Agência Nacional de Mineração no Pará está à deriva

Diretor geral Victor Hugo Bica é acusado de indicar um diretor sem condições para administrar a ANM no Pará.

A Agência Nacional de Mineração (ANM) que foi criada para renovar a atividade mineral do Brasil, como uma agência reguladora moderna, segundo denúncias de mineradores, sofre com a incompetência da sua gestão, principalmente do diretor geral Victor Hugo Bica, que é um servidor antigo, com práticas ultrapassadas, graças a sua incrível habilidade de navegar em tudo quanto é governo, pois ele foi do PT, foi do MDB e agora é Bolsonaro, está comprometendo o desempenho da ANM recém criada, se cercando de pessoas que não conhecem dfo assunto.

Segundo denúncias, aqui no Pará, que é o segundo maior produtor mineral do Brasil, ele colocou uma equipe que se esconde dos mineradores, não consegue resolver os problemas, tem filas de mineradores tentando falar com o chamado gerente, que se esconde e diz que está em reunião. “O caso de Brumadinho é emblemático, os técnicos da ANM foram obrigados a fazer uma vistoria em uma barragem, sem ter qualificação específica para isso e está aí o resultado. Quiçás nós não tenhamos nova desgraça de barragens, novos desastres na mineração provocada por essa nova gestão, que está sendo pautada pela incompetência e falta de qualidade técnica, apenas para mostrar serviço, mas que de técnico não tem nada”, disse um empresário do ramo de mineração, que está sofrendo na pele com a burocracia do órgão.

“Quando se espera que as coisas não podem piorar, eis que dá errado. Em se tratando da mineração no Pará, o antigo DNPM, hoje ANM, está um verdadeiro caos, pois ninguém resolve nada, ninguém dá andamento em nada, e o pior, o gerente que foi colocado lá na ANM/Pará, pelo diretor geral Bica, Arnaldo Cardoso, é um verdadeiro inapto. Nada sabe, nada faz e nada assina. Como falamos antes, tudo ficou pior. A gestão passada dava andamento em tudo, e agora só Deus na causa”, disse o empresário.

Fonte: RG 15/O Impacto

7 comentários em “Agência Nacional de Mineração no Pará está à deriva

  • 17 de fevereiro de 2019 em 10:42
    Permalink

    Caro Sr geólogo Antônio Pinto.

    Prezo pelos seus comentários quanto a suas belas palavras pro Dr Arnaldo são muito bonitas.

    Mas no entanto tenho certeza de que vc não tem nenhum documento PRESO na ANM/BELÉM desde dezembro de 18.
    SE NÃO TEM DOCUMENTOS PRESO VC DEVE SER UM DOS “AMIGOS DO REI”

    Pois são dezenas de documentos de pessoas que só querem trabalhar e se regularizar perante ao órgão.

    Não se justifica a INÉRCIA do Sr Arnaldo quanto a essa demora em liberar os documentos.

    Já que vc é um dos “AMIGOS DO REI” convença e oriente ao DR ARNALDO em assinar e liberar as documentações.. só isso.

    Já que o mandato dele está ativo.

    Muitos agradecerá a vc…

    Resposta
  • 14 de fevereiro de 2019 em 22:14
    Permalink

    Muito da críticas em tom irritado são fruto das nossas antipatias pessoais com esse ou aquele profissional ou mesmo são produtos de esquemas interesseiros frutos de interesses pessoais ou de terceiros. Velha história do pau-mandado. O Geólogo Arnaldo Cardoso é um decano do DNPM/ANM, onde já ocupou todos os cargos em âmbito regional. Trabalhou no antigo 8o. distrito, no Amazonas, onde ocupou cargos relevantes do setor mineral do Estado, como a Coordenação do Projeto Estudos dos Garimpos Brasileiros. Na sequência, foi transferido para Rondônia, como Diretor do Distrito regional. Mas tarde, o Dr Arnaldo Cardoso, volta ao Estado do Pará, sua terra natal onde vinha ocupando, com reconhecido desempenho, o cargo de geólogo até ser nomeado pelo Diretor Geral da ANM para ocupar o cargo interino de Gerente da ANM SuperintedêncIa do Pará, conforme já foi dito, sua terra Natal.
    Meu Ilustre Gerente Geral da ANM/PA, tenho certeza que não sao os destemperos inconsequêntes de um usuário do órgão que vão abalar a sua ilibada conduta profissional.
    Siga firme, meu Gerente! Sua conduta como geólogo não tem mácula.

    Resposta
  • 14 de fevereiro de 2019 em 18:30
    Permalink

    O DNPM (atual ANM) Já teve dias de glória no Pará.

    Resposta
  • 13 de fevereiro de 2019 em 23:01
    Permalink

    Nada a ver com o Governo Bolsonaro. A direção da ANM foi aprovada no Senado, sob a batuta do ex-Senador Eunício, a toque de caixa, no apagar das luzes do Governo Temer. Tudo para não permitir a escolha pelo Presidente Bolsonaro. Como todos devem saber, diretor de agência reguladora tem mandato a prazo certo. Aí a razão do atropelo dos senadores da legislatura anterior.

    Resposta
  • 13 de fevereiro de 2019 em 22:48
    Permalink

    Na minha opinião esse servidor, Arnaldo Guilherme é um bandido.

    Resposta
  • 13 de fevereiro de 2019 em 17:43
    Permalink

    Verdadeiro descaso e falta de comprometimento com a coisa pública.
    Isso chamasse IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. Se eu morasse em Belém eu denunciava no MPF dessa cidade.
    Enquanto nosso capitão está em convalescença estão BRINCANDO COM A ANM DE BELÉM.
    TRISTE. ISSO É COUSA DA PETRALHADA QUE AINDA ESTA NA MÁQUINA PÚBLICA.

    ABRE O OLHO CAPITÃO…

    Resposta
  • 13 de fevereiro de 2019 em 13:55
    Permalink

    Sobre essa situação que vem se arrastando dentro da ANM/Pa é verídica é absurda.
    Como mineradora do estado do Pará me sinto envergonhada de me deparar com um gerente que me diz “ Eu não estou assinando nada”
    Estou a exatamente a 2 meses sem cumprir minhas obrigações porque estamos cercados de pessoas incompetentes.
    Sem contar com esquema de corrupção que existe dentro do órgão.
    Tínhamos um Dnpm ágil para mineradores e para o estado de modo geral.
    Cadê as autoridades competentes para solucionar essa situação.
    Todas as indicações foram feitas pelo Diretor geral Bica, de forma que tudo virou um caos.
    Eu vou todos os dias na ANM/Pa
    E não vejo nada ser feito, ainda esculto reclamações dos funcionários sofrendo represália por parte daqueles que aí estão!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *