Milton Corrêa Ed. 1241

FLORESTA AMAZÔNICA

A bióloga Lana Magalhães, no site TodaMatéria, destaca a Amazônia como a maior floresta tropical do mundo e concentra enorme biodiversidade. Além disso, ela faz parte do bioma Amazônia, o maior dos seis biomas brasileiros. Segundo a bióloga, ela corresponde a 53% das florestas tropicais ainda existentes. Por isso, a sua conservação é debatida em âmbito internacional, em virtude de sua dimensão e importância ecológica. A floresta amazônica é considerada um santuário natural. Localiza-se no norte da América do Sul, abrange os estados do Amazonas, Acre, Amapá, Rondônia, Pará e Roraima, além de menores proporções nos países: Peru, Colômbia, Venezuela, Equador, Bolívia, Guiana, Suriname e Guiana Francesa.

CLIMA

Por estar localizada próxima à linha do Equador, a floresta amazônica apresenta clima equatorial. Assim, é marcada por elevadas temperaturas e umidade do ar. As temperaturas médias anuais oscilam entre 22 e 28ºC e a umidade do ar pode ultrapassar os 80%. Outra característica é o elevado índice pluviométrico que varia entre 1.400 a 3.500 mm por ano.

Em geral, as estações do ano na floresta distingue-se por dois períodos: o seco e o chuvoso.

SOLO

O solo da floresta amazônica é considerado pobre com uma fina camada de nutrientes. Porém, o húmus formado pela decomposição da matéria orgânica, ou seja, folhas, flores, animais e frutos é rica em nutrientes utilizados para o desenvolvimento das espécies e da vegetação da floresta.

FLORA

A floresta amazônica é uma floresta tropical densa, formada por árvores de grande porte. A vegetação é dividida em: Mata de várzea: Localizada em áreas baixas, sofre inundações periódicas, conforme as cheias dos rios. Os solos da várzea são extremamente férteis devido aos sedimentos depositados pelas águas dos rios. Algumas espécies da várzea são: andiroba, jatobá, seringueira e samaúma.

Mata de igapó: Localizada em áreas ainda mais baixas sofre inundação permanente, por esse motivo encontra-se sempre alagada. Para sobreviver a essa condição, as plantas apresentam estratégias e adaptações diferenciadas. Exemplos de espécies do igapó são: vitórias-régias, buritis, orquídeas e bromélias.

Mata de terra firme: Encontrada na maior parte da floresta amazônica, não sofre inundações por localizar-se em áreas mais altas. A vegetação encontrada é de maior porte, como a castanheira.

ANIMAIS DA AMAZÔNIA

Biodiversidade – A biodiversidade da floresta amazônica é exuberante e os seus números impressionam: Mais de 1.300 espécies de aves; Mais de 3.000 espécies de peixes; Mais de 30.000 espécies de plantas; 1.800 espécies de borboletas; 427 espécies de anfíbios; 378 espécies de répteis; Até 3.000 espécies de abelhas; 311 espécies de mamíferos. Ainda cabe ressaltar que muitas dessas espécies são endêmicas, ou seja, só existem na região amazônica. Por isso, a conservação da floresta é de extrema importância.

DESMATAMENTO DA AMAZÔNIA

O desmatamento avança e ameaça a conservação da floresta amazônica. Muitos problemas ambientais afetam a floresta amazônica, os principais são: desmatamento; queimadas; criação de pastos; disputa de terras; assentamentos humanos; caça e pesca ilegal. Em 1995, foi o ano em que ocorreu o maior desmatamento na Floresta Amazônica. No Brasil, o estado do Pará é o recordista em desmatamento na Amazônia. O desmatamento da Amazônia libera quantidade significativa de gases de efeito estufa. Por isso, a redução do desmatamento é a melhor ação para o Brasil reduzir os seus nível de emissão de gases e contribuir para a redução do efeito estufa e consequentemente do aquecimento global.

AMAZÔNIA LEGAL

Criada em 1953, a Amazônia Legal é uma área que abrange nove estados brasileiros: Acre, Amapá, Pará, Amazonas, Rondônia, Roraima, Mato Grosso, Tocantins e Maranhão. Ela compreende, aproximadamente, 61% de todo o território brasileiro. O objetivo da criação da Amazônia Legal é promover o desenvolvimento econômico e social da região.

Curiosidade – No dia 5 de setembro é comemorado o “Dia da Amazônia”, a data foi escolhida pois foi no dia 5 de setembro de 1850 que a província do Amazonas foi criada por D.Pedro I.

EFEITO ESTUFA

A bióloga Lana Magalhães, foca também no efeito estufa é um fenômeno natural ocasionado pela concentração de gases na atmosfera, os quais formam uma camada que permite a passagem dos raios solares e a absorção de calor. Esse processo é responsável por manter a terra em uma temperatura adequada, garantido o calor necessário. Sem ele, certamente nosso planeta seria muito frio e a sobrevivência dos seres vivos seria afetada.

COMO OCORRE O EFEITO ESTUFA?

Quando os raios solares atingem a superfície terrestre, devido a camada de gases de efeito estufa, em torno de 50% deles ficam retidos na atmosfera. A outra parte, atinge a superfície terrestre, aquecendo-a e irradiando calor. Os gases de efeito estufa podem ser comparados a isolantes, pois absorvem parte da energia irradiada pela terra. O que acontece é que nas últimas décadas a liberação de gases de efeito estufa, em virtude de atividades humanas, aumentou consideravelmente. Com esse acúmulo de gases, mais quantidade de calor está sendo retida na atmosfera, resultando no aumento de temperatura. Essa situação dá origem ao aquecimento global. Para termos uma ideia, o efeito estufa pode ser comparado ao que ocorre no interior de um veículo estacionado, com os vidros fechados e recebendo diretamente a luz solar. Apesar do vidro permitir a passagem da luz solar, ele impede a saída do calor, aumentando a temperatura em seu interior.

Os principais gases de efeito estufa são: Vapor de água (H2O): encontrado em suspensão na atmosfera. Monóxido de Carbono (CO): gás incolor, inflamável, inodoro, tóxico, produzido pela queima em condições de pouco oxigênio e pela alta temperatura do carvão ou outros materiais ricos em carbono, como os derivados do petróleo. Dióxido de Carbono (CO2): expelido pela queima de combustíveis utilizados em veículos automotores à base de petróleo e gás, da queima de carvão mineral nas indústrias, e da queima das florestas. Clorofluorcarbonos (CFC): composto formado por carbono, cloro e flúor, proveniente dos aerossóis e do sistema de refrigeração. Óxido de Nitrogênio (NxOx): conjunto de compostos formados pela combinação de oxigênio com o nitrogênio. É usado em motores de combustão interna, fornos, estufas, caldeiras, incineradores, pela indústria química e pela indústria de explosivos. Dióxido de Enxofre (SO2): é um gás denso, incolor, não inflamável, altamente tóxico, formado por oxigênio e enxofre. É usado na indústria, principalmente na produção de ácido sulfúrico e também é expelido pelos vulcões. Metano (CH4): gás incolor, inodoro e se inalado é tóxico. É expelido pelo gado, ou seja, na digestão dos animais herbívoros, decomposição de lixo orgânico, extração de combustíveis, dentre outros.

QUAIS AS CAUSAS DO EFEITO ESTUFA?

Como vimos, o efeito estufa é um fenômeno natural, mas é intensificado devido à crescente queima dos combustíveis fósseis que representam a base da industrialização e de muitas atividades humanas. As queimadas nas florestas para transformar suas áreas em plantação, criação de gado e pastagens, também colaboram para o aumento do efeito estufa.

EFEITO ESTUFA E AQUECIMENTO GLOBAL

A consequência da intensificação do efeito estufa na atmosfera é o aquecimento global. Segundo pesquisas cientificas, a temperatura média da Terra, nos últimos cem anos, sofreu uma elevação de cerca 0,5ºC. Se a atual taxa de poluição atmosférica seguir na mesma proporção, estima-se que entre os anos de 2025 e 2050, a temperatura apresentará um aumento de 2,5 a 5ºC. O aquecimento da Terra resultará nos seguintes efeitos: Derretimento de grandes massas de gelo das regiões polares, ocasionando o aumento do nível do mar. Isso poderá levar a submersão de cidades litorâneas, forçando a migração de pessoas. Aumento de casos de desastres naturais como inundações, tempestades e furações. Extinção de espécies. Desertificação de áreas naturais. Episódios mais frequentes de secas. As mudanças climáticas podem ainda afetar a produção de alimentos, pois muitas áreas produtivas podem ser afetadas. Outro problema associado à presença de gases poluentes na atmosfera é a chuva ácida. Ela resulta da quantidade exagerada de produtos da queima de combustíveis fósseis liberados na atmosfera, em consequência das atividades humanas.

COMO EVITAR O EFEITO ESTUFA?

Para alertar sobre a situação do efeito estufa e do aquecimento global, diversos países, entre eles o Brasil, assinaram o Protocolo de Kyoto, em 1997. Antes disso, foi assinado em 1987 o Protocolo de Montreal. O intuito principal é a redução da emissão de produtos que causam danos à camada de ozônio. Algumas dicas de ações individuais e coletivas também contribuem para redução do efeito estufa, são elas: Realizar pequenos trajetos a pé ou de bicicleta;

Dar preferência ao transporte coletivo; Utilizar produtos recicláveis; Economizar energia elétrica; Realizar coleta seletiva; Reduzir o consumo de carne bovina e suína; Fazer compostagem do material orgânico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *