Em prol do Instituto Maestro Wilson Fonseca, encontro reúne aproximadamente 200 artistas

Uma das mais nobres instituições artísticas do município, o Instituo Maestro Wilson Fonseca (IMWF) foi homenageado na noite deste domingo (23) por aproximadamente 200 artistas dos mais diversos seguimentos culturais. A programação intitulada “Uma feira santarena” ocorreu na Casa da Cultura de Santarém.

A cantora Cristina Caetano está como diretora interina do IMWF. Com a colaboração de vários artistas, ela esteve à frente da organização do espetáculo: “Ajudar esta instituição é ajudar centenas de crianças, adolescentes e jovens de hoje e os que no futuro estarão ali em busca de oportunidades nesse mundo tão complicado de se viver. Agradeço imensamente pela entrega de cada um de vocês”.

No palco “Uma feira santarena” fez um passeio pelas obras do Maestro Isoca como “Cuias de Santarém”, “Canção de Minha Saudade”, “Pratos Regionais”, “Papagaios”, “Um Poema de Amor”, “Sonho Predileto”, “O Boto”, “Canção da Vera Paz” e a própria peça que dá nome à opereta.

Solos e duetos foram interpretados por cantores como Ádria Góes: “É um momento único. Cantar música santarena nos mostra o quanto devemos amar e cuidar da Pérola do Tapajós. Todos aqui uniram as forças e mostraram que o Instituto precisa continuar com os relevantes trabalhos que tem contribuído na formação musical de diversos artistas, principalmente os que vêm das periferias”.

“É uma das ações pioneiras no ensino da música no município. Todos os santarenos tem um apreço pelo Instituto que atua de forma magnífica principalmente na área da educação musical, cultural e a formação de cidadãos”, ressaltou o secretário de Cultura Alberto Pixica.

O prefeito de Santarém, Nélio Aguiar, também esteve prestigiando o espetáculo: “Entidades como essa já formaram diversos talentos, a gestão municipal reconhece e tem dado todo o apoio possível para a perpetuação desse legado santareno”.

Entre os cantores que compuseram as atrações e se dispuseram à apresentação sem a cobrança de cachê estão: Paulinho Barreto, Adria Góes, Priscila Castro, Cristina Caetano, Patrícia Lima, Everaldo Martins, Dandara, Pedro Guilherme, Marcia Pedroso, Alexandre Escher, Priscila Moreira, Marcos Wesley, Kaila Moura, Eduardo Serique e Júlio César Antunes. A banda base foi formada pelos musicistas Paulo Victor Maranhão (violão), Ronaldo Oliveira (contra-baixo) e Diego Maciel (bateria). A programação teve a participação especial da Orquestra Sinfônica Maestro Wilson Fonseca, sob a regência do maestro Agostinho Fonseca.

A programação é uma realização do “Movimento Arte e Cultura de Santarém” e conta com o apoio da Acadêmia de Letras e Artes de Santarém (Alas); Instituto Sebastião Tapajós (IST); Instituto Federal do Pará (IFPA); Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa); Universidade do Estado do Pará (Uepa); Escola de Ensino Técnico do Pará (Eeetepa), polo Santarém, por meio do Curso de Guia de Turismo; Projeto Sementes Musicais; Centro de Capoeira Angola Malungo; Movimento de Capoeira Regional e Angola de Santarém; Filarmônica Municipal Professor José Agostinho; Ordem dos Advogados do Brasil – Subseção Santarém; Movimento Carimbó do Oeste do Pará e Instituto CR.

Atualmente o IMWF passa por um momento financeiro delicado. Por recomendação do Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) a entidade tem o prazo de 120 dias para desocupar as instalações da Casa da Cultura de Santarém, espaço cedido pelo município.

Por isso, os artistas, ex-alunos, entidades representativas da sociedade e instituições culturais formaram um elo social para ajudar a instituição com o evento que a homenageou por todos os 26 anos pelos relevantes serviços que tem prestado à cidade.

Toda a renda arrecadada na programação será revertida ao Instituto Maestro Wilson Fonseca.

IMWF

A instituição é remanescente da Escola de Música Maestro Wilson Fonseca criada em 02 de agosto de 1993, então polo da Fundação Carlos Gomes de Belém–Pa. Dentre os diversos títulos honoríficos recebidos está a outorga a nível nacional “Prêmio Ministério da Cultura 1998”, denominado “Prêmio Mário de Andrade”.

Atualmente o IMWF, além dos cursos de música, promove aulas de dança e teatro. Desde 1993 quando foi fundada, acolhe a média de 1.500 alunos por ano.

É uma organização privada, mas sem fins lucrativos e que sempre atuou em parceria com o poder público. A organização atende crianças, jovens e adolescentes principalmente de baixa-renda e com isso sempre encontrou necessidade de apoio do poder público e privado para ajudar a manter o trabalho vivo.

Fonte: Agência Santarém com foto de Bruno  Ribeiro

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *