FELIX SIT ANNUS NOVUS

É na língua mãe da última flor do Lácio inculta e bela que inicio este texto, o primeiro do ano da graça de Nosso Senhor Jesus Cristo de 2019, um ano antes do ano bissexto. Como todos os anos que se inicia traz da cultura popular muitas crendices, desejos de sorte, para os amigos, para a família, para a pátria.

O ano novo se inicia após o brinde entre os champanhes e champanhotas, na areia da praia à luz da lua, ou na chuva, oferendas a Iemanjá, a rainha do mar. Aí chega o ano novo, recebido, outrora, como, o prenúncio dos folguedos de Momo, – o deus da mitologia grega, que era o deus do sarcasmo e do delírio. Era conhecido, também, o primeiro dia do ano como o Primeiro Grito de Carnaval e no outro dia só “ressaca” e a saída dos primeiros blocos de rua.

E este ano foi uma “ressaca” diferente era a posse do novo presidente da república e dos novos governadores dos estados da federação. Em Santarém, que foi tão maltratada e abandonada pelo governos do estado em anos anteriores, em razão, dentre outros mais obscuras de lideranças, ambiciosas, deixaram os “paraquedistas” fazerem seus pousos tranquilos em terras tapajoaras. Perderam seus espaços políticos suas hegemonia da região, e mereceram, lamentavelmente, Santarém não eleger nenhum deputado estadual e federal, como todos já sabemos.

Mas o governador eleito que recebeu uma boa votação aqui no município, resolveu agradecer os votos que lhe foram confiados, em uma cerimônia simbólica da posse de governador do estado, no mesmo dia. Após ter prestado juramento à Constituição Estadual, pela manhã, na Assembleia Legislativa e empossado. À tarde foi até a cidade de Marabá e final da tarde e início da noite em Santarém. Foi um fato histórico porque o governador eleito veio “simbolicamente” agradecer seus votos no dia da sua posse, não deixou passar a festa e esquecer, como outros fizeram. E com grande participação popular, “simbolicamente”, dá um “aceno” de que Santarém voltará a receber o apoio do governo do estado como recebeu outrora, por exemplo, no governo do Engenheiro Fernando Guilhon, que sempre vinha a Santarém e desfrutava da suas belezas, ainda, não destruída como atualmente, quase na originalidade e ouvir o Maestro Wilson Fonseca, o nosso “Isoca”. Resta-nos aguardar para ver e se saber se teremos um Feliz Ano Novo! ////////////////// No apagar das luzes a Câmara Municipal de Santarém aprovou a instalação de Portos na área do Maicá e já foi sancionada pelo nosso Prefeito. Até aí tudo bem. Eu não sou contra o progresso! Só fico pensando que calados também ficaram as lideranças que ameaçavam isso e aquilo, contra o projeto. Aí me deu medo!Lembre-se como foi a instalação do porto da Cargill, no local identificado como “Sítio Arqueológico”, começou na Vera Paz e já está quase chegando na Tiradentes, e a poeira dos grãos, continua invadindo as casas dos moradores daquela área do Laguinho e da saudosa Vera Paz…continuam calados…assim permanecendo, só me resta ouvir a música do nosso grande músico e compositor BETO PAIXÃO, – “Aí que Saudades do Maicáaaa/ aí que saudades de lá voltar”. ////////////////// Errar é humano. Reconhecer o erro é uma virtude. Foi o que aconteceu com a Secretaria de Mobilidade e Trânsito, após a tentativa de mudar o trânsito, com o deslocamento do sinal da travessa 15 de novembro para a Francisco Correa com a Rua Barbosa, foi um transtorno geral. Voltou e o trânsito melhorou.  É bem verdade que o secretário deveria ter essa humildade de voltar ao que era em alguns outros lugares que não deram certo! Quanto à Francisco Corrêa até os agentes de trânsito que ficavam olhando o sinal já saíram dali, e não estão em outros pontos da cidade a não ser aplicando multa em alguns estacionamento privados, como nos Shoppings, onde já tem até carreta para remover os veículos, parece que há acordo entre a secretaria e a iniciativa privada, ah! Tem agentes no Aeroporto, porque tem estacionamento privado. E no resto da cidade, como diziam antigamente: “parece cabelo de freira, sabe-se que tem, mas não se vê”. //////////// Também seria bom organizar o trânsito, colocando barreiras, pela Rua Magnólia no Bairro do Aeroporto Velho, aos domingos, por ocasião da realização da Feira do Produtor e chegar mais cedo, pois, quando chegam a bagunça já está generalizada, até, que Deus nos livre e guarde ocorra um acidente com algum feirante ou consumidor. //////// Brevemente voltarão as Sextas da Saudade no FLUMINENSE, por toda esta semana se iniciarão os comerciais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *