MPF e Ufopa vão promover seminário em Santarém sobre povos indígenas e ditadura militar

Evento, que será no próximo dia 11, contará com espaço para debates

O Ministério Público Federal (MPF) e a Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) vão promover em Santarém seminário sobre os povos indígenas e a ditadura militar. O objetivo é estimular a discussão sobre práticas de genocídio/etnocídio perpetradas pelo governo brasileiro contra os povos indígenas durante a ditadura (1964-1985), com ênfase na abordagem histórica e antropológica, e considerando as novas informações desveladas pela Comissão Nacional da Verdade.
O evento, que contará com espaços para debates, também discutirá a atuação contemporânea do MPF para exigir que o Estado brasileiro implemente medidas de reparação e justiça de transição em favor dos povos indígenas que vivenciaram violações.
O seminário tem o apoio do Núcleo de Assessoria Jurídica Popular (Najup) Cabano da Ufopa e está agendado para o próximo dia 11, às 14h30, no auditório Wilson Fonseca, do campus Rondon da Ufopa. Não é necessária inscrição prévia para participar do evento.
Os palestrantes são a mestre em antropologia e assessora de comunicação do MPF no Pará Helena Palmquist, que vai ministrar a palestra “Genocídio e etnocídio contra povos indígenas: a persistência da destruição”; o procurador da República Júlio José Araújo Júnior, do Grupo de Trabalho (GT) do MPF Violação dos Povos Indígenas e Ditadura Militar, cuja palestra terá como tema “O caso Waimiri Atroari”; o procurador da República Edmundo Antônio Dias Netto Júnior, do mesmo GT, que vai tratar do tema “O caso Krenak”; e a liderança indígena Neide Imaya Wara Kaxuyana, da Ufopa, que abordará o tema “A remoção forçada dos povos indígenas Katxuyana, Tunayana e Kahyana pela Força Aérea Brasileira”.

​​Fonte: RG 15/O Impacto e MPF

3 comentários em “MPF e Ufopa vão promover seminário em Santarém sobre povos indígenas e ditadura militar

  • 4 de julho de 2018 em 19:35
    Permalink

    muito ridículo esse papel que o MPF e a UFOPA estão fazendo , criem vergonha na cara e vão trabalhar . Esses procuradores tem que ser é investigados pela corregedoria do MPF por que estão a serviço de ONGs diminuindo a soberania do Brasil .
    Vão trabalhar e aplicar melhor o dinheiro dos meus impostos bando de vagabundo.l

    Resposta
  • 4 de julho de 2018 em 17:39
    Permalink

    SINCERAMENTE ISSO É UMA VERGONHA PARA NOSSO ESTADO DO PARÁ, A MÁFIA DO MPF A SERVIÇO DE ONGS EXTRANGEIRAS PARA NEGOCIATAS FRAUDULENTAS DE NOSSAS RIQUEZAS NATURAIS. O PT E SEU RABO QUENTE DO PSOL INFILTRADO DENTRO DO MPF ESTÁ VENDENDO E CORROMPENDO AS RIQUEZAS NATURAIS DA AMAZONIA ATRAVÉS DE ONGS COM A COBERTURA FRAUDULENTA DO MPF DE SANTARÉM. ISSO PRECISA ACABAR. O POVO DO PARÁ NÃO É MAIS OTÁRIO. O MPF PRECISA PARAR DE SE VALER DE SEU PODER PARA ROUBAR E ENGANAR. ESSE MPF NÃO REPRESENTA O TODO DO MPF, POIS SÃO LARANJAS PODRES INFILTRADAS PELA ALA COMUNISTA DENTRO DESSE IMPORTANTE ÓRGÃO DE JUSTIÇAQUE É O MPF EJÁ PRENDEU O BANDIDO MOR QUE É O LULA. AGORA ESSE MPF DE SANTARÉM COM ESSES COMUNISTAS VAGABUNDOS E CORRUPTOS PRECISAM SABER QUE O BRASIL ACORDOU E ESSE MPF COLOCA AS ONGS PARA CAPTAR RECURSOS DENTRO DESTA FACÇÃO CRIMINOSA PARA CRIAR ÍNDIOS QUE NÃO EXISTEM MAIS COMO PRETESTO PARA DOAR A AMAZONIA PARA PAISES RICOS QUE QUEREM SEGURAR ESTAS ÁREAS RICAS EM OURO E DIAMANTE PARA ROUBAR MAIS TARDE.
    A HIST´RIA QUE OS LIVROS NOS CONTAM É QUE PORTUGUESES E FRANCESE TROCAVAM ESPELHOS E OUTRAS BIJIOTRRIAS PELO OURO DOS INDIOS BRASILEIROS E DEPOIS AINDA ESTUPRAVAM AS INDIAS INDEFESAS, E AGORA ESSES EUROPEUS ESPERTALHÕES COMPRARAM O MPF PARA CONTINUAR ROUBANDO AS RIQUEZAS NATURAIS DO BRASIL ATRAVE´S DA DISCULPA INESCRUPULOSA DIZENDO QUE AS FORÇAS ARMADAS E A DITADURA FORAM NEFASTAS . A VERDADE É QUE ESSE MPF PRECISA SER PRESO E DEMITIDO POIS ESTÁ A SERVIÇO INTERNACIONAL NA AMAZONIA E ENGANANDO O POVO E O PAIS.
    ESTÃO USANDO COMO CORTINA DE FUMAÇA OS POVOS INDIGENAS PARA ROUBAR E ENTREGAR A AMAZONIA..

    ACORDA BRASIL…. ESTE É O BRASIL QUE NÓS QUEREMOS…

    Resposta
  • 4 de julho de 2018 em 11:28
    Permalink

    Índio tá rendendo muito, ainda mais em ano de eleição, quando um certo deputado, ex- capitão, é forte candidato à presidência do Brasil. E dá-lhe palestras metendo a ripa nos governos militares, que transformaram o país, de 48ª para a 8ª economia do mundo, enquanto os países comunistas, como Cuba só regrediram, culminando com a queda do vergonhoso “Muro de Berlim”, e o fim do império da ditadura soviética, libertando dezenas de povos escravizados ! Enquanto o “salvador” marxismo estava nascendo, o militar e sertanista Marechal Cândido Rondon já travava centenas de contatos pacíficos com os indígenas! Agora vem doutos palestrantes atribuir genocídios e etnocídios aos militares, enquanto professam e defendem uma ideologia que já assassinou mais de 120 milhões de seres humanos.Quanta coerência !!!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *