Revoltados com a Celpa, moradores de Novo Progresso cobram solução para problemas

Péssimo serviço e tarifas altas têm dificultado a vida dos munícipes e dos empresários que geram emprego e e renda

“Até quando? ”, este é o questionamento realizado pela população do município de Novo Progresso e Região, acerca das dificuldades enfrentadas, segundo eles, com o péssimo serviço de energia elétrica, disponibilizado pela concessionária Celpa Equatorial.

A indignação e revolta decorre de uma série de arbitrariedades, que permanecem há muito tempo sem solução.

“Esse povo aguerrido, buscando o desenvolvimento socioeconômico do eixo da Rodovia BR-163, com uma leva de empresários buscando sempre mais serem competentes e se consolidarem suas atividades na região. Mas quando se trata da disponibilidade de insumo importante para executarem suas atividades, chamado por energia elétrica, há muitos anos se deparam com o mesmo problema. Recebemos prestação de fornecimento pela concessionária de forma inadequada, insegura, irregular e descontinua, transgredindo os padrões de qualidade, onde se registram mais de dez oscilações diárias, falta de fornecimento rotineiros por longos períodos, tensões fora dos padrões, gerando todo tipo de transtorno e com compensações questionáveis aos consumidores pela transgressão de continuidade de seu fornecimento. Esse povo faz a pergunta a isso: até quando?”, relata uma das lideranças do município.

De acordo com os consumidores, a dificuldade é enorme para receber um atendimento por parte da concessionária, processo básico em uma relação de consumo. “Não aguentamos mais. É muita arbitrariedade. Irresponsabilidade com a prestação de um serviço essencial para a população e para classe produtiva, que por sua vez, não está assistida para desempenhar a contento seus empreendimentos, não por incapacidade, mais sim falta de insumo básico”, expõe outra liderança. Acrescentando:

“E não adianta solicitar algo pelos meios virtuais oferecidos. Tanto faz que seja pelo aplicativo ou pela página na web disponibilizada pela empresa para registrarmos e reclamarmos falta de energia. Esses canais quase sempre estão inoperantes, não gerando protocolo de atendimento. E si quer a empresa toma providências para resolverem tais problemas”.

PROBLEMAS SEM SOLUÇÃO: Segundo os moradores, a rede de distribuição de energia é ineficiente e está em situação precária, o que tem provocado prejuízos, devido aos apagões constantes.

Para os moradores e lideranças do município, o caos que se tornou o fornecimento de energia em Novo Progresso e Região, também é resultado da inércia das autoridades.

“Até quando vamos ver o estado do Pará ser um dos maiores geradores e exportador de energia elétrica e deixar seus entes perecerem por falta dela? Até quando esse povo vai ver seus representantes na área política gastarem recursos públicos para viagens a capital federal para promoverem suas troças demagógicas com promessa de expansão de distribuição da energia elétrica além do distrito de Moraes Almeida, sem primeiro buscar resolver a sua entrega até a sede desse distrito? Até quando o povo de Moraes Almeida vai ver seus representantes na área política não resolverem essa situação do fornecimento inadequado de energia elétrica e ainda ser cobrado com a mais cara taxa para custeio de iluminação pública que se tem conhecimento, que esses mesmos representantes criaram e que na maioria das vezes sequer se tem energia para essa iluminação? Até quando vemos o estado do Pará receber o ICMS sobre energia elétrica, que se sabe com uma alíquota das mais altas do país e de forma mercenária não aplicar o mínimo dessa arrecadação para melhorias que o setor necessita?”, questionam os moradores de Novo Progresso e região.

Diante de tal situação, do descaso e falta de compromisso com a população, as autoridades constituídas devem se perguntar: – Até quando o empresariado terá ânimo para desenvolver suas atividades perante tal situação? Até quando veremos esse descaso? É a pergunta que não se cala.

AUDIÊNCIA PÚBLICA: Nesta semana completou um mês que aconteceu a audiência pública organizada pelo Ministério Público do Pará (MPPA), na pessoa do Promotor Osvaldino Lima de Souza.

O evento foi realizado no dia 11 de março, na Câmara de Vereadores de Novo Progresso, e contou a participação de entidades representativas da sociedade civil ,OAB, instituições públicas e privadas, além da presença de representantes da concessionária de energia. Diante da massiva onda de reclamação dos consumidores, o MPPA deverá mover Ação Civil Pública contra a Celpa.

Por meio de nota encaminhada pela Assessoria de Comunicação, a Celpa informa:

“A Celpa informa que vem intensificando o diálogo entre lideranças e governo municipal no município de Novo Progresso, bem como atentendo as demandas aprensentadas durante a Audiência Pública, onde representantes da Distribuidora estiveram presentes ouvindo e levantando as necessidades da população, quanto ao fornecimento de energia. A Celpa reforça ainda, que todas as demandas foram analisadas e já estão sendo tratadas e que, durante a segunda quinzena de Abril e início de Maio, técnicos da empresa estarão no município de Novo Progresso, para dar prosseguimento as demandas solicitadas e ainda, levar o Energia na Comunidade – atendimento itinerante, para que os clientes sejam beneficiados com vários serviços e atenda as necessidades da população”.

 

Por: Edmundo Baía Junior

Fonte: RG 15/O Impacto

Um comentário em “Revoltados com a Celpa, moradores de Novo Progresso cobram solução para problemas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *