Câmara se solidariza com garimpeiro e vai aprovar Nota de Repúdio contra Ibama e ICMBio

Luís Barbudo utilizou a tribuna da Câmara de Itaituba, na terça-feira (06), para denunciar a violenta ação do IBAMA e ICMBIO que destruíram tudo e ainda atearam fogo em sua draga causando prejuízo de um milhão e meio de reais. Para o garimpeiro Luís Barbudo essas ações estão inviabilizando a economia de Itaituba que ainda depende 80% de tudo que é gerado de receita nos garimpos da região. O garimpeiro afirmou que das 64 dragas que estavam operando nos rios, grande maioria já foi embora para o estado do Amazonas.

O garimpeiro, que coordena o Movimento pela Legalização da Garimpagem, calcula que com essa repressão do Ibama e ICMBio, Itaituba perdeu cerca de 170 quilos de ouro. Diante das operações que considera truculenta, indaga: O que será de Itaituba?

Luís Rodrigues disse, ainda, que vai entrar com ação no Ministério Público Federal contra a equipe que comandou a operação resultante na queima total de sua draga, por abuso de autoridade. Para isso, na manhã de terça-feira (06) registrou BO (Boletim de Ocorrência) na 19ª Seccional de Polícia em Itaituba.

A Câmara Municipal, mediante o dramático relato de Luís Barbudo, considerado um dos pioneiros na garimpagem do Tapajós, mostrou-se solidária e através do vereador Luiz Fernando Sadeck dos Santos (Peninha) propôs a aprovação de uma Nota de Repúdio contra Ibama e ICMBio, por considerar que essa foi um ação desastrosa. Cada Vereador vai articular com seus deputados federais para que se posicionem também contra a ação/repressão dos órgãos ambientais em nossa região.

Diego Mota se pronunciou e disse que é a favor da preservação ambiental, mas não em detrimento da sobrevivência daqueles que precisam explorar recursos minerais. Para Diego, é um absurdo a maneira como o governo trata a região.

Zé Beloni lembrou em suas palavras que a política ambiental do governo já acabou com a economia madeireira e agora a exploração de ouro segue o mesmo caminho. Maria Pretinha também manifestou seu apoio ao garimpeiro Luís Barbudo e demais pessoas que sofreram grandes prejuízos com a queima dos seus equipamentos, reforçando que o governo federal deveria respeitar nossa região já que as pessoas que estão trabalhando nos garimpos não são bandidos.

Na sessão de terça-feira estiveram presentes Maria Pretinha, Antônia do Borroló, Junior Pires (que presidiu a sessão no lugar de Cebola), Diego Mota, Manoel Rodrigues, Zé Beloni, Davi Salomão, Dadinho Caminhoneiro, Peninha, Daniel do Posto Dado e Nen de Miritituba. Todos os presentes se comprometeram em assinar Nota de Repúdio e tomar outras medidas para que as ações truculentas do ICMBio e Ibama cessem.

Por: Nazareno Santos

Fonte: RG 15/O Impacto

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *