Ministério Público requer novas diligências em caso de naufrágio de rebocador

O Ministério Público do Pará requereu a realização de novas diligências no inquérito que apura as causas do naufrágio do empurrador CXX, da empresa Bertolini, ocorrido no dia 2 de agosto de 2017, próximo ao município de Óbidos, que resultou na morte de nove tripulantes. A conclusão do inquérito foi apresentada no dia 8 de janeiro deste ano pelo delegado da Polícia Civil e diretor do Grupamento Fluvial, Dilermando Dantas, e enviado ao MPPA.

O pedido de diligências foi feito pela promotoria de Justiça de Óbidos, e já deferido na última quarta-feira (24) pelo juiz da comarca Clemilton Salomão, que determinou a devolução dos autos à delegacia de origem para cumprimento em 30 dias, a contar da data do recebimento. O pedido visa sanar dúvidas relacionadas às circunstâncias que levaram ao desaparecimento dos tripulantes. Após, o inquérito retorna ao MPPA para prosseguimento.

O acidente ocorreu no dia 2 de agosto, no rio Amazonas, próximo à Óbidos, por volta das 4h30min, com o choque entre o navio mercante Mercosul Santos e um comboio formado por um rebocador e nove balsas da empresa Transportes Bertolini. Onze tripulantes estavam no rebocador. Dois sobreviveram e nove ficaram desaparecidos até o içamento da embarcação, concluído no dia 6 de dezembro de 2017, quando os nove corpos das vítimas foram localizados e removidos, sendo posteriormente identificados por meio de exame DNA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *