Luta pela criação do Estado do Tapajós ganha força em Santarém

Com a proposta de unir forças para a criação do Estado do Tapajós, duas entidades buscam apoio entre a população dos municípios do oeste do Pará. Entre as entidades, a União dos Municípios pelo Estado do Tapajós (UniTapajós) iniciou uma série de conversações junto a representantes comunitários de várias cidades das regiões do Tapajós, Baixo Amazonas do Pará e Calha Norte.

Com o objetivo também de unir forças para a criação da nova unidade federativa, o Instituto Cidadão Pró-Estado do Tapajós realiza palestras entre estudantes universitários e autoridades políticas da região oeste do Pará. As ações de mobilização das duas entidades surgiram após o plebiscito do dia 11 de dezembro de 2011, quando a votação que aconteceu em todo o Pará, teve como vencedora a chapa “Não”.

Após 100% das urnas apuradas, o resultado indicou que 66,59% escolheram “Não” para a criação do Estado de Carajás e 66,08% rejeitaram a criação do Estado de Tapajós.

O plebiscito ocorreu com a proposta da divisão do estado em três: Pará, Carajás, e Tapajós. Quando foi aprovado o plebiscito, surgiu a dúvida se seria realizado somente nas regiões de Carajás e Tapajós ou em todo o Pará, isso teria surgido devido ao questionamento sobre a constitucionalidade da Lei 9.709 de 1998.

A lei prevê a participação de toda a população estadual nos plebiscitos realizados para decidir desmembramentos de territórios para formação de outros estados. Em 24 de agosto de 2011 foi decidido que todo o estado do Pará seria consultado, na prática, isso significa que devia haver apoio majoritário em todo o território paraense para o surgimento dos estados de Tapajós e Carajás.

Pelo projeto de criação dos novos estados, Tapajós ocuparia 58% do atual território do Pará e teria 27 municípios. Carajás teria 25% do território com 39 cidades. O Pará remanescente ficaria com 17% do território.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o custo do plebiscito ultrapassou os R$ 19 milhões.

BANDEIRA DO TAPAJÓS – Entre as ações de divulgação da nova unidade federativa, no início deste ano foi lançada a bandeira que representará o Estado do Tapajós. Desenha por Paulo Costa, a bandeira do Tapajós tem as cores amarelo, azul e verde. Conta ainda com uma estrela branca no meio. O amarelo representa o rio Amazonas, que corta o estado de Oeste a Leste. Seu significado para o novo estado é a riqueza, o alimento e sustento.

O azul royalé é referência ao rio Tapajós, cujo nome é também do novo Estado. Representa a beleza do povo e a natureza. O rio Tapajós nasce no Estado do Mato Grosso e desemboca no Amazonas, em frente a Cidade de Santarém.

O verde representa a floresta e os seus significados. Além do compromisso do povo tapajoara com a preservação do seu futuro Estado.

A estrela branca (presença em quase todas as bandeiras de estados brasileiros) no meio da bandeira, representa o espírito hospitaleiro e o bom caráter do povo tapajoara. A estrela também representa o compromisso de paz tanto entre o povo local como também com os estados vizinhos.

CONGRESSO DA UNITAPAJÓS – De acordo com o coordenador da UniTapajós, Emerson Silveira, as eleições para delegados, que terão direito a voz e voto, durante o maior e mais importante encontro dos emancipacionistas tapajoaras, continua ocorrendo. O 1º Congresso da UniTAPAJÓS acontece de 05 a 06 de maio deste ano, em Santarém (TJ).

Emerson Silveira enfatizou que a campanha que está sendo implementada em todos os Municípios da região, para que a população, em sinal de protesto contra o impedimento da emancipação político-administrativa do Tapajós fixe a bandeira da nova unidade federativa em suas casas e estabelecimentos comerciais como forma de criação de um movimento forte, popular e com a participação de todos.

Além disso, Emerson garante que estão sendo discutidas estratégias voltadas para a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 327/2013, conhecida como PEC Estado do Tapajós, bem como a participação efetiva de uma comissão dentro do Comitê Permanente, no Congresso Nacional destinado a acompanhar todas as ações voltadas para a realização deste grande sonho para a região oeste do estado do Pará.

“O Comitê Permanente no Congresso Nacional tem sua base no Gabinete do Deputado Chapadinha, que dispõe de estrutura necessária para o desenvolvimento dos trabalhos em Brasília”, ressaltou Emerson.

Segundo ele, o trabalho para a criação do Tapajós está sendo desenvolvido de forma representativa e com a participação efetiva da sociedade. “Ganharemos mais força a partir da realização do 1º Congresso da UniTAPAJÓS, em maio, onde a participação de todos é fundamental para o sucesso deste movimento que veio para fazer a diferença”, diz Emerson.

MOBILIZAÇÃO – Segundo o presidente do ICPET, Jean Carlos Leitão, vários parceiros estão participando de ações que acontecem em várias cidades da região oeste do Pará, onde ocorrem coletas de assinaturas e grande mobilização junto aos alunos que estão elaborando cartas a serem enviadas ao Senado e Câmara Federal pedindo a aprovação das PECs, que hoje tramitam no Congresso Nacional e que viabilizam a criação do novo estado.

“O maior projeto de desenvolvimento sociopolítico do mundo é a criação de um país, e o segundo maior é a criação de um Estado. É por algo tão grande assim que lutamos”, afirmou Leitão.

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *