Eduardo Fonseca Ed. 1131

A POLUIÇÃO VISUAL

Eu já abordei este tema aqui neste hebdomadário, outras vezes, mas o atual prefeito de São Paulo, logo nas suas primeiras semanas de mandato mandou passar tinta cinza para apagar o trabalho dos grafiteiros em algumas ruas do centro de São Paulo. Alguns,trabalhos, a meu ver, não muito interessantes mas outros, umas verdadeiras obras de arte, alegou o gestor que estavam desgastada pelo tempo. Mas fácil seria restaura. Mas o prefeito Dória, para se sair disse que irá fazer jardins verticais nesta parte da cidade de São Paulo. Daí por que tomei emprestado e condensei o texto publicado no Jornal O Liberal de domingo 29.01.2017, intitulado: “EXCESSO DE POLUIÇÃO VISUAL PODE SER CAUSA DE ESTRESSE”, abaixo:

Como dizem os cientistas que cuidam desse assunto: “A Poluição visual é o excesso de elementos visuais espalhados desordenadamente e, em excesso, geralmente, em grandes cidades que promovem certo desconforto visual em alguns casos até estresse, segundo especialistas na matéria.

 Santarém, já tem este problema é comumente causado por anúncios, propagandas, placas, postes, fios elétricos, lixo e torres de telefone, churrasqueiras, entre outros, sobretudo no centro da cidade. Além da questão das calçadas que já foi motivo do Termo de Ajuste de Conduta entre a Prefeitura Municipal de Santarém e o Ministério Público Estadual, surgindo assim o Programa CALÇADAS LIVRES. Esperamos ter a continuidade neste ano.

 É bom saber que além dos danos estéticos da cidade, os anúncios desviam exageradamente a atenção de todos, gerando falta de concentração e irritação. São os mais diversos tipos de anúncios existentes, na maioria, na zona urbana da cidade, além desses anúncios serem  incentivo ao consumo desenfreado, que pode gerar problemas como: obesidade, tabagismo, alcoolismo e o aumento de geração de lixo nas ruas.

Ao lado deles, os comerciantes que se utilizam  exaustivamente de propaganda através de outdoor, faixas, panfletos, banners, os prejuízos também são muitos. A utilização excessiva de placas e out door acaba muitas vezes sobrecarregando os possíveis consumidores e clientes que E afugentando-os por demasia de informação, causando desse modo um efeito inverso ao pretendido inicialmente.

Para inibir e controlar esse tipo de poluição, uma possibilidade é a criação de leis que regulamentasse o uso de anúncios publicitários que são os principais causadores de danos. Em Santarém temos o Código de Postura do Município que dispõe sobre o ordenamento de propaganda visando equilibrar os elementos que compõem a paisagem urbana restringindo a publicidade externa como out door, faixas cartazes, cavaletes, banner e anúncios comerciais nos postes logradouros e prédios públicos, podendo responder na esfera municipal ou, ainda , dependendo do tamanho da infração ser agravada conforme prevê o Decreto Federal nº 6514/2018

Observa-se que a frequente saída da população da cidade nem que seja por um dia para um lugar mais calmo, sossegado, afastado da agitação da vida na cidade para recuperar  as energias e se manter tranquilo. Se é preciso se afastar do excesso de informação para recobrar a paz interior, é possível afirmar que estes bombardeios visuais fazem mal à saúde mental, conforme explicam os especialistas:  “a publicidade é, às vezes, muito danosa evasiva, quase desrespeitosa, não é somente os panfletos que empurram nas mãos das pessoas, são os berrantes  outdoors. É muita informação junta, coisa pendurada, faixa contrastante, etc. Isso tudo causa muito desconforto”. Disse o psiquiatra paraense Márcio Menezes. E ainda “ a poluição visual é empurrada para as pessoas e nos obriga a ver, a ouvir, a desviar a atenção quando nem sempre queremos. Ela gera uma poluição mental, porque muitas vezes as pessoas só querem andar tranquilamente e são bombardeadas com informações o tempo inteiro não há repouso para o pensamento!, completou.

Finalizou dizendo que observou cidades com menos informação, mais limpas, visualmente arborizadas aumentam a sensação de bem estar, enquanto aquelas com demasiado estímulos visual, como Belém, por exemplo, podem favorecera inquietude. No entanto ele apontou a poluição visual como um desencadeador de emoções que existem no indivíduo. Se ele está com raiva, um out door de cores berrantes pode contribuir para que esse sentimento se intensifique. /////////////// Mesmo com todo o esforço da secretaria competente no governo anterior para liberar ao área do Parque da Cidade, de estacionamento e ponto de venda de veículos, os vendedores se espalharam pela cidade, agora estão se apossando da calçada da 5ª URE na Curua Uma e Muiraquitã. Os vendedores não escolhem local, porque ainda não têm fiscalização, veja os de peixes, no dito mal chamado “tablado”, param o carreta, colocam a mesa e balança, vendem os peixes de procedência, não se sabe de onde, e não recolhem nenhum tostão de imposto para o município, nem o estado. Já estão chegando até na calçada do Forum  local, daqui a pouco será uma feira livre ali, como os ditos guardadores de carro. Então, vamos começar o ano antes do carnaval! /////// Ontem foi celebrada a missa de 7º Dia, em memória ao ex-prefeito RONALDO CAMPOS – o verdadeiro amigo dos seus amigos e amigo do povo menos favorecido. ///////Amanhã tem Baile da Saudade no Fluminense a partir das 22:30, com o toque musical da Banda Raízes da Terra e o pré Show com José Maria Alho. ////// E atenção, dia 27 de fevereiro – o baile de maior tradição no Carnaval santareno – “O Baile dos Quadrados” com Nen, banda e seus convidados. Adquira logo o seu ingresso antecipado a preço popular.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *