Assessor da Casa Civil é executado com vários tiros, em Belém

David Alexandre Lobato Mesquita, de 33 anos, foi executado com uma saraivada de balas, na madrugada desta segunda-feira, dia 04, durante uma festa de carnaval na Travessa da Vileta, no bairro do Marco, em Belém.

Homens encapuzados dispararam dez tiros, todos na cabeça e no tórax de David, que era assessor da Casa Civil do Governo do Estado do Pará, e antes trabalhou na Defesa Civil e como assessor de Vereador de Belém.

Embora sejam muitas as testemunhas, a lei do silêncio impera. Ninguém sabe, ninguém viu. Mais um mistério a ser desvendado. Ou não.

GOVERNO NEGA QUE FOSSE ASSESSOR DA CASA CIVIL E POLÍCIA INVESTIGA CRIME: Nas redes sociais circula a notícia segundo a qual um suposto assessor da Casa Civil do governo do Estado foi assassinado com seis tiros durante festa de carnaval na travessa Vileta, no bairro do Marco, na noite de ontem. O Ver-o-Fato entrou em contato com a assessoria do governo, que negou ser a vítima, David Alessandro Lobato, 33 anos, assessor da Casa Civil. No “Diário do Pará”, contudo, há a informação de que o rapaz seria funcionário público.

Ele trabalhava como motorista e era ligado a políticos. A suspeita é de que possa ter sido confundido com um primo, este sim, ligado ao tráfico de drogas e com quem David tinha semelhança física. A Delegacia de Homicídios investiga o caso. Veja a nota distribuída pela Agência Pará:
“A Divisão de Homicídios da Polícia Civil investiga a morte de David Alessandro Lobato, 33 anos, que, ao contrário do que dizem notícias veiculadas na internet, não era assessor na Casa Civil da Governadoria do Estado.

A vítima estava promovendo uma festa na travessa Vileta, esquina com a Passagem Leal Martins, bairro do Marco, por volta das 23h20 do último domingo (3), quando um veículo, modelo Fiat Uno, de cor preta, com placa não identificada, aproximou-se de David e dois homens encapuzados e armados desceram do carro.
A dupla foi em direção à vítima realizando vários disparos de arma de fogo. David nunca foi preso, não era usuário de drogas, estava trabalhando como motorista e realizava serviços comunitários no bairro, além de ser ligado a alguns políticos. Segundo testemunhas, ele, conhecido como “Deco”, é muito parecido fisicamente com seu primo Fabrício, de apelido “Biscoito”, que seria traficante de drogas, por isso, os criminosos poderiam ter confundido a vítima.
No momento da morte de David, estava ocorrendo no local uma festa na rua e populares viram quando o veículo veio da travessa da Vileta e, após a ação criminosa, saiu em direção à Av. Perimetral e tomou rumo desconhecido. A equipe de peritos informou que a vítima teve 6 lesões por perfurações de arma de fogo”.

Fonte: Franssinete Florenzano e Ver-O-Fato

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *