Operação Perfuga – Juiz homologa mais um acordo de delação premiada

Samuel Fernandes, preso desde dezembro do ano passado, propôs ao MPPA nova delação no âmbito da Perfuga.

O juiz da 2ª Vara Criminal, Rômulo Nogueira de Brito, homologou nesta quinta-feira (5) a 4ª Colaboração Premiada (CP) vinculada aos processos gerados da Operação Perfuga, investigação comandada pela Polícia Civil, com apoio do Ministério Público que investiga crimes  de associação criminosa, peculato e corrupção na gestão do ex-presidente Câmara de Vereadores, Reginaldo Campos.

A nova delação premiada, que foi homologada pela Justiça, é do ex-diretor administrativo do Legislativo, Samuel Fernandes, braço direito do ex-vereador e ex-presidente da Câmara, Reginaldo Campos.

Prisão: A Polícia Civil, com apoio do Ministério Público Estadual, dando continuidade à Operação Perfuga (3ª Fase), prendeu na manhã do dia 2 de dezembro de 2017, Samuel Conceição Fernandes, que foi diretor da Câmara na gestão de Reginaldo.

A acusação que pesa sobre Samuel Fernandes é de participar, junto com Reginaldo, no desvio de combustível na Câmara. Também foi decretada a prisão de Reginaldo Campos neste crime, que agora fica com sua situação mais complicada.

O juiz Rômulo de Brito foi quem decretou a preventiva de Samuel Conceição Fernandes, que foi preso em sua residência, no bairro Diamantino A investigação apontou que também foi usado combustível da Câmara para a campanha de Reginaldo Campos.

RG 15 / O Impacto com informações da Comarca de Santarém

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *