Jatene gasta mais com gabinete do que em equipamentos para a polícia

Por incrível que pareça, nos últimos 7 anos, o governador e economista Simão Jatene gastou mais com o gabinete dele do que com veículos, embarcações, armas e coletes à prova de bala para as Polícias Civil e Militar. Entre 2011 e 2017, tudo o que Jatene investiu em equipamentos para todos os órgãos de Segurança do Pará ficou em R$ 293,9 milhões, em valores atualizados pelo IPCA-E de dezembro. Já com as Casas Civil e Militar, as duas principais estruturas de seu gabinete e que existem apenas para atendê-lo, o governador torrou mais de R$ 426,4 milhões. 

Ou seja: se Jatene não investiu em Segurança, não foi por falta de dinheiro, mas porque resolveu garantir para si mesmo, em primeiro lugar, uma vida digna de um imperador. Mas não foram apenas os gastos em equipamentos para as polícias que perderam feio para o nababesco gabinete do governador.

Nesses 7 anos, tudo o que ele investiu na construção e reforma de todos os prédios dos órgãos de Segurança ficou em pouco mais de R$ 200 milhões. Isso significa que o dinheiro que ele torrou em banquetes, viagens nacionais e internacionais, cafezinho, ar condicionado e o seu batalhão de assessores representou o dobro de tudo o que ele investiu para construir ou reformar delegacias de polícia, quarteis e penitenciárias,em todo o Estado.

FUNCIONÁRIOS

O maior escândalo dessa gastança está na Casa Civil, que é o “coração” do Gabinete de Jatene. Dos R$ 52,5 milhões torrados, no ano passado, só pela Casa Civil, mais de 70% foram para pagar os salários dos 720 funcionários que vivem apenas à disposição do governador. Deles, 518 são assessores: 379 “especiais”; 74 assessores de gabinete; 26 simplesmente assessores e 39 assessores técnicos (de cerimonial, de imprensa, administrativos e por aí vai). 

Entre os assessores de Jatene, há ex-prefeitos e outros políticos derrotados nas urnas, além de parentes de desembargadores do Tribunal de Justiça do Estado, de conselheiros dos tribunais de Contas, de deputados, ex-deputados e ex-senadores. 

Há até gente condenada a devolver dinheiro aos cofres públicos. É o caso do ex-prefeito de Trairão, Ademar Bau (PSDB), que recebe R$ 3.498,95 como assessor “especial”, mas foi condenado a devolver mais de R$ 3,262 milhões ao erário, pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). Ou do ex-prefeito de Portel Elquias Nunes da Silva Monteiro (PSDB), que ganha R$ 4.498,65 como assessor “especial”, mas tem de devolver mais de R$ 3,858 milhões, segundo o TCE.

Até o começo deste mês, aliás, havia até gente que era um verdadeiro caso de polícia: no último 11 de abril, o ex-prefeito de Oeiras do Pará, Ely Marcos Batista, então assessor “especial” de Jatene, foi preso pela Polícia Federal porque teria desviado quase R$ 15 milhões da Previdência daquele município. Ely, que é do PMN, partido aliado do governador, foi exonerado no dia seguinte.

TRIPLO DA CASA CIVIL DE SÃO PAULO

Em sua edição de 10/04/2016, o DIÁRIO mostrou a dimensão da gastança de Jatene. Na época, a Casa Civil do Pará tinha 664 funcionários, ou 10 vezes mais que os 65 servidores da Casa Civil de São Paulo. De lá para cá, o número de servidores da Casa Civil de São Paulo triplicou: hoje são 237. No entanto, continua perdendo para a Casa Civil de Jatene, que hoje tem 720 funcionários, ou mais que o triplo de São Paulo. 

Com um Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) de 0,783 (o 2º maior do Brasil, atrás do Distrito Federal) e 45 milhões de habitantes, São Paulo tem para este ano um orçamento de quase R$ 217 bilhões. Já o Pará, com um IDHM de 0,646 (o 4º pior do Brasil) e 8,3 milhões de habitantes, tem um orçamento, para este ano, de R$ 24,3 bilhões.

SALÁRIO

No entanto, é o Pará quem torra rios de dinheiro com o governador e sua corte. Em São Paulo, o ex-governador Geraldo Alckmin (que se desincompatibilizou para concorrer à Presidência da República), recebeu, no mês passado, um salário de R$ 22.388,14. Jatene recebe R$ 67 mil por mês, de duas pensões – uma como ex-governador e outra como técnico aposentado. Em São Paulo, a Casa Civil tem 111 assessores e só um deles é “assessor especial do governador”. 

No Pará, há 518 assessores na Casa Civil e 379 deles são “especiais”. Desde 2011 e até o fim de 2017, o Pará já torrou R$ 253 milhões, em valores atualizados, apenas com os vencimentos e vantagens fixas dos funcionários da Casa Civil, que também abriga um ouvidor geral, dois secretários regionais de Governo e 4 secretários extraordinários. Entre eles está Izabela Jatene de Souza, filha do governador, que ganha mais de R$ 23,6 mil por mês, como secretária extraordinária de Municípios Sustentáveis.

VIAGENS DO GOVERNADOR PELO MUNDO

A gastança do gabinete também tem proporcionado a Jatene viagens de sonho ao redor do mundo. Ele e o batalhão de felizardos que geralmente o acompanha já estiveram na Inglaterra, Estados Unidos, França, Argélia, Qatar, Japão, Portugal, China e Indonésia. Tudo é pago com dinheiro público. E, além de assessores e secretários de Estado, muitas vezes o governador também leva a tiracolo a inseparável Izabela Jatene, filha dele.

A explicação para tanta viagem é sempre a mesma: buscar investimentos para o Pará. O problema é que esses rios de dinheiro nunca chegam. Em setembro do ano passado, por exemplo, Jatene e comitiva torraram meio milhão de reais em uma viagem à China. A desculpa foi a de obter financiamento para uma hipotética “Ferrovia Paraense”. Mas, segundo a revista Veja, a China Communications Constructions Company (CCCC) considerou tal “projeto” incipiente, ou seja, que está começando.

Além disso, na época da viagem de Jatene à China o DIÁRIO apurou que a CCCC tem até uma sede em São Paulo, na qual o seu diretor para a América Latina despacha regularmente – coisa que torna sem sentido a ida do governador ao outro lado do mundo, já que o “projeto” poderia ser apresentado à CCCC no próprio Brasil.

Para completar, uma gigante chinesa da siderurgia, a CBSteel, anunciou, no mês passado, que vai é investir em um parque siderúrgico no Maranhão, que deve gerar 10 mil empregos diretos. A própria CCCC, em parceria com outras empresas, também já investe no Maranhão: o complexo portuário, orçado em R$ 1,7 bilhão, vai dobrar a capacidade de movimentação de cargas do porto de Itaqui, em São Luís, e gerar 5 mil empregos.

FRANÇA

A mais inesquecível viagem de Jatene foi mesmo à estonteante Paris, capital da França, em maio de 2013, o que gerou até protestos nas redes sociais. Tudo porque o governador viajou os 7.400 quilômetros que separam Belém de Paris apenas para receber um pedaço de papel: o certificado da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) de que o Pará é área livre da febre aftosa. Um documento que poderia ter sido enviado a Belém.

Pelo menos sete assessores integraram a comitiva do governador. O custo, apenas entre diárias e passagens, ficou em mais de R$ 80 mil, em valores da época, ou em quase R$ 107 mil atualizados. Isso sem contar com as despesas de alimentação e hospedagem do próprio governador. A solenidade durou apenas 60 minutos, mas alguns integrantes da comitiva permaneceram em Paris durante uma semana.

GASTOS

COMO FOI REALIZADOO LEVANTAMENTO

Os gastos de Jatene com as casas Civil e Militar, entre 2011 e 2016, foram extraídos dos balanços gerais do Estado (BGEs), que se encontram no site da Secretaria da Fazenda (Sefa). Já os gastos de 2017 são do portal da Transparência. Também integram o Gabinete do Governador a Auditoria Geral do Estado (AGE) e o Núcleo de Articulação da Cidadania (NAC). Mas eles não foram incluídos no levantamento porque não atendem apenas o governador e a família dele.

Já os investimentos de Jatene em equipamentos e em obras para a Segurança são do Siafem, o sistema de administração financeira dos estados e municípios. Os valores foram atualizados pelo DIÁRIO, com base no IPCA-E de dezembro do ano passado. Os dados sobre os servidores das casas civis do Pará e de São Paulo são dos portais da Transparência desses Estados.

Fonte: Dol

Um comentário em “Jatene gasta mais com gabinete do que em equipamentos para a polícia

  • 29 de abril de 2018 em 10:42
    Permalink

    Só acho que estes comentários , também, estão RECHEADOS de POLITICAGEM,, .. Porque isto não foi divulgado , ano passado? .. Porque só agora?.., Na Véspera das eleições?… se desde 2011 acontece isso ??

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *