Briga de facções provoca mortes no presídio de cucurunã

Em Santarém, oeste do estado, os problemas relacionados ao Complexo Penitenciário localizado na comunidade de Cucurunã, têm demonstrado a sua face mais aterrorizante. Em menos de uma semana, foram registrados dois homicídios dentro dos pavilhões da cadeia pública.

As mortes, rebeliões e fugas registradas ao longo de 2016, são resultados da decadência do sistema penitenciário do Estado do Pará. Superlotação é registrada, tanto no Centro de Triagem Masculina, quanto no Centro de Recuperação Agrícola Sílvio Hall de Moura.

Segundo informações não confirmadas pela Polícia, as duas mortes registradas na última semana podem estar relacionadas com brigas entre facções adversárias, que disputam o controle do tráfico de drogas.

POLÍCIA CIVIL INVESTIGA MORTES DE DETENTO NO PRESÍDIO DE SANTARÉM: A Divisão de Homicídios da 16ª Seccional de Polícia Civil iniciou os trabalhos de investigação para elucidar as duas mortes registradas no Complexo Penitenciário de Cucurunã. Na quinta-feira (8/12), o presidiário Ednailson Clayton Maranhão Souto, 26 anos, natural da cidade de Monte Alegre foi assassinado com requintes de crueldade. De acordo com informações, a vítima foi morta com vários golpes de faca e de estoques (armas confeccionadas pelos próprios presos utilizando-se de vergalhões de aço). O crime aconteceu por volta de 14h, no pavilhão 1, da Penitenciária Sílvio Hall de Moura. A vítima havia sido condenada por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo,  foi encontrado pelos agentes da Susipe com várias perfurações no corpo e com pescoço parcialmente cortado. O delegado Germano do Vale, titular da Divisão de Homicídios e o delegado Herbert Farias Júnior, que estava de plantão, foram à penitenciária juntamente com a equipe de investigadores, para iniciar o levantamento de informações que irão subsidiar o inquérito policial.

Na terça-feira (13/12), outro detento foi assassinado com as mesmas características, no entanto, a vítima da vez, foi decapitado.  Alexander Ferreira Silva, vulgo Durox, era natural do estado do Mato Grosso do Sul, e estava preso acusado de cometer diversos assaltos pela cidade.

EMPRESÁRIO VÍTIMA DE ATENTADO ESTÁ DESAPARECIDO EM ÓBIDOS: O veículo do empresário Luciano Otávio Franco da Silva Júnior, responsável pelo transporte escolar no município de Óbidos, na região da Calha Norte, no Pará, foi queimado nas proximidades da estrada que dá acesso ao “Porto do Beto Canto”.

Até o fechamento desta matéria, segundo informações da Polícia, o empresário ainda não havia sido encontrado, deixando seus familiares apavorados. A Polícia desconfia que o empresário pode ter sido vítima de um sequestro ou até mesmo de homicídio.

De acordo com informações do Portal de Notícias Obidense, ele foi visto pela última vez com o carro estacionado em frente a um bar da cidade, e saiu com uma moça para comprar bebidas durante a noite e não voltou mais. A polícia não tem pistas e nem informações sobre o ocorrido e busca resposta através de investigações, mas até o momento não tem nada sobre o caso que até agora é um mistério. “Apesar do carro ter sido encontrado, ainda não há informações sobre paradeiro do empresário e estamos trabalhando em várias linhas de investigação para que possa ser desvendado esse caso mais rápido possível”, disse  Tenente Artur da Polícia Militar.

BANDIDOS ARROMBAM ESCOLA NA MATINHA E LEVAM MERENDA ESCOLAR:  Nem mesmo os educandários estão sendo dispensados pelos meliantes que agem em Santarém. O diretor da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio São Felipe que o diga.

Na madrugado de domingo (11), bandidos invadiram a escola, arrombaram a porta que dava acesso à cozinha e conseguiram abrir os cadeados dos freezers, de onde conseguiram subtrair sete frangos, 14 kg de carne e diveros pacotes de polpas de frutas. “A merenda era para abastecer toda a escola, incluindo os anexos, durante o mês”, disse o diretor da escola, Denilson Pereira.

Segundo o diretor, essa é terceira vez neste ano que o educandário é alvo dos bandidos, porém, esta foi a primeira vez que levaram a merenda escola. “Já tivemos furtos no setor administrativo, aonde foram levados computadores, notebooks, aparelho de DVD e televisão”.

HOMICÍDIO NA NOVA REPÚBLICA: A Polícia Civil investiga um homicídio registrado no bairro da Nova Republica. A vítima foi o trabalhador autônomo Hernan Henrique Araújo dos Anjos, de 31 anos, que teve várias lesões pelo corpo e um golpe na cabeça. Ele chegou a ser levado para o Pronto Socorro Municipal (PSM), mas não resistiu aos ferimentos. Os golpes na região da cabeça o lesionaram fatalmente, ocasionando traumatismo craniano. O caso foi registrado na 16ª Seccional de Polícia Civil.

Segundo familiares da vítima, Hernan teria saído de casa dizendo que iria visitar um amigo. Por volta das 15h retornou já machucado e sangrando bastante. Ele não informou o que aconteceu e nem quem teria sido o autor da agressão. De acordo com o boletim de ocorrência, o homem pode ter sido vítima de espancamento nas proximidades de sua residência por agressores que estavam em um carro branco.

ASSASSINO DE PROFESSOR É PRESO PELA POLÍCIA: Uma Operação-conjunta realizada pelas polícias Civil e Militar, na madrugada de quinta-feira (15), resultou na prisão do principal suspeito de matar o professor Ardson Ferreira, de 33 anos, fato ocorrido no dia 09 deste mês.

Após muitas buscas, os policiais conseguiram prender Luan Tavares do Rosário. O criminoso estava escondido na comunidade do Murta, há 52 km da Estrada do BEC. Luan foi levado para a Delegacia de Polícia de Oriximiná, onde prestou depoimento e confessou ter matado o professor.

FATOS: Ardson Ferreira era professor de matemática na rede estadual de ensino e foi encontrado morto na madrugada do dia 9 de dezembro, na Rua da Granja, no bairro São Lázaro. De acordo com a Polícia Militar, o corpo apresentava várias perfurações, possivelmente provocadas por uma faca.

No mesmo dia do crime, a Polícia havia prendido um jovem de 21 anos, suspeito pela morte do professor, mas como não houve provas, ele foi liberado na manhã de quarta-feira (14).

Na terça-feira (13) cerca de 10 mil pessoas se reuniram em uma manifestação pelas ruas de Oriximiná pedindo Justiça. O protesto reuniu servidores públicos e a sociedade civil contra a violência, e outros crimes no Município. Os manifestantes estiveram em frente ao Fórum, Prefeitura à Câmara de Vereadores onde entregaram ao presidente da casa, um documento repudiando a “onda de violência” na cidade.

Por: Edmundo Baía Júnior

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *