Delegado de Mãe do Rio é condenado a 18 anos de prisão

Dentre os crimes, Mequesedeque Ribeiro foi condenado por sequestro e extorsão

A Justiça Estadual condenou o delegado Melquesedeque da Silva Ribeiro a cumprir 18 anos de reclusão em regime inicialmente fechado pelos crimes de sequestro e cárcere privado, extorsão, corrupção passiva e abuso de autoridade. O juiz Cristiano Magalhães Gomes decretou a sentença nesta última quarta-feira (11), após denúncia do Ministério Público do Estado, por meio da promotora de Justiça de Mãe do Rio, Andressa Ávila Pinheiro.

O CASO 

No dia 28 de março, Leonay de Souza Lima foi abordado por uma guarnição da Polícia Militar e acusado de ter cometido o roubo de um aparelho celular.  No alojamento da PM, o acusado foi informado de que sua liberdade poderia ser “negociada” com a devolução do celular roubado. Mantido em cárcere até 16h30, Leonay foi liberado em troca do pagamento de R$3 mil ao delegado de Polícia Civil de Aurora do Pará, Melquesedeque Ribeiro, e da entrega de um celular ao PM Ednei Leal da Silvado, que seria devolvido à suposta vítima, Janaína Barbosa.

Em relato, a mãe de Leonay revelou que o celular entregue ao sargento foi comprado por Leonay, de forma parcela em um estabelecimento comercial da cidade. A compra foi acompanhado pelo próprio PM.

Segundo a promotora Andressa Ávila, a ação teve intuito de beneficiar Janaína Barbosa de Sousa, suposta vítima de roubo de celular. Desta maneira, a Polícia Militar e a Polícia Civil atribuíram o crime à Leonay Sousa, que já tinha antecedentes criminais e possui monitoramento por meio de tornozeleira eletrônica. O acusado foi inocentado após divulgação do relatório da Susipe, em que foi constatada a localização de Leonay no momento do crime.

A assessoria de comunicação da Polícia Militar informou que o militar irá responder processo na justiça comum e Conselho de Disciplina, aberto pela Corregedoria da PM, podendo ser punido disciplinarmente ou até mesmo excluído das fileiras da Corporação.

Fonte: Portal ORM News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *