Funcionários da Norte Energia e Funai são feitos reféns na aldeia Kayapó, em Altamira

Um grupo de funcionários da Fundação Nacional do Índio (Funai), do Distrito Sanitário Especial Indígena (Disei) e da empresa Norte Energia – empresa responsável pela construção e operação da usina de Belo Monte, está sendo mantido como reféns pelos índios Kayapó, na Aldeia Kararaô, localizada à margem direita do rio Iriri, município de Altamira, no sudoeste do Pará.

Segundo apurou o jornalista Wilson Soares, do site a Voz do Xingu, o cacique Bryt`erê Kayapó, ordenou que as chaves e o combustível das lanchas voadeiras, que servem de transporte para as equipes fossem recolhidos, para evitar que saiam da localidade.

As equipes estão retidas desde a terça-feira, 26, e são os mesmos responsáveis pelo monitoramento das ações condicionantes nas áreas indígenas.  As lideranças Kayapó exigem que a Norte Energia assuma os compromissos que, segundo eles, estão pendentes com a aldeia. O cacique afirma que não vai liberar os reféns até que eles tenham uma resposta oficial por parte da Norte Energia.

Desde ontem, outro grupo de indígenas atingidos pela instalação da usina hidrelétrica de Belo Monte, ocupa o prédio da Norte Energia, na sede de Altamira, também cobrando ações de cumprimento das condicionantes que a empresa é obrigada a ofertar aos indígenas, como parte das ações de compensações pelos impactos sociais e ambientais gerados pelo empreendimento nas reservas locais.

A justiça concedeu uma medida liminar para que os indígenas desocupem o prédio até o final desta tarde.

Fonte: A Voz do Xingu

Um comentário em “Funcionários da Norte Energia e Funai são feitos reféns na aldeia Kayapó, em Altamira

  • 29 de março de 2019 em 23:29
    Permalink

    Pros índios o Xingu virou o rio do leite e do mel, é só sequestrar, invadir, ameaçar, e tudo cai do céu !

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *