Cineasta lança filme gravado totalmente em Santarém

Emanoel Loureiro é diplomado em Cinema. O cantor Ray Brito atua como Delegado de Polícia

O premiado cineasta Emanoel Loureiro está lançando o seu segundo curta-metragem, denominado “Covato – Desenterre Seus Segredos”. Com o apoio da Prefeitura de Santarém, o lançamento acontecerá nesta sexta-feira, dia 27 de abril, às 18h, no Centro de Artesanato e Cultura Cristo Rei. E ainda no sábado, dia 28, será exibido dentro do Terminal Fluvial Turístico, na orla da cidade.

O filme Covato é um drama, inspirado em uma história real, que se passa na década de 70, na cidade de Santarém, no Pará. O enredo narra a prisão de um coveiro, que comete crimes vilipendiosos em cadáveres, no cemitério central da cidade. “Além de abordar um drama vivenciado pelo personagem principal em sua infância e que o motiva a cometer crimes, o filme também traz uma sátira que lembra a atual conjuntura de corrupção evidenciada em nosso País”, observa o cineasta.

Com um enredo criativo e as ricas paisagens evidenciadas na obra, o cineasta comprova o seu talento na produção cinematográfica regional, prendendo a atenção do espectador, emocionando e conquistando públicos, num clima de muito suspense e ação.

O filme também exibe o antigo centro histórico santareno, reconstruído digitalmente. E ainda resgata uma coletânea de imagens reais de arquivo, feitas durante a visita do Presidente Ernesto Geisel no município de Santarém, em agosto de 1977.

O personagem principal é vivido por Sandro Vidal, que divide o mesmo personagem com Enzo Aguiar, durante a infância; e com Evandro Boa Morte, que faz o papel do coveiro durante a juventude.

Já o famoso cantor santareno Ray Brito, encontra o seu talento de ator, dando vida ao delegado, responsável pela prisão do coveiro Antônio das Chagas.

Ainda durante as filmagens, a falta de uma equipe técnica, redobrou o trabalho do diretor, que usou de vários recursos digitais para gerar um magnífico efeito visual às imagens.

Para a conclusão da obra, mais uma vez o cineasta vence as barreiras da falta de grandes recursos técnicos e financeiros, e, mesmo diante de diversos acontecimentos inesperados e até paranormais, fez nascer o filme “Covato- Desenterre seus Segredos”.

“Tive grandes dificuldades na filmagem desse curta, devido a vários fatores. Dentre eles, o pouco apoio financeiro e operacional. Mas o maior mesmo, foi ser um filme de época, onde carros antigos, roupas, acessórios e objetos de cena tinham que retratar com fidelidade os anos 70. Também foi difícil realizar as gravações no cemitério, uma vez que muitas cenas tiveram que ser feitas várias vezes, pois a câmera travava e desligava sozinha, ou a bateria esvaziava automaticamente, mesmo estando totalmente carregada. Resolvi buscar o auxílio de uma grande amiga ligada aos assuntos espirituais, e aprendi que antes de fazer a filmagem, eu deveria primeiro pedir licença aos que ali habitam. Só depois disso, os fenômenos pararam, e conseguimos concluir as cenas”, destacou o cineasta.

O CINEASTA: Santareno com orgulho, o cineasta e publicitário Emanoel Loureiro é filho dos descendentes de portugueses Raul e Laura Franklin Loureiro, que durante muito tempo foram os responsáveis pelas atrações culturais de Santarém, por meio dos cinemas: “Olympia” e “Cinerama”, uma tradição familiar com mais de 80 anos.

Atualmente, o cineasta reside na capital paraense e é casado com a jornalista e advogada Giulla Loureiro. Diplomado em Cinema pela New York Film Academy, Emanoel Loureiro já recebeu vários prêmios com suas produções culturais, com destaque para o filme: “Meu Tempo Menino”, a primeira obra cinematográfica genuinamente santarena. Mesmo trabalhando com projetos em Belém, nos Estados Unidos e em Portugal, o cineasta não esquece o amor pelas raízes e sempre procura desenvolver trabalhos que possam evidenciar Santarém.

Participar de mostras e competições de festivais de filmes no Brasil e no exterior, sendo um genuíno representante da cidade de Santarém nesses grandes eventos, além de valorizar e oferecer novas oportunidades aos artistas e técnicos paraenses, esses são os principais objetivos dos projetos cinematográficos de Emanoel Loureiro.

PRIMEIRO FILME: “Contribuir com a difusão do cinema regional, foi que o pretendeu o Cine Clube do Ponto de Cultura GAM/Galpão de Artes de Marabá, que exibiu no dia 25 de janeiro de 2011, o premiado filme paraense ‘Meu Tempo Menino’ do cineasta santareno Emanoel Loureiro. O curta metragem narra a história de um garoto que trabalhava como picolezeiro na orla junto aos barcos que ancoravam na beira do rio Tapajós na cidade de Santarém.

Quem em tempos de garoto não tomava banho no rio escondido da mãe? Nessa aventura o garoto faz novas amizades com moleques que viviam na beira do rio, os carregadores do cais, gente de estiva. O filme foi o primeiro da carreira do diretor Emanoel Loureiro, que burlou a falta de recursos técnicos e financeiros, com muito improviso e imaginação, é que vem conquistando e emocionando as plateias paraenses, tendo como ator principal do filme o “Rio” elemento típico e primordial para a nossa região.

Durante as filmagens a falta de uma grande equipe técnica, redobrou o trabalho do diretor, que usou ideias simples e acessíveis para dar um bom efeito visual às imagens captadas por uma câmera de vídeo digital. Todos os personagens do filme foram interpretados por pessoas convidadas pelo cineasta nas ruas de Santarém sem qualquer experiência em filmagens, o que trouxe para o filme uma realizada ainda maior, pois as pessoas interpretaram a si mesmas.

De acordo com Antônio Botelho, coordenador do cine GAM, a exibição do filme teve como objetivo mostrar a realidade cultural de nosso Estado, trazendo para o nosso Município produções cinematográficas paraenses”, disse o jornalista Ederson Oliveira, naquela ocasião, relacionado ao primeiro filme de Emanoel Loureiro. Com informações de Dinha Rabelo.

Por: Jefferson Miranda

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *