Trabalhadores interditam Via Transportuária, que liga Transamazônica a Miritituba

Empresa aplicou calote nos trabalhadores e fornecedores, que trabalharam nas obras da Creche Pró-Infância

O protesto já havia sido anunciado desde a última quinta-feira (22), quando os trabalhadores das obras paralisadas de uma das creches do programa Pró-Infância acionaram a reportagem para denunciar o não pagamento dos salários.

Além dos trabalhadores, alguns fornecedores de materiais e alimentos também fizeram denúncia. Eles dizem que os diretores da empresa Lisboa Empreendimentos Construtora Comércio e Serviços Limitada simplesmente desapareceram há mais de dez dias e não deram sequer uma previsão de quando o pagamento seria efetuado. Até os cheques passados pela empresa não têm fundos. Os trabalhadores dizem que estão passando por necessidades, acumulando dívidas no comércio, que fechou as portas para as famílias.

Conforme foi anunciado, na manhã desta terça-feira (27), os trabalhadores se reuniram e interditaram a via Transportuária, que liga a Rodovia Transamazônica aos portos de Miritituba. Eles atearam fogo em pneus e usaram pedaços de madeira para fechar a passagem das carretas, que começam a se acumular nos dois lados do protesto. Os trabalhadores informaram que estão dispostos a permanecerem com o protesto pelo tempo que for necessário.

Fonte: RG 15/O Impacto e Mauro Torres

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *