Animais são roubados do Jardim Zoológico de Santarém

Segundo um funcionário, esta não foi a primeira vez que foram registrados roubos de animais no ZooUnama

Três animais da espécie caititu foram roubados no último final de semana

Detentor de um dos maiores acervos de animais silvestres da região Norte do Brasil, o Jardim Zoológico de Santarém (ZooUnama) sofre com roubos de animais. Na semana passada, segundo uma fonte, pelo menos três caititús (porco do mato parecido com o javali) foram roubados de dentro do ZooUnama. O problema deixou em alerta a direção do Zoológico.

No local, após realizar uma varredura, funcionários encontraram uma machadinha e uma sandália. Eles desconfiam que os objetos pertençam aos autores do roubo dos animais. As autoridades de segurança de Santarém abriram investigação sobre o roubo de animais, diante dos indícios de que foram subtraídos para serem comidos.

“Tudo indica que os bandidos roubaram os animais para comer”, revelou um funcionário que pediu para ter a identidade no anonimato. Segundo ele, esta não foi a primeira vez que foram registrados roubos de animais no ZooUnama. “Isso já vem acontecendo há algum tempo. Geralmente são animais maiores que viram presas dos bandidos. Por isso a gente acredita que eles roubam para se alimentar dos bichos que estão aqui”, ressaltou o funcionário.

O Projeto do ZooUnama trabalha na recuperação de animais desde 1993, a partir da necessidade de abrigar de forma adequada os animais da fauna e flora amazônica que chegavam para estudos no curso de Ciências Biológicas das Faculdades Integradas do Tapajós (FIT). Inicialmente, o zoológico estava instalado na área da faculdade, mas atualmente ocupa uma área de 149 hectares, cedida em comodato pelo 8º Batalhão de Engenharia de Construção (8ºBEC) e tem em seu ambiente mais de 300 espécies identificadas entre aves, mamíferos e répteis.

ZOOLÓGICO: O ZooUnama conta com uma variedade de espécies de animais, que podem ser vistos de perto, por meio de uma trilha que leva os visitantes e turistas a uma viagem na fauna amazônica. O Zoológico abriga espécies como macaco, peixe-boi, arara, caititu, jacaré-açu, onça sussuarana, dentre outros e funciona para visitação de domingo a domingo, no horário de 07h às 17h30.

Logo na entrada é possível conhecer as piscinas artificiais que salvaguardam os peixes-bois que chegam até o zoológico precisando de cuidados, pois devido à pesca predatória dos animais adultos, os filhotes ficam órfãos, e são levados para os tanques que funcionam como um centro de reabilitação. Os filhotes são tratados a base do leite e de capim em torno de dois a três anos, e depois deste período são soltos para sua readaptação, nas águas da comunidade de Igarapé do Costa. A função do peixe-boi é controlar o crescimento das plantas aquáticas na Amazônia.

QUADRO DE FUNCIONÁRIOS: O ZooUnama conta com dois veterinários, um biólogo, 18 tratadores, equipe administrativa e portaria. Na entrada são repassadas orientações quanto à permanência no local. Para se chegar ao ZooUnama, pela BR-163 (Santarém-Cuiabá), a partir do viaduto, são cerca de 3 quilômetros. Desde o viaduto até a entrada da Rua Belo Horizonte, no bairro Matinha, percorre-se 2,3 quilômetros. Da entrada da Rua Belo Horizonte até a entrada do acesso para o Zoo, são mais 500 metros e da entrada do acesso até a portaria do ZooUnama são 300 metros.

Por: Jefferson Miranda

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *