ALGUNS TOQUES NO RETORNO

Ausente deste espaço, por algumas semanas em razão de estar me recuperando de uma artroplastia no joelho esquerdo. Já estou começando a retomar a vida quase normal e lamentavelmente, só me deparo com notícias desagradáveis, dolorosas para Santarém, Brasil e o mundo.

Ah Santarém! Se não bastassem as fortes chuvas que lhes tem castigado, causando, transtornos nos quatro cantos da cidade, e, logicamente, a periferia é a que mais sofre. Culpa de quem é? Surgem muitas pessoas culpando o Prefeito e a Prefeitura, mas a própria população também é a culpada, pois, de certa maneira, concorre para esses desastres, com suas construções de moradias em áreas de risco, ou jogando entulhos no meio da rua, lixo nos bueiros, e nos locais onde o carro da coleta de lixo não passa, ou ainda, após o horário dele passar e ai quando vem um temporal, vem trazendo na enxurrada, como barquinhos de papel que na nossa infância se fazia nos dias de chuva. Hoje, vão os sacos com lixo flutuando e concorrendo para os alagamentos da cidade e desembocando no Rio Tapajós. Que Pena!

E se como isso já não bastasse, ainda temos a concorrência da empresa CABRERA que faz os buracos nas ruas para o serviço de esgotos da cidade. Se concluída será uma obra de grande vulto e de grande importância para o nosso Município, mas por enquanto, faz um serviço mal feito na hora do fechamento dos buracos que eles mesmos cavaram, nas ruas e nas calçadas, ajudando a aumentar as crateras em Santarém.

Além do mais, como aconteceu, na terça feira à noite 02/04/2019, um caminhão da empresa que presta serviço de Coleta de lixo, a TERRAPLENA, foi estacionar em cima da calçada em frente à quadra da sede do Fluminense, na Av. Presidente Vargas, próximo a Moraes Sarmento e afundou na calçada. Ora, para uma empresa que é terceirizada pelo Município, e que o apadrinhamento e apoio de alguns vereadores da nossa Casa Legislativa, o mínimo que poderia fazer era recuperar, bem ou mal como faz a CABRERA, com as calçadas, QUE É PASSEIO PÚBLICO, PERTENCE À POPULAÇÃO. Não adiantou tentar contato com a empresa, ninguém pode resolver, parece aquela música CONCEIÇÃO, do Cauby Peixoto: “ninguém sabe/ ninguém viu” , como é normal com as terceirizada. E vai ficando aí mais um buraco para o Município.

////////// A INFLAÇÃO DO XIXI – O banheiro não é público, mas para o público. Construído na Praça da Bandeira com a Monsenhor José Gregório (A Praça da Matriz), numa área do Município, no antigo, tradicional e histórico Tapajós Bar, foi construído pelo Município e entregue (não se sabe como) a uma das Associações dos Deficientes Físicos, existentes em Santarém. Foi construído durante o primeiro governo do ex prefeito Lira Maia. Na época houve um rebuliço quando divulgaram o valor da obra, me parece que aproximadamente, trinta e cinco mil reais. Ocorre que sem nenhuma melhoria ou conforto para os usuários, (a Vigilância Sanitária bem que podia passar por lá), aumentaram o valor da XIXADA de um real para um real e cinquenta centavos, e o banho dois reais. Dizem que quando é dia festivo, o valor é mais alto. Tem uma inflação maior. Enquanto no banheiro do Mercadão 2000 o prefeito mandou baixar o preço de um real e cinquenta centavos para um real, na Praça da Matriz os responsáveis pelo XIXÓDROMO aumentam o preço. Vejamos quem é o responsável por esse aumento que se manifeste, o povo aguarda! ////////// Outra notícia que corre solta no Senado da Garapeira Ipiranga é a de que os camelôs serão retirados dali para a revitalização da Praça Monsenhor José Gregório e Praça da Bandeira, ou Chatinha, também, assim era chamada. Dizem que irão para a Praça Rodrigues dos Santos. Aí me bateu uma lembrança do esforço quase sobre humano que teve o prefeito Ronan Liberal em 1985, quando da inauguração do Mercadão 2000 (o Prefeito futurista e empreendedor já previa o crescimento da população santarena, daí o nome do Mercadão era para a população do ano 2000. Já estamos em 2019 e nada ou quase nada mudou ali). Foi difícil retirar os camelôs dali para levar para a área do Mercadão 2000. Agora a história vem ao contrário. Retornar o camelô para a praça que virou propriedade de uns poucos flanelinhas. E talvez de lá tão cedo os camelôs não saiam. Tomara que esteja errado. ////////// A CATEDRAL DE NOTRE DAME, lamentavelmente um dos maiores símbolos da cultura arquitetônica gótica, data de 1163, do século XII sua construção e concluída 1345. Símbolo de religiosidade, da cultura universal, imortalizada no teatro, na literatura e no cinema, necessitada, passava por uma restauração. Nesta de recuperação, deve ter havido alguma falha, que ardeu na tarde do dia 15.04.2019. Mais uma vez a humanidade perde parte da sua história. Mas lá o presidente MACRON e seus ministros já se pronunciaram quando uma séria apuração dos fatos e da reconstrução, com manifestação de apoio da iniciativa privada para a sua recuperação. ////////// Enquanto que aqui no incêndio do nosso MUSEU NACIONAL pegou fogo, grande parte da nossa história e da história da humanidade, até hoje não se apurou com seriedade nada. Verbas, neste País de recessão, não serão alocadas tão cedo para a reconstrução. E os cientistas e pesquisadores trabalham, quase que por amor a camisa, para resgatar no meio dos escombros o que sobrou. Na França o povo em vigília aguardava os “soldados do fogo” vencerem as chamas- e lá ninguém disse, que era só uma igreja velha. Como um “intelectual”, de Santarém, disse que no caso do MUSEU NACIONAL era só uma casa velha pegando fogo. ////////// No desastre de BRUZEMA, no Rio de Janeiro, assim como Brumadinho, foi mais uma tragédia anunciada, ou seja, o que ocorreu no Rio de Janeiro é o que ocorre em todo o Brasil, a falta de fiscalização nas obras, para o habite-se e fiscalização das construções, também nas obras interditadas. É a prova cabal de um Estado medroso, conivente e até parceiro do crime organizado. ////////// A nossa SANTARÉM ESTÁ MAIS TRISTE E MAIS POBRE CULTURALMENTE. Este ano perdemos RAI BRITO, DEMÉTRIO MIRANDA, PROFESSORA HELENA, PROFESSORA OLGA COLEMAN e mais recentemente, O CANTOR MACHADINHO, membro da Academia de Letras e Artes de Santarém. A nossa cultura sofre com a falta de novos talentos e da conservação e valorização dos que ainda estão no nosso meio. DESCANSEM EM PAZ A TODOS QUE PARTIRAM, QUE RECEBAM UM BOM APOSENTO NA MANSÃO CELESTIAL. ////////// MAS, AFINAL – O VAR – embeleza ou tira a já pouca beleza do decantado futebol, inclusive, o triste futebol brasileiro, que além da violência, fora e dentro de campo, vem agora, como dizem os nossos conterrâneos natos: do interland: “ainda vem ESSE TAR DE VAR” par avacalhar. HAA LEPRUSU!”. ////////// Após a entrada triunfal de JESUS em Jerusalém, no DOMINGO DE RAMOS, festejado no domingo que passou. Vamos nos preparar para a PÁSCOA, o tempo de renovação…..Não deixemos que a nossa Páscoa se acabe no chocolate ou seja vista como um feriadão de muita praia. Boa Páscoa para todos!.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *