Cuidado na compra de seminovos: Mais de 4 mil carros foram adulterados no PA em dois anos

Mais de 4 mil veículos foram adulterados no Pará nos últimos dois anos segundo a Polícia Civil. O órgão diz que esse tipo crime vem aumentando no estado e quem paga o prejuízo são as vítimas dessas quadrilhas. Nos dois últimos anos o Centro de Perícias Científicas Renato Chaves encontrou irregularidades em todos os carros e motos enviados pela policia para fazer perícia com suspeita de irregularidades. As análises foram feitas em motor, chassi e placas. Em 2016 o centro fez 1.986 pericias. Em 2017 foram 2.107, um aumento de 6%.

Entre janeiro e junho de 2017 foram registrados quase 4.000 roubos de veículos no Pará. Este ano foram 3.568. Ou seja, os roubos diminuíram, mas a quantidade de veículos adulterados aumentou. A policia orienta que, antes de comprarem um veículo usado, as pessoas levem o carro para ser periciado e avaliados alguns itens de segurança que estão nos vidros, na lateral das portas e também no motor.

Segundo o delegado, geralmente os carros roubados têm numeração de segurança adulterada. “Na maioria das vezes é feita somente a troca de placas. Quando a adulteração é feita no chassi, em todos os sinais identificadores do veículo, provavelmente os adulteradores vão vender esse carro. Por isso as pessoas devem ficar atentas na hora de comprar carro”, explica o delegado Thiago Dias.

“Uma consulta rápida no aplicativo Sinesp Cidadão pode ser feita. Se colocar a placa do veículo vão aparecer os oito últimos números do chassi do veículo”, orienta o delegado.

O motorista de táxi Luiz Fernandes foi vítima da adulteração de veículo. Ele recebeu uma multa por dirigir uma motocicleta sem capacete e em outra cidade, apesar de nem ter moto. A multa de quase R$ 300 é de uma moto com a placa do carro que ele usa atualmente para trabalhar.

“Eu fui nos órgãos competentes aqui em Belém e simplesmente o homem me disse que não podia fazer nada. Eu nunca tive uma moto, nem sei pilotar uma!”, diz.

Fonte: G1 Pará

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *