Raimunda Monteiro termina seu mandato como reitora da Ufopa

O mandato de quatro anos de Raimunda Monteiro à frente da reitoria da Universidade Federal do Pará (UFOPA), encerra-se nesta segunda-feira, 9 de abril. Até agora o Ministro da Educação ainda não assinou a nomeação do novo Reitor da Instituição, após a polêmica da lista tríplice que teve que ser refeita, durante reunião do Consun realizada no dia 21 de março deste ano, após votação aberta pelos membros titulares do Conselho Superior da Universidade, que representam os docentes, discentes e técnicos.

O professor Hugo Diniz venceu a votação do conselho com 22 votos. O professor Jarsen Guimarães ficou em segundo lugar com 09 votos. E a decana do conselho, professora Raimunda da Costa ficou em terceiro lugar com 02 votos. Ela é diretora do Campus de Óbidos da Ufopa. Houve uma abstenção apenas.

Enquanto o Ministro da Educação não assinar a portaria nomeando o novo reitor, a Instituição deverá ser comandada por uma reitoria pró-tempore. O MEC estabeleceu que o decano do CONSUN, Prof. Domingos Diniz, deve responder como Reitor em exercício, até o agendamento da posse do novo Reitor.

Raimunda Monteiro falou do privilégio de estar no ato da assinatura do decreto de criação da Ufopa. Desejou sorte aos novos gestores e chamou atenção para que toda a sociedade entre na “defesa da Ufopa, porque ela é nossa, da sociedade em geral, que ganhou com esse empreendimento de altíssimo impacto na nossa vida e no nosso destino”.

NÚCLEO TECNOLÓGICO DE INOVAÇÃO BIOATIVOS É INAUGURADO NA UFOPA

Espaço deve beneficiar a Farmácia Universitária, o Laboratório de Inovação Aberta e um Centro de Apoio à Fundação de Integração da Amazônia (Fiam).

Inaugurado na manhã de sexta-feira, 6 de abril, o Núcleo Tecnológico de Inovação Bioativos da Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) está entre as entregas mais importantes feitas à comunidade acadêmica nos últimos meses. De caráter multiusuário e interdisciplinar, o Núcleo será compartilhado pelos institutos como espaço de pesquisa, ensino e extensão para os diversos cursos oferecidos na Universidade.

As salas destinadas às diversas atividades estão todas instaladas com equipamentos modernos, onde, devem também funcionar a Farmácia Universitária, o Laboratório de Inovação Aberta e um Centro de Apoio à Fundação de Integração da Amazônia (Fiam).

Localizado na Unidade Tapajós, é um complexo de laboratórios temáticos especializados que envolve quatro das unidades acadêmicas da Ufopa: Instituto de Engenharia e Geociências (IEG), Instituto de Biodiversidade e Florestas (Ibef), Instituto de Saúde Coletiva (Isco) e Instituto de Ciências e Tecnologia das Águas (ICTA).

Área construída – O Núcleo Tecnológico de Inovação Bioativos tem uma área de 1.794 metros quadrados, com dois pavimentos. Estão previstos espaços para laboratórios, para triagem, pesagem, estoque, preparação de amostras, almoxarifado, salas de TI, sala de reunião, auditório, banheiros, entre outros. Representa uma significativa conquista para a produção de conhecimento na Universidade.

A reitora da Ufopa, Raimunda Monteiro lembrou que o núcleo foi idealizado na gestão do professor Seixas Lourenço e que levou oito anos para que o projeto viesse a ser concretizado. “A estrutura é inédita para a região. A Ufopa tem cerca de 50 milhões de reais investidos em equipamentos de laboratórios. Investimentos desse porte eram impensáveis. Antes, quando sonhávamos com a Universidade, não achávamos que chegaríamos a tanto”

A reitora fez agradecimento formal à equipe da Superintendência de Infraestrutura (Sinfra), por ser um dos setores mais exigidos da instituição quando se refere a obras e que “nos últimos anos, a partir de novas capacitações a Sinfra passou a desenhar os projetos e a projetar nossas obras. Esta obra foi licitada em 2012 e deveria ser entregue em 2014, mas não fugiu à regra de inúmeras outras construções públicas que não se consegue entregar. Quero fazer um agradecimento formal aos servidores da Sinfra, não apenas pelo trabalho desenvolvido numa obra que agora estamos num momento bem sucedido de entrega, mas pelas outras obras que não tivemos o mesmo sucesso. Tenho certeza que não foi por falta do trabalho dirigente dos colegas”.

Irene Escher, do Centro Regional de Governo, enfatizou a esperança que a Ufopa representa para toda a região. “Com mais um núcleo sendo colocado à disposição da comunidade, de modo que possa ter um potencial no desenvolvimento tecnológico, intelectual que talvez a gente nem perceba o quão importante é. A Ufopa é um depósito intelectual que nossa região precisa e merece ter. Desejo sucesso a todos que fazem parte deste empreendimento, porque do sucesso de vocês depende o sucesso de todos, de várias gerações e de tudo aquilo que a gente sonha para Amazônia”.

O secretário de Desenvolvimento Económico, Ruy Corrêa, representou o prefeito de Santarém, Nélio Aguiar na solenidade de inauguração. Disse se sentir privilegiado de participar de um momento decisivo para toda a sociedade. “A Ufopa inaugura aquela ação que há muito tempo esperávamos, que era uma instituição apresentar um projeto em que pudesse buscar a tecnologia e ao mesmo tempo abrir essa tecnologia para a comunidade. Hoje, estamos representando o topo da sociedade brasileira. Fazemos parte de uma elite que tem a responsabilidade em fazer com que muita coisa aconteça. Estamos numa região rica em biotecnologia, no centro da Amazônia e vivemos no maior acervo de biodiversidade. Saio esperançoso de que vamos proporcionar dias muito melhores para o povo da região e de que entramos no caminho do desenvolvimento”.

Participantes – Participaram da inauguração do Núcleo Tecnológico, além de servidores e discentes da Ufopa, representantes da Associação Comercial e Empresarial de Santarém (Aces), da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária ( Embrapa),  da Escola Técnica Estadual e da Empresa de assistência técnica e extensão rural (Emater).

Fonte: RG 15\O Impacto, com informações da Ufopa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *