Um comentário em “Bate-bola Ed. 1242

  • 28 de março de 2019 em 15:53
    Permalink

    Sou Paulo Gama- Desportista, filho nato de Santarém-PA. Técnico/Treinador pelo Sindicato dos Treinadores profissionais do Estado de São Paulo (SITREPESP) e Sindicato dos Treinadores do Estado do Pará. Tive a honra de trabalhar nos dois principais clubes de nossa cidade(São Raimundo E.Clube e São Francisco F. Clube),conhecedor das dificuldades que esses clubes passam. Porém, as experiencias anteriores mostra a todos, que fazer futebol sem dinheiro, sem planejamento, sem marketing, sem conhecimento. o resultado final é o fracasso. Muitas vezes as derrotas servem para a reflexão. Então dirigentes, gestores; muitos entram no mercado do esporte sem planos formais de ações, sem tempo para se dedicar aos interesses do clube, outros acham o auto – suficiente, achando que as coisas sempre deram certo sem planejamento, sem o refinamento dos objetivos e politicas. Fico triste e decepcionado. Trabalhando por essas duas instituições, sempre alcançamos o esperado. sempre alcançamos a classificação para pley of, ou ficar entre os melhores.quem lembra do São Francisco?, adormecido sem perspectiva de competição. fui procurado pelo Presidente da época Sr. Edy Ribeiro, juntos Aleixo e outros, para organizar uma possível volta do clube ao senário esportivo, com o objetivo primeiramente ser campeão local, o primeiro passo e depois entrar na segundinha do Paraense. assim aconteceu, por motivo de viagem tive que ausentar-me de Santarém, deixando o clube nas mãos do auxiliar Arapixuna- onde foi campeão local. foi planejado, e alcançado o objetivo. Quem lembra do São Raimundo, no ano que fora campeão da série D (com o saudoso Lúcio Santarém), pois bem, o clube amargava derrotas no campeonato paraense, restavam a duas partidas, uma contra o Tiradentes e outra contra o Bragantino. Fui procurado pelo então Sr. Presidente Rosinaldo do Valle, para tentar conseguir o almejado classificação, ganhamos a primeira partida contra o Tiradentes – onde mostramos que faltava motivação, equilíbrio técnico e tático, após a partida tomei a decisão de entregar o comando técnico do clube, haja visto, ter recebido interferência de membros(familiares) da diretoria da época, mas conseguimos mostrar os defeitos (interferências de pessoas não compromissadas com o clube), a partir daí, ao comando do Lúcio Santarém, fez a segunda partida, vitoria alcaçada, garantindo o acesso e o objetivo, que era a classificação. (ilustração, para mostrar a capacidade de mudança, organização e planejamento concomitante contratação de profissionais capazes)
    Então mostra que se não tem dinheiro, não tem receita, não tem conhecimento, os membros não falam a mesma coisa, o fracasso é inevitável.
    como sugestão: 1-Organizar o grupo politico(membros, torcedores, apoiadores) 2- buscar parcerias, patrocínios com poder de barganha, marketing, garimpar atletas nas cidades vizinhas, garantir comodidade e receita. futebol sem dinheiro, não existe sucesso no profissional.
    Técnico de futebol empresários nunca deram certo!!
    Agradeço pelo espaço, não tenho intenção de voltar ao esporte, mas quero torcer pelo esporte da minha querida cidade, onde muitos atletas que envergaram essas camisas de São Raimundo e São Francisco quando os RAIxFRAN eram; empolgantes, capazes de representar o valor do futebol do oeste do Pará.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *