Descaso – Professores revoltados com Prefeito por atraso de salários

Prefeito Juraci Estevam não paga salários dos professores desde novembro de 2017

A educação no município de Alenquer, no Oeste do Pará, vai de mal a pior. Os professores estão revoltados com o descaso do prefeito Juraci Estevam com a classe, que está há três meses sem receber salários. Muitos profissionais da educação não sabem mais o que fazer para pagar suas dívidas e sustentar suas famílias. O caos na educação é total.

Uma professora, que pediu para não ser identificada com medo de represália, encaminhou um relato à nossa reportagem, falando sobre a situação em que se encontra a área da educação no município de Alenquer. Veja abaixo:

“Hoje, dia 15 de janeiro de 2018… Nada diferente em relação a pagamentos dos trabalhadores da educação em Alenquer, pois estamos como nos anos de 2015, 2016 e 2017. Pergunto-me o que esses gestores municipais pensam ao entrarem para a PREFEITURA MUNICIPAL DE ALENQUER? Que é uma fonte inesgotável de recursos? Que podem contratar Deus e o mundo? Não, senhores! “De onde se tira e não se põe” já diziam os nossos sábios mais velhos, acaba. O gestor anterior e o atual sabiam da delicada situação financeira de Alenquer, mesmo assim, a FÉ NA MUDANÇA foi para a disputa, prometeu, venceu nas urnas, mas não está cumprindo com a palavra para com os trabalhadores da educação. Está perdendo a cada dia a credibilidade do povo que nele confiou. Está derretendo…. A mesa dos trabalhadores vazia, contas chegando, filhos pedindo….

Incrível, como, mesmo esses governos sabendo os valores que terão em caixa para honrar seus compromissos conosco (não com seus apoiadores de campanha), não conseguem planejar, programar e coordenar com eficiência essa Secretaria de Educação. Vamos para três meses sem receber, caso nos pague apenas em fevereiro (e a previsão é que isso se prolongue por tempo indeterminado) com recursos de 2018. E aí, como ficará o restante dos meses, se já está sendo utilizado a verba deste ano para pagar despesas do ano anterior? Achar uma saída é necessário e urgente!”.

SERVIDORES JOGAM OVO EM PREFEITO DE ALENQUER: Um fato lamentável aconteceu no município de Alenquer, na manhã de terça-feira, 26 de dezembro de 2017, durante a chegada da lancha da Viação Tapajós, quando o prefeito Juraci Estevam foi recebido com agressões verbais e uma chuva de ovos promovidos por cerca de mil funcionários da Educação. Padre Juraci teve seu nome “ovacionada” por centenas de servidores que gritavam “paga nosso dinheiro”, em frente ao Porto Hidroviário de Alenquer, com vaias, gritos, cartazes e muitos ovos.

Eram aproximadamente mil servidores da educação que desde novembro não recebem seus vencimentos. Padre Juraci Estevam estava cercado de vários seguranças. A indignação dos trabalhadores, segundo os manifestantes, é por falta de cumprimento de pagamento de seus salários. Graças ao serviço da Polícia Militar, o Prefeito saiu ileso e escoltado em seu carro pela PM.

Segundo informações, Juraci Estevam foi um padre respeitado na cidade, e que foi eleito porque a população acreditava que ele era a única solução. Hoje, a população não aguenta tanta humilhação, enquanto o prefeito fica ostentando mordomias na capital do Estado à custa do dinheiro do povo.

IMPEACHMENT: Na acepção da palavra, o município de Alenquer mantém a tradição de: “Terra dos Contrastes”. No tocante à complexa política ximanga, mais uma vez aflora uma incógnita, um quebra-cabeça e uma indecifrável situação envolvendo Executivo e Legislativo.  Os vereadores Roberto Simões e Kabeceira são ferrenhos opositores ao prefeito Juraci. As insatisfações são tantas, que chegou ao ponto destes vereadores protocolarem na sessão do dia 28 de novembro de 2017, um documento pedindo o afastamento do gestor municipal.

Conforme pronunciamentos na tribuna, os motivos que os levaram a tomarem tal decisão, são por suposto desvio de conduta e improbidade administrativa do gestor. Neste contexto, esse episódio de certa forma é inédito e esdrúxulo. Principalmente, partindo da premissa de que, tanto o Prefeito, como os vereadores acima mencionados, pertencem à mesma agremiação partidária – PPS.

Na ocasião, o vereador Zezinho do Atumã – PATRIOTA, em contato com nossa reportagem, se reportou da seguinte forma: “A solicitação de afastamento passará a obedecer ao Regimento Interno da Casa e a Constituição Municipal. A matéria entrará em pauta na próxima sessão dia 04/12/2017. A partir de então, depois de lido o documento, será encaminhado para as comissões inerentes ao assunto. Sendo que, depois de analisado receberá o devido parecer. Em ato contínuo, voltará ao plenário para submeter a um amplo debate entre os vereadores. Este assunto é muito sério. Porém, respeito o ponto de vista dos nobres vereadores. Os mesmos estão imbuídos nos preceitos constitucionais para formalizar qualquer denúncia que lhe achar conveniente. Como também, a qualquer assunto, de suas atribuições, enquanto legítimos representantes do povo. Dr. Roberto, é advogado, tem um vasto conhecimento nesta área, inclusive, do seu impedimento de não poder votar no processo de afastamento e cassação de mandato do Prefeito, caso hipoteticamente isso possa vir a acontecer. É importante levar ao conhecimento do povo que, como o Legislativo alenquerense é composto por 15 (quinze) vereadores, a pretensão dos denunciantes, só logrará êxito, se os mesmos conseguirem a maioria absoluta de 10 (dez) vereadores. Caso contrário, o prefeito Juraci ganhará mais uma vitória nesta queda de braço, com seus companheiros de partido”, concluiu o vereador Zezinho do Atumã.

Mas, de nada adiantou, pois o pedido de Impeachment do prefeito Juraci Estevam foi arquivado pela maioria dos vereadores da Câmara Municipal de Alenquer. O que mostra que esses vereadores, mesmo sabendo da situação crítica que os professores estão passando, sem receber seus salários, estão dando apoio ao governo de Juraci Estevam. As aulas da educação municipal estão marcadas para iniciarem, mas, pelo visto, com salários atrasados, os professores vão entrar em greve e o caos na educação será grande.

Por: Jefferson Miranda

Fonte: RG 15/O Impacto

Um comentário em “Descaso – Professores revoltados com Prefeito por atraso de salários

  • 18 de janeiro de 2018 em 23:21
    Permalink

    E daí Sr Vigário, que rumo tomará, vai a Roma ou a Belém ? Decida, o que não pode continuar é a sua tática de avestruz, enfiando a cabeça no buraco, fingindo nada ocorrer !

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *