Campanha da Fraternidade de 2019 terá o lema: “Serás libertado pelo direito e pela justiça”

A coordenadora de campanhas da Diocese de Santarém, Eloísa Alves, esteve em nossa redação, ocasião em que falou sobre a Campanha da Fraternidade, que todos os anos a Igreja Católica realiza após o período de carnaval e neste ano terá o lema: “Serás libertado pelo direito e pela justiça”.

“Nós estamos no processo de preparação para a abertura da Campanha da Fraternidade. Já realizamos, a nível de Diocese, um encontro de multiplicadores, onde os representantes das 12 regiões pastorais dos municípios que compõem a Diocese de Santarém se fizeram presentes para entender também essa Campanha. O convite é para que toda a igreja busque entender o tema da Campanha da Fraternidade. Esse momento aconteceu nos dias 12 e 13 de janeiro, no Centro de Formação Emaús, que é o primeiro passo. O segundo passo, é a articulação para abertura da Campanha da Fraternidade na Cidade de Santarém e em outras cidades, porque a Diocese agrega exatamente sete municípios. Então, nós vamos realizar a abertura da Campanha da Fraternidade no dia 8 de março, sexta-feira, que é o Dia Internacional da Mulher. Esse dia deve ser bem marcante, está tudo preparado para que a gente realize de fato essa abertura”, disse Eloísa Alves.

PERÍODO QUARESMAL: A coordenadora  de campanhas da Diocese de Santarém falou sobre o lançamento da Campanha da Fraternidade, a nível nacional, que será na quarta-feira de cinzas: “A nível nacional a Campanha da Fraternidade, desde 1974, vem sendo lançada na quarta-feira de cinzas, principalmente para a igreja iniciar o período quaresmal. Então, a Campanha da Fraternidade quer despertar nas pessoas primeiramente algo que busque uma sensibilidade maior, para poder partir para ações concretas, para fazer a diferença. Inicia na quarta-feira de cinzas e vem todo o período quaresmal refletindo a Campanha, trazendo presentes ali os elementos como a oração, jejum e a penitência, sem esquecer uma situação social que nas pessoas causa ou reflete de uma certa forma, agride a dignidade humana. A igreja propõe exatamente essas temáticas e que sejam refletidas bastante nesse período. É considerado o período forte, vamos dizer assim, não que depois que termina a Campanha da Fraternidade e a quaresma se esqueça o tema, muito pelo contrário, aí que vêm as propostas de ações da Campanha da Fraternidade, a partir do texto-base existe toda uma preparação em três elementos importantes; o ver, que é um rosto da realidade; o iluminar a partir de textos bíblicos que norteiem toda uma caminhada do Cristão, e depois o agir. Por isso nesse ano a Campanha da Fraternidade traz presente para a fraternidade e políticas públicas e o lema tirado lá da citação de Isaías: ´Serás libertado pelo direito e pela justiça`”, informou.

É FÁCIL SER CATÓLICO, DIFÍCIL É SER CRISTÃO: Eloísa Alves falou sobre as ações da Campanha: “A Campanha da Fraternidade quando apresenta o subsídio já vem com a realidade. Por exemplo, nesse ano está presente um enfoque maior às políticas públicas sociais, à educação, à saúde, à moradia, ao transporte, algo que o ser humano está inserido ali diretamente. Então, é uma reflexão para nós, enquanto cristãos, compreendermos muito mais a importância de estarmos inseridos nessas ações, porque políticas públicas são ações sociais e, de uma certa forma, até conhecer melhor para que a gente possa exigir. Diante dessas exigências dos textos bíblicos, apresentam aí uma caminhada a partir de todo projeto de Deus, como era vivenciado pelo povo de Deus naquela época, que não é tão diferente da de hoje; e, nós hoje aqui na nossa sociedade, olhamos para tudo isso. Existe uma frase que diz o seguinte: ´É fácil ser católico, difícil é ser cristão`. Então, cristão é muito mais que isso, é compreender a mensagem do próprio Cristo a partir dos desafios, lutar hoje por uma sociedade melhor, por uma sociedade mais justa, e isso requer coragem. A igreja traz esses temas, que de uma certa forma são provocantes, porque quando chegou esse tema, inclusive a gente até comentava esses dias, a pessoa tem toda uma caminhada na igreja, mas, como é que a igreja vai falar de políticas públicas? Não dá para separar fé e política, é uma atualidade, elas estão ali caminhando juntas, desde que o ser humano compreenda que eu preciso louvar e agradecer a Deus, mas eu preciso lutar pelos meus direitos, eu preciso ir em busca de uma sociedade melhor. Essa Campanha é um despertar, porque Campanha da Fraternidade existe desde 1964 e a igreja sempre com essa preocupação, de olhar o social, da realidade; então, busca um despertar na pessoa para que de fato perceba, pois do jeito que a gente vem convivendo ou vem presenciando a realidade da sociedade, não está tão boa; porque existem pessoas que não têm onde morar, existem pessoas que não têm acesso à saúde, porque é tudo muito difícil. São situações vividas hoje na sociedade”.

CAMPANHA DA FRATERNIDADE E O DIA INTERNACIONAL DA MULHER: A coordenadora Diocese de Santarém falou sobre a programação do lançamento da Campanha da Fraternidade: “A abertura da Campanha da Fraternidade vai ser em um ginásio de uma escola de Santarém, e todas as comunidades, paróquias e regiões pastorais estão convidadas para estarem conosco, juntos com todos os padres. Nesse dia, sexta-feira, em muitas áreas e paróquias não terá celebração eucarística. Por isso todos são convidados a estar no primeiro momento. Nós vamos, a partir das 18 horas, ter um momento de acolhida, com uma programação bem legal, haja vista que é o Dia Internacional da Mulher e, dentro desse contexto das políticas públicas, ressaltar muito mais esse trabalho feito em várias instâncias, diga-se de passagem, por maioria das mulheres. Após esse primeiro momento, que será de apresentações culturais e tudo mais, nós vamos ter a celebração eucarística às 19:30, no Ginásio do Colégio Santa Clara, com a chegada das caravanas, conselhos, associações de moradores, várias instâncias. O material da Campanha ressalta a importância dessa integração para podermos refletir muito mais. O Período mais forte, é o quaresmal, que após essa abertura, a nível diocesano, acontece nas paróquias, nas áreas e tudo mais. Nessas mesmas áreas e paróquias existem as equipes de serviços das séries, os movimentos que também refletem em Pequenos Grupos da Campanha da Fraternidade, porque a ideia é que a temática chegue a toda e qualquer pessoa. Quando a gente fala de Campanha da Fraternidade, não se trata somente da Igreja Católica falar de políticas públicas, é uma dimensão muito maior, transcende tudo isso, então, viva nessa instância, nessa reflexão. Após todo esse momento reflexivo, quando chegarmos próximo à Semana Santa, nós vamos realizar a Via Sacra diocesana, também dentro dessa reflexão da Campanha da Fraternidade, fazendo um percurso em um espaço da cidade, com representantes dos movimentos, das escolas católicas, das pastorais, cada um responsável por uma estação se fazendo presentes à Campanha da Fraternidade deste ano com o lema: “Serás libertado pelo direito e pela justiça”.

CAMPANHA ESTARÁ NO EXECUTIVO E LEGISLATIVO: Ao ser questionada se nesse período da Campanha da Fraternidade a igreja vai também ao Executivo e Legislativo, Eloísa Alves informou: “Sim! nós já temos uma proposta de ir ao encontro deles,  exatamente para estar refletindo sobre essa Campanha. Todos os anos o secretariado das campanhas é convidado para um momento na Câmara. A gente está aguardando esse ano, diante dessa temática, para que possamos estar lá presentes, refletindo e buscando articular muito mais essas políticas públicas”.

Todos são sabedores que nós perdemos o Bispo Dom Flávio, que tinha um grande relacionamento com veículos de comunicação. O povo católico quer saber se já tem o seu substituto? Perguntamos. “Nós não temos informações ainda. Mas, é toda uma caminhada que se faz necessária. Nós temos o colégio de consultores, nós temos o Padre Odirley que está respondendo pela nossa Diocese. Temos as caminhadas pelas paróquias. É claro que a gente sente falta, mas todos os dias nós oramos a Deus e pedimos que nos envie um novo Bispo”, disse Eloísa Alves.

Por: Jefferson Miranda

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *