PF investiga falsos servidores da Receita Federal em Santarém

Delegada da Receita Federal, Lourdes Tavares, informa que pessoas lesadas devem fazer a denúncia na Polícia Federal, que está investigando.

Os empresários de Santarém e Região devem estar atentos em relação à atuação de pessoas inescrupulosas que agem com intuito de ludibriar e se dar bem a qualquer custo. Coincidência ou não, a forte crise financeira que atinge o País, e consequentemente nosso Município, ocasionou o aumento exponencialmente de todo que é tipo de golpes.

Nesta semana, a Delegacia da Receita Federal em Santarém comunicou que recebeu denúncia de pessoas que estão passando-se por fiscais do órgão, inclusive, para dar credibilidade ao golpe, os estelionatários se utilizam de identificação característica da Receita Federal, usando camisas e bonés com as logomarcas da instituição.

De acordo com informações, essas pessoas aplicam golpes em empresários interessados na compra de cargas. A Receita Federal informa que este tipo de ação deve ser denunciada à Polícia Federal para que sejam tomadas as devidas providências.

“Os falsos representantes utilizam camisas aonde se lê ‘Receita Federal’ e, além de exigirem documentos dos comerciantes, também estariam tentando vender mercadorias. A Receita Federal esclarece que em hipótese alguma oferece ou vende mercadorias para pessoas físicas ou jurídicas, a não ser em caso de leilão, cujos procedimentos são amplamente divulgados por edital e inteiramente operacionalizados pela Internet. Caso alguém com as características descritas se apresente, deve ser exigida a devida identificação funcional que possui um brasão, não bastando estar uniformizado. Se não ficar devidamente comprovada a identificação do servidor, os contribuintes devem entrar em contato imediatamente com as autoridades policiais para denunciar a fraude”, informou em nota a Receita Federal.

Segundo a delegada da Receita federal em Santarém, Lourdes Tavares, o processo de investigação sobre este ação criminosa, deve ser apurado na Delegacia da Polícia Federal de Santarém, que em pouco tempo deve tirar de circulação essas pessoas que fazem de tudo para se dar bem às custas dos empresários que no dia a dia mantêm-se firmes no trabalho de gerar emprego e renda.

OUTROS GOLPES: Não é de hoje que estelionatários utilizam o nome da Receita Federal do Brasil para fazer vítimas pelo País a fora. Uma operação da Polícia prendeu pessoas acusadas de aplicar golpes envolvendo a venda de suposta publicação em nome da Instituição.

O empresário recebe a ligação de uma pessoa oferecendo a assinatura de uma suposta “revista dos auditores”, dando a entender que, sem a colaboração, ele ficará sujeito a uma fiscalização da Receita Federal.

Os golpistas usam o nome de um auditor-fiscal e o endereço de uma Unidade da Receita Federal. O nome do auditor e o endereço são verdadeiros, porém, são usados indevidamente, pois o auditor-fiscal e a Receita Federal não têm relação alguma com o telefonema.

Neste caso, a Receita Federal informa que não oferece assinaturas de publicações e não contata contribuintes para vender produtos ou ameaçá-los. Nenhuma empresa ou pessoa física vai ser ou deixar de ser fiscalizada por ter feito ou não assinatura ou anúncio em qualquer revista ou doação a quem quer que seja. As pessoas que prometem tal “serviço” ou “proteção” são criminosas e devem ser denunciadas para a Polícia. Se usarem identificação falsa – fazendo-se passar por servidores – poderão responder, além do crime de estelionato, por falsidade ideológica, tendo que responder, ainda, pelos danos causados à imagem da instituição e do próprio servidor indevidamente envolvido. Se persistirem dúvidas, os contribuintes que forem vítimas desse golpe podem entrar em contato com alguma unidade da Receita Federal.

Por: Edmundo Baía Júnior

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *