Turistas europeus se impressionam com a ossada da Baleia Minke no acervo do Centro Cultural

A chegada de aproximadamente 600 turistas europeus, vindos no transatlântico Albatroz, foi em tempo chuvoso na área urbana de Santarém, na tarde de segunda-feira (8). Dessa lotação, 60 pessoas da Alemanha e da Suíça estiveram nas dependências do Centro Cultural João Fona (CCJF), que por intermédio do guia turismo Adriano dos Santos, informaram terem ficado impressionados com a exposição da ossada da baleia da espécie Minke.

“Admiração entre os turistas sobre algo inusitado, a ossada do mamífero aquático ter chegado em águas da região oeste do Pará, e narramos um pouco da história da tentativa de especialistas para salvar a espécie, mas infelizmente sem êxito. Outra admiração são as cerâmicas tapajônicas, os diferentes formatos”, explicou.

O mamífero encalhou no dia 14 de novembro de 2007 no Rio Tapajós, na comunidade Piquiatuba, em Belterra. Profissionais de meio ambiente e parceiros monitoraram o animal durante dias, até a morte, no dia 20 de novembro de 2007, na comunidade São José do Arapixuna. No local, foi realizada a necropsia do animal e constatado o suposto motivo da morte: hemorragia abdominal, causada por forte contusão, provavelmente devido à colisão com alguma embarcação. O encalhe de baleias em águas interiores é um fenômeno curioso e muito raro. A Minke percorreu mais de 1 mil km, desde a foz do Rio Amazonas até o Rio Tapajós, sendo a maior distância percorrida, já registrada, por uma baleia em águas interiores.

Segundo a chefe da Seção de Atendimento ao Turista do CCJF, Patrícia Chaves, esse é o segundo transatlântico de 2018 e o décimo da rota turística. “A faixa etária normalmente dos estrangeiros desta rota varia 50 a 85 anos. E o encerramento da rota turística será no dia 14 de abril”, afirmou.

Após a visita ao acervo público, os estrangeiros seguiram à Casa da Farinha da comunidade São Brás, na região do Eixo Forte. A previsão da saída de Santarém é às 20 horas com destino a Parintins (AM).

Fonte: RG 15/O Impacto e Ascom/PMS

Um comentário em “Turistas europeus se impressionam com a ossada da Baleia Minke no acervo do Centro Cultural

  • 10 de janeiro de 2018 em 10:56
    Permalink

    Corrijam a matéria, não é fóssil, para ser fóssil tem que ter pelo menos 10 mil anos de idade e ter passado por processo de fossilização.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *