Empresa responsável pelo Residencial Salvação deixa moradores na mão

Obra completa dois anos neste sábado e foi abandonada pela empresa “Em Casa”

Não é segredo que o Residencial Salvação, às margens da rodovia Fernando Guilhon, em Santarém, oeste do Pará, foi entregue com obras incompletas pelo Governo Federal. O programa habitacional do ‘Minha Casa, Minha Vida’ deveria trazer qualidade de vida e concretizar o sonho de uma vida melhor por meio da casa própria, mas está causando transtorno e pesadelo aos moradores. A obra completa dois anos neste sábado, 5, e foi entregue pela então presidente Dilma Rousseff pouco antes de sua cassação.

A empresa ‘Em Casa’ é a responsável pela obra e recebeu do Governo Federal quase R$ 200 milhões para a conclusão. O certo é que a obra foi entregue sem postos de saúde, praças, escolas, creches, espaços de lazer e esporte e feiras. Sequer uma árvore foi plantada pela empresa antes da entrega das casas. O empreendimento possui 3.081 unidades e abriga cerca de 10 mil pessoas.

Nossa reportagem recebeu diversas reclamações de moradores sobre a estrutura do Residencial que foi abandonado pela empresa “Em Casa”. O que ficaram foram apenas problemas para serem resolvidos pelo poder público municipal.

Nossa reportagem apurou que a obra tem garantia de cinco anos. No entanto, o empreendimento completa neste sábado (05), dois anos ainda sem sua conclusão executada pela “Em Casa”.

A Prefeitura Municipal deverá acionar a Caixa Econômica Federal que assinou contrato com a empresa para ter seus gastos ressarcidos, haja vista que a empresa recebeu pelo o que não fez. Nossa reportagem tenta contato com a empresa para saber sua versão sobre o abandono da obra.

PREFEITURA INICIA CONSTRUÇÃO DA ESTAÇÃO ELEVATÓRIA DE ESGOTO: A Prefeitura de Santarém, por meio da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminfra), dá mais um passo nos avanços da área de saneamento básico na cidade. O Governo Municipal iniciou a construção da Estação Elevatória de Esgoto (EEE), na Travessa Assis de Vasconcelos, próximo à Avenida Tapajós (Aldeia). A obra faz parte do Programa de Aceleração do Crescimento II (PAC).

Segundo o engenheiro civil da Seminfra, Cledimar Augusto, a empresa responsável pela obra, Carmona Cabreira, iniciou o serviço de ligações de rede de esgotamento sanitário, que será ligada ao coletor tronco e agora também já estão trabalhando na EEE. “A partir disso, todos efluentes serão direcionados, através da linha de recalque, até a Estação de Tratamento, que está localizada na Avenida Borges Leal, no bairro do Mapiri, onde será feito o tratamento. Depois de pronta a EEE terá a capacidade de bombeamento de 530,79 m3/h de esgoto”, explicou.

No projeto de esgotamento sanitário estão previstas 4.398 ligações domiciliares nos seguintes bairros: Aldeia, Centro, Santa Clara, Aparecida e Santíssimo.

Sobre as obras de saneamento de esgotamento sanitário do PAC II: O serviço faz parte do PAC II, coordenado pela Seminfra, contrato nº 350.963-47. Nas obras constam: construção do coletor tronco, ampliação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), construção da Estação Elevatória de Esgoto (EEE), construção da Linha de requalque por gravidade, ligações de rede de esgoto e 225 metros de orla.

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *