estatal do antigo “Petróleo é nosso”, pelo menos no seu pacote, está incluído a redução do seu salário e dos secretários. Mas na PEC 241 não se fala nesses cortes para os detentores de mandatos e nem das suas mordomias. E o pior, na contra mão da história e do pacote querem aumentar seus salários. Até os vereadores de Santarém, Mojuí (teve bronca por lá), então, é só venha nós. O vosso reino nada. O que demonstra que não estão preocupados com o povo. Que este se exploda! (como dizia um personagem do saudoso Chico Anísio).

A PEC será aprovada não tenha dúvidas, por força, de jantares e cafés da manhã, no Palácio. O Palácio do Planalto tem se empenhado nas últimas semanas para acelerar a agenda do ajuste fiscal. O trabalho tem 2 objetivos imperativos: 1) aprovar a emenda constitucional do limite dos gastos na Câmara e no Senado antes do final do ano e 2) aprovar em uma comissão especial o texto preliminar da reforma da Previdência ainda em 2016.

A oposição se esperneando, mas tem a grande culpa, pois foi nos governos dos que foram excluídos nas urnas, recentemente, pelo povo, que quebraram o País de ponta a ponta. Mas vem mais arrocho por aí, mas para o povo, para os mandatários dos três poderes não estão mexendo em nada. Então, durma-se com um barulho desses.===POST SCRIPTUM == Até hoje não se sabe se algo foi feito pelos órgãos municipais, para saber o real motivo para não se levar o nosso PIRACUÍ por via aérea. Tem alguma explicação científica? ///////// Se vivo estivesse, ontem, 10.11.2016, meu saudoso pai ÉLVIO FONSECA, estaria completando 92 anos. Descanse em Paz, papai ////// Mas como explica a Filosofia que vivemos no mundo dos contrastes, nesta mesma data, a minha esposa, NINFA, companheira de 39 anos, está completando 67 risonhas primaveras. Que Deus lhe dê muita saúde para continuar no nosso lado, meu e das nossas filhas ////// Amanhã, dia 12, estará completando 60 anos meu irmão LÚCIO ANTONIO SILVA FONSECA, funcionário do INFRAERO. Que Deus lhe conceda muitos e muitos anos juntos conosco e com sua família maravilhosa. ////// Na Marinha de Guerra do Brasil tinha uma expressão muito comum quando a coisa não estava organizada, se dizia que: “Agora aqui tocou barata voa”. É o que está acontecendo no final do mandado do governo tucano. Parou quase tudo, os ônibus, do transporte escolar, a coleta do lixo está sendo feita devagar, as calçadas da Turiano Meira e da Anísio Chaves pararam de vez e os outros setores, dizem até que não tem luvas para o pessoal do Pronto Socorro Municipal, nem roupas para os médicos. Diziam os antigos, “comeu o filé, agora roi o osso!”. Faltam apenas 42 dias para encerrar o mandato desse governo que está aí, que pouco fez por Santarém, o povo deu-lhe a resposta. Tanto que perdeu a reeleição no primeiro turno. NÃO CUSTA NADA PERGUNTAR: será que sobrou alguma quantidade de cal para colocar nas ruas por onde vai passar o Círio de Nossa Senhora da Conceição?./////// Hoje tem sexta da saudade no FLUMINENSE com a dupla romântica MILTON E MILENA, promoção da Associação dos Moradores do Conjunto Tapajós – Cohab, e amanhã, excepcionalmente, Promoção da Pastoral Familiar, com a Banda Milton e Milena. Imperdível!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *