Alunos da Ufopa e indígenas fecham BR 163 em protesto contra sojicultores

Um grande protesto aconteceu na Rodovia Santarém-Cuiabá (BR 163, em frente à sede do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Santarém. Os manifestantes protestam contra os empresários do ramo de soja (sojicultores), que estão demarcando várias áreas.

Um grupo de acadêmicos da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) e índios interditaram a rodovia BR-163, no trecho urbano de Santarém, por volta de 9h30, desta quarta-feira, 7 de junho.

Em um abraço simbólico e portando faixas e cartazes, os estudantes e indígenas protestaram contra o avanço do agronegócio na região oeste do Pará. Durante o protesto, os estudantes denominaram os sojicultores de ‘destruidores da Amazônia’.

Segundo Tamires Lopes, estudante da Ufopa, o verdadeiro motivo do protesto é acabar com a demarcação incontrolada dos territórios, principalmente na região do planalto, que está sendo feita pelos sojeiros.

Duas gigantescas filas de veiculos se formaram tanto no sentido centro/planalto quanto em direção ao Porto da Cargill. Quinze minutos depois, por meio de intermediação da Polícia Rodoviária Federal (PRF), os manifestantes liberaram o tráfego na rodovia Santarém-Cuiabá.

Os manifestantes também reivindicaram a saída do presidente Michel Temer (PMDB). Eles protestaram também contra a construção de portos no Lago do Maicá.

Fonte: RG 15/O Impacto

3 comentários em “Alunos da Ufopa e indígenas fecham BR 163 em protesto contra sojicultores

  • 7 de junho de 2017 em 22:13
    Permalink

    Índio Quer apito, Estudante quer baderna!

    Resposta
  • 7 de junho de 2017 em 11:00
    Permalink

    É uma pena que eles não querem ver o futuro é avinço chegando querem continuar nesse atrazo de vida

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *