Descaso – Moradores denunciam abandono do bairro Alvorada

A falta de políticas públicas e de atenção por parte da Prefeitura de Santarém motivou os moradores do bairro Alvorada, localizado próximo ao Residencial Salvação, em Santarém, oeste do Pará, a denunciar o abandono por parte da gestão municipal. Hoje, segundo os moradores, além dos problemas ocasionados pela precária malha viária, ainda falta remédio, médicos e enfermeiros na unidade de saúde e água nas torneiras das residências.

Sem ter para quem apelar, os moradores da Rua João de Barros acionaram a reportagem do Jornal “O Impacto”. Após chegar ao local, nossa reportagem constatou a situação de abandono do bairro Alvorada. Entre os problemas observados, uma cratera localizada na esquina das ruas Valparaiso e João de Barros impede a circulação de veículos.

Por conta do enorme buraco, os moradores constroem palafitas para entrar em suas próprias residências, para não ficarem no isolamento. O problema deixa os moradores revoltados. Buracos, mato e muita lama fazem parte de praticamente todas as ruas do bairro. De acordo com a população do bairro, o último trabalho realizado no local, foi na gestão da ex prefeita Maria do Carmo.

Os moradores afirmam que passam por transtornos em dias de chuva, devido as condições das vias. A população está insatisfeita com a falta de serviços nas vias e cobram melhorias para as ruas.

A comerciante Deusa Queiroz, moradora da Rua Valparaiso, esquina com João de Barros, no bairro da Alvorada conta o dilema vivido diariamente por sua família. “Eu moro há mais de dois anos aqui e, quando eu cheguei aqui, já havia esse buraco. Nunca a Prefeitura mandou sequer um funcionário para ver de perto a nossa situação. Esse abandono sempre foi assim”, reclama Deusa.

Em dias de chuva, a rua fica tomada por lama. Segundo Deusa, a enxurrada é tão forte que as pessoas não conseguem sair de casa. “É quase impossível, porque a enxurrada é forte e cada vez que chove abre ainda mais esse buraco na rua e a gente não consegue nem sair a pé, com medo de cair”, relata a comerciante.

Deusa acrescenta que os serviços básicos, como viaturas da Polícia Militar e ambulâncias não chegam ao local, por causa do enorme buraco. “Isso é uma vergonha pra Prefeitura. Até a Cavalaria passa somente na rua que faz fronteira com o Residencial Salvação, porque não tem condições dos cavalos trafegarem aqui. Se alguém adoecer complica a situação, porque tem que contar com ajuda de vizinhos para poder chegar ao posto de saúde”, dispara.

Segundo Deusa, para usar o transporte público, os moradores têm que caminhar até a frente do shopping, devido a falta de manutenção das ruas, que impede a trafegabilidade dos ônibus. “Caminhamos muito todos os dias, simplesmente porque os ônibus não entram aqui. Esse buraco é uma falta de respeito do poder público. Além da lama, tem muito lixo dentro dele. Coisa podre e, tudo o que não presta está sendo jogado aí. Existem muitas ruas em condições precárias na Alvorada. Os comerciantes também sofrem porque os carros de abastecimento não conseguem chegar até o ponto comercial”, denuncia Deusa, reforçando que além dos problemas viários, a população do bairro sofre com a falta de remédios e de funcionários na Unidade Básica de Saúde.

“Esperamos que o novo governo olhe pra gente. Nós pagamos nossos impostos e queremos ter retorno. Da forma como a Alvorada se encontra, fica difícil morar aqui”, complementou Deusa.

Por: Jefferson Miranda

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *